DETERMINADO PELA CRUZ

Cristão é aquele que recebeu a revelação de sua atração na cruz de nosso Senhor Jesus e lá foi incluído em Sua morte e ressurreição. Desta forma, foi feito uma nova criatura em Cristo Jesus. Ele foi crucificado com Cristo, seu velho homem morreu com Jesus na cruz do Calvário. No milagre do novo nascimento, Jesus Cristo passou a viver nele. Cristo agora vive nele. Cristo é quem o conduz. Cristo, de fato, é o seu Guia. Mateus 2:6 – “E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel”. Mateus 23:10 – “Nem sereis chamados guias, porque um só é o vosso Guia, o Cristo”. Portanto, cristão é aquele cujo “Guia”, é o Senhor Jesus Cristo. O Senhor diz: Segue-me e permaneça em mim. Nosso viver precisa ser segundo Cristo e não segundo nossa vontade carnal. Precisamos viver imitando a Cristo, Ele é nosso modelo em tudo e em todo o tempo. Cristo, sempre Cristo! Cristão é aquele que em seu viver diário nega-se a si mesmo, toma sua cruz e segue a Jesus Cristo, seu Senhor.

CRUZ VAZIADiante das tribulações e de circunstâncias tentadoras, submete-se inteiramente a Cristo, morre para si mesmo e desfruta da vida de Cristo. II Coríntios 4:10-11 – “levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo. Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal”. Deus nos conduz pelo caminho estreito e neste caminho existem crises e mais crises para que aprendamos a não confiar em nós mesmos; apenas em Jesus Cristo. Nestes momentos, muitos procuram resolver à sua maneira; apelam para tudo e para todos e fazem de tudo para saírem da crise. Esquecem de olhar e orar ao Único que pode realmente ajudá-los e ensiná-los. Não continuemos errando; aquietemos e rendamo-nos ao Senhor Jesus em nossos momentos de crise. Ele quer falar conosco, Ele quer nos ensinar e nos conduzir (Oséias 2:14). Lembre-se: Ele é o Guia! Sigamo-Lo então! João 12:23-28 – “Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem. Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto. Quem ama a sua vida perde-a, mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna. Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará. Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora. Pai, glorifica o teu nome. Então, veio uma voz do céu: Eu já o glorifiquei e ainda o glorificarei.”

Atentemos para as Palavras do Senhor Jesus em seu momento de crise e de muita angústia. Ele estava consciente do que estava para vir sobre Ele. Ele disse que era a hora de ser entregue nas mãos dos líderes judaicos e disse mais: é a hora do poder das trevas (Lucas 22:53). Mas no propósito do Pai, era a hora do Filho ser crucificado. A hora de se fazer pecado e de levar o pecado do mundo. Chegou a hora em que o Pai precisaria abandoná-Lo. Quanta angústia! Mateus 26:37-39 – “e, levando consigo a Pedro e aos dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo. Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passa de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres”. Mesmo neste momento de crise, o Senhor queria fazer a vontade do Pai. Ele havia decidido tomar o cálice da morte na cruz do Calvário. No Getsêmani, logo após esta oração, vieram os soldados conduzidos pelo traidor. Pedro sacou a espada e cortou a orelha de Malco. Neste momento o Senhor disse à Pedro: “Mete a espada na bainha; não beberei, porventura, o cálice que o Pai me deu?”. O Senhor queria obedecer ao Pai naquele momento de crise. Quando passamos pela crise, procuramos obedecer ao Pai? Aceitamos a crise, a dificuldade, a tribulação, a perseguição sem murmurar? Em João 12:27, diante desta situação angustiante, o Senhor não ficou insistindo para que o Pai o livrasse. Ele diz: “Mas precisamente com este propósito vim para esta hora”. Naquele momento de crise, de angústia, de medo, o que “determinou” a vida do Senhor Jesus foi exatamente a cruz.

O Senhor era norteado pela cruz. A cruz determinava a vida do Senhor Jesus. O Senhor nos ensina que quando estamos com vontade de sair correndo e fugir de tudo, é preciso tomar a cruz e nela morrer para nós mesmos. A hora da crise é justamente a hora de ser “determinado” pela cruz. O Senhor sabia que esta era a vontade do Pai. A cruz era a determinação do Pai para o Filho. O Filho sabia que ir para a cruz era a vontade do Pai. Para obedecer e agradar ao Pai, Jesus Cristo foi para a cruz. A vontade do Pai para nós também é que, pela cruz, sejamos desarraigados deste mundo perverso. Gálatas 1:4 – “o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai”. A vontade do Pai é que, pela cruz, sejamos libertos da escravidão do pecado a fim de vivermos vida santa. Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”. I Tessalonicenses 4:3 – Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição”.

A vontade de Deus para nós é que, pela cruz, morramos para os desejos ilícitos da carne. Gálatas 5:24 – “E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências”. A vontade de Deus é que, pela cruz, venhamos a viver, não mais para nós mesmos, e, sim, para Jesus. II Coríntios 5:15 – “E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam  mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. A cruz diária está entrelaçada com a vontade de Deus para nós. Deus tinha uma vontade para o Seu Filho: a cruz! Deus tem uma vontade para nós: a cruz! A cruz serve de parâmetro, de norte, de guia. Sempre, dia após dia, devemos negar a nós mesmos, tomar a cruz e seguir o Senhor Jesus (Lucas 9:23). Nos momentos mais difíceis, o Senhor decidiu pela cruz. Desta forma, não só obedeceu ao Pai como também O glorificou. João 12:28 – “Pai, glorifica o teu nome. Então, veio uma voz do céu: Eu já o glorifiquei e ainda o glorificarei”. João 17:4 – “Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer”. A cruz sempre glorifica o Pai.

No momento em que alguém, maldosamente e injustamente nos afronta, ao invés de dar vazão à ira, precisamos ir para a cruz. Isto é, morrer para si mesmo para que mansidão e o amor de Jesus se manifestem. Assim, estaremos glorificando o Pai em nossa vida. Vivamos a vida do Filho, pois Ele sempre foi determinado pela cruz e conseqüentemente, sempre glorificou ao Pai.

Que a cruz seja sempre “determinante” em nosso viver diário, aconteça o que acontecer. Seja em uma festa cheia de “comes e bebes”, seja em um momento de crise ou dificuldade: que a cruz nos “determine” para a glória do Pai.

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami 

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Maio de 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s