O CRUCIFICADO

Gálatas 2:19-20 – “Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”.

o_crucificadoO testemunho do apóstolo Paulo é um grito que muitos guardam dentro de si. Como ele, eu também fui um religioso; zeloso quanto à tradição dos pais (Gálatas 1:14). Amava a igreja onde congregava e me esforçava para ser um bom crente. Era religioso, esforçado e sincero, mas nada disso me transformou em um cristão. Como membro de uma igreja evangélica eu encontrei decepção, frustração e muita hipocrisia. Primeiro da minha parte, depois dos meus líderes e irmãos. Em minha vida religiosa descobri como a religião prende, engana e oprimi. Sou imensamente grato a Deus pela Sua graça salvadora que se manifestou de uma maneira estupenda, justamente quando estava tão decepcionado com a religião e a igreja. Quando Sua graça me alcançou e me libertou, percebi que estava livre da lei dos homens religiosos, da própria religião e também da tradição dos homens. Nunca havia sentido tamanha libertação em minha vida. Nem sequer imaginava que havia uma real libertação da religião. Comecei a enxergar as artimanhas da religião e ao mesmo tempo percebi o quanto o evangelho de Cristo é simples e sem opressão. Logo cheguei à conclusão que existe o evangelho segundo o homem e o evangelho segundo Cristo. Gálatas 1:11 – “Faço-vos, porém, saber, irmãos, que o evangelho por mim anunciado não é segundo o homem”. Quem conhece o evangelho de Cristo, conhece Sua graça maravilhosa e desta forma, logo percebe que existe outro evangelho distorcido, que não é o de Cristo. Gálatas 1:6-8 – “Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema”. Estou assustado ao ver como o inimigo tem distorcido o evangelho de Cristo e como os crentes estão aceitando de bom grado. Dá a impressão que paira sobre a igreja evangélica brasileira uma enorme nuvem que impede que as pessoas conheçam o evangelho de Cristo. Existe uma aceitação quase que geral deste “outro evangelho”, que nada mais é do que o evangelho de Cristo pervertido, distorcido, mudado, acrescentado. Existem práticas nas igrejas evangélicas que não existem na Bíblia e que o Senhor Jesus nunca ensinou e praticou. O evangelho que está sendo pregado no Brasil é antropocêntrico e materialista. Como se não bastasse, o mundanismo está tão presente nas igrejas. As estatísticas dizem que os evangélicos cresceram muito nestes últimos anos no Brasil, mas também, em proporções maiores, os escândalos por eles cometidos. Precisamos urgentemente pregar o evangelho de Cristo tal como ele é. Vejamos um pouco sobre o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. O evangelho de Jesus Cristo sempre exige que se tome uma decisão. Não é passivo, não é um crente “esquenta banco” que bate o cartão uma vez por semana no domingo à tarde. A pessoa que realmente é salva e conhece o evangelho de Cristo torna-se compromissado com Cristo e Seu reino, acima de sua própria família e trabalho. Lucas 14:26,27,33 – “Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo. Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”. O cristianismo impactou o mundo antigo porque foi pregado o evangelho de Jesus Cristo. Hoje estão preferindo o evangelho “light”, barato e cômodo. O evangelho de Cristo exige uma decisão séria em relação ao pecado. O evangelho de hoje faz vista grossa ao pecado, encobre-o e tudo termina em pizza. Mas o evangelho de Cristo tem o veredicto de Deus sobre o pecado. Esse veredicto foi dado na cruz. A cruz de Cristo ocupa o lugar central no evangelho de Cristo. Ele não se esvaziou e se humilhou tomando a forma de servo, vindo a este mundo para ensinar, sofrer e morrer na cruz do Calvário por nada. Este foi o propósito de Deus desde antes da fundação do mundo para salvar a humanidade decaída e condenada. Sem cruz não há evangelho e sem o evangelho de Cristo, não há esperança de salvação. A igreja que não prega o Cristo crucificado, não prega o evangelho de Deus e, sendo assim, não haverá salvação para os seus membros. Somente pela inclusão na morte e ressurreição de Cristo podemos nascer de novo e entrar no reino de Deus. O próprio Senhor já havia dito a Nicodemos: “se alguém não nascer de novo, não pode entrar no reino de Deus” (João 3:3). Todo verdadeiro cristão é nascido de novo. Ele recebeu a revelação de sua identificação na morte e ressurreição de Jesus Cristo. Nesta experiência ele morreu definitivamente para o pecado, para o mundo e para si mesmo. Algo poderoso aconteceu dentro dele. Uma nova vida foi criada, tornou-se uma nova criatura. Não mais aquela que era escrava do pecado e buscava tão somente as coisas deste mundo, mesmo estando na igreja. Muitos freqüentadores de igreja continuam na prática do pecado porque jamais se identificaram com a morte de cruz em Cristo Jesus. Quando recebemos o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo, algo maravilhoso acontece em nós: JESUS CRISTO É REVELADO. Ele passa a viver em nós e nós Nele. Ele se torna o nosso motivo de viver, nosso centro, nosso tudo. Começamos a viver Cristo, em Cristo e para Cristo. Nada mais nos interessa além Dele. Novela, jogo de futebol, festa de aniversário? Tudo perde a graça perto do ganho de ter conhecido Cristo. O apóstolo Paulo disse que tudo que antes considerava lucro, agora se tornou em perda por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, seu Senhor. E por amor a Ele, perdeu todas as coisas e as considera como refugo para poder ganhar Cristo (Filipenses 3:7-8). Agora Cristo passou a ser a razão de sua vida: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21). Nada mais interessava para ele, apenas Cristo. Isto é cristianismo! Cristianismo é ser alistado debaixo da bandeira da cruz de Cristo, pois isto significa morte para o pecado e para si mesmo. Isto significa viver para Cristo. Cristianismo é morrer para o pecado e não mais viver na prática dele. Somente o crucificado pode viver o cristianismo. Cristianismo é: negue-se a si mesmo, dia-a-dia tome a sua cruz e siga o Senhor Jesus (Lucas 9:23). Cristianismo é cruz a cada dia, o tempo todo, é dizer: estou crucificado com Cristo!  Cristianismo é ver o seu velho homem crucificado com Cristo e experimentar a libertação do pecado. É poder obedecer ao Senhor Jesus de bom grado e não mais ser escravo do pecado. Obedecer a Deus e não mais ao pecado é prova de que você agora é um cristão.

O crucificado é um cristão e um cristão está crucificado com Cristo.

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami      

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Maio de 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s