O MOTIVO

 

motivoPrecisamos ter a fé dos irmãos dos primeiros séculos da era cristã. Cristãos que morreram na fé (Hebreus 11:13); não negaram a fé mesmo estando diante de ameaças e perseguições (Apocalipse 12:11). Cristãos que conheciam verdadeiramente o Cristo crucificado. Cristão que estavam firmemente arraigados no Cristo ressurreto (Colossenses 02:06,07). Cristãos que ansiavam e desejava tão somente o Senhor Jesus Cristo. O Senhor estava acima de tudo e todos. O Senhor era o foco, o centro, a razão de sua vida. Cristãos que amavam o Senhor sobre todas as coisas e O adoravam no espírito (Filipenses 03:03). Cristãos que esperavam a vinda do Senhor (I Tessalonicenses 01:10). Jesus Cristo era a doutrina, a lei, a regra, o costume, o rito, o tudo deles. Nada era importante, somente Jesus Cristo. Cristãos verdadeiramente cristãos, não cristãos misturados com egoísmo e mundanismo. Apenas Cristo, mais nada, mais ninguém. Eles sabiam que cristianismo é: “um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos” (Efésios 04:05,06). Cristãos que viviam Romanos 11:36“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém! A história registrou vários deles. Mesmo mortos, ainda falam pelo testemunho que deram (Hebreus 11:04). A fé viva e a morte como mártir comprovam que foram fiéis até a morte (Apocalipse 02:10). Leia Hebreus 11:34-40. Veja a oração de São João da Cruz a Jesus crucificado:

“O motivo meu Deus para querer-te não é o céu que tens prometido. Também não é o inferno tão temido, o motivo para deixar de ofender-Te. O Senhor é o meu motivo. Motiva-me ao ver-Te cravado em uma cruz e escarnecido; motiva-me ao ver teu corpo tão ferido; motiva-me as tuas afrontas e a tua morte; motiva-me enfim o Teu amor de tal maneira que: ainda que não houvesse céu, eu te amaria; ainda que não houvesse inferno, eu te temeria. Nada tens que me dar porque te quero, e se o que eu espero não esperasse, o tanto que te quero, te quereria”.

Para este cristão, Jesus Cristo era o motivo. Jesus Cristo o fazia viver. Jesus Cristo era a razão única de sua vida, tal como o apóstolo Paulo: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 01:21). Para estes cristãos verdadeiros não era o dinheiro, nem a glória deste mundo o motivo de sua vida. Nem a dificuldade ou a pobreza o motivo para desistir de Cristo. Para eles, nada podia separá-los do amor de Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor. Eles podiam citar Romanos 08:37-38“Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.  Para eles a pergunta não é: qual o motivo da sua vida? Mas é: QUEM É o motivo da sua vida?

 

 

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

 

Comunidade Bíblica Regenerada – “Cristo vive em nós”

 

Maringá, Maio de 2013.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s