SACRIFÍCIO VIVO

Romanos 12:1-2 – “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação de vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

abraão e isaqueMuitas vezes passamos por experiências duras, fracassos e perdas. Nestes momentos achamos que Deus quer nos tirar as coisas e não entendemos a razão do nosso sofrimento. Algumas vezes os pais precisam tirar o filhinho da “brincadeira” para que não venha a machucar-se. O filhinho não entende os pais e chora, grita e até esperneia. Mas ali está o amor e o cuidado dos pais. Deus cuida de nós, pois nos ama sobremaneira. Seu amor é imensurável! Precisamos crescer na graça e no conhecimento de Deus (II Pedro 3:18) a fim de entendermos o que Ele deseja de nós. Tudo que Ele deseja para nós é simplesmente o melhor. Ele não necessita de nada, tudo faz por amor a nós. Deus não está a pedir de nós algo, mas quer que aprendamos que não viver mais para si e sim para Ele, é o melhor. Nascemos e crescemos como seres essencialmente egocêntricos; por isso nós temos dificuldade de entender que viver para Deus e não mais para nós mesmos, é o melhor. A cruz é maravilhosa por que nos possibilita morrermos para nós e vivermos para Deus. Aprendamos que viver para Deus é vida abundante; é a melhor vida que podemos viver. Em Gênesis 22 vemos que Deus pede a Abraão para sacrificar seu amado filho Isaque. Qualquer um poderia pensar que Deus requer algo ou alguém de nós. Volto a repetir; Deus não precisa de nada. Quando Ele exige é porque quer o nosso bem. Deus não queria que Abraão perdesse o melhor que tinha, isto é, sua comunhão com Ele. Antes do nascimento de Isaque, Abraão tinha Deus, desfrutava de Deus, andava com Deus. Com a vinda de Isaque, Abraão começou a dividir seus afetos e atenção. Isaque começou a crescer no coração de seu pai (Gn 22:2) e Deus começou a diminuir. Ao pedir Isaque, Deus simplesmente queria que Abraão pudesse receber a vida abundante outra vez. O problema não estava em Isaque, mas no coração dividido de Abraão. Deus não queria um sacrifício morto, mas sim um sacrifício vivo que leva à vida abundante em Deus. De que adiantaria um Isaque morto? Nada! Felizmente, neste episódio, o amoroso Deus resgata Abraão para Si. Desta forma, Abraão aprende que não vale a pena amar algo ou alguém mais do que a Deus. Oswald Chambers diz: “Esse incidente é uma figura do equívoco que cometemos ao pensar que o sacrifício supremo que Deus requer de nós é a morte física. O que Deus requer é um sacrifício através da morte de si mesmo. Isto significa que os nossos interesses já não são prioridade; que não buscamos mais nossas realizações e conquistas pessoais. Através da nossa identificação na morte de Cristo, Deus deseja que não vivamos mais para nós mesmos, mas sim, para Ele. II Coríntios 5:15 – “E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. Romanos 14:7-9 – “Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor. Foi precisamente para esse fim que Cristo morreu e ressurgiu: para ser Senhor tanto de mortos como de vivos”. Precisamos dizer: Senhor, quero ser identificado com Tua morte de modo que eu venha a ser um sacrifício vivo para Ti. Nossa tendência é pensar que Deus quer que renunciemos as coisas boas desta vida. Não é isso! Deus quer que renunciemos a nós mesmos para que o nosso ego não seja empecilho para que desfrutemos Dele. Não há nenhum texto bíblico onde Deus pede para que renunciemos às coisas apenas para renunciá-las. Mas precisamos entender que muitas coisas neste mundo nos impedem de desfrutarmos do melhor: a vida de comunhão com Deus. Precisamos morrer para nós mesmos porque carregamos muitas coisas que nos amarram e nos impedem de desfrutar do próprio Deus. No Salmo 16:11 vemos: “Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente”. O rei Davi, apesar de sua fama, poder e fortuna, descobriu em Deus sua felicidade e satisfação. É isso que Deus deseja que você também descubra. Por isso, Ele quer que você seja um sacrifício vivo, isto é, alguém que vive vida de cruz, sempre negando a si mesmo e tomando sua cruz. Esta é  a maneira de poder viver para Deus. Somente aqueles que vivem para Deus é que podem desfrutar da alegria, segurança e satisfação que Nele há. Com a identificação na morte de cruz em Cristo, entramos num relacionamento com Deus por meio do qual podemos oferecer nossa vida em sacrifício a Ele. De nada adianta morrer fisicamente para Deus. O que Ele requer é que você seja um sacrifício vivo; isto é, alguém que não vive para si, mas para Deus.  Você já é um sacrifício vivo?

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada

Maringá, Junho de 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s