O IMPACTO DA CRUZ – Parte 04

imagesNo início do cristianismo, muitas pessoas sabiam do valor da cruz de Cristo e com o passar do tempo, a essência da cruz foi sendo esquecida; no entanto, a sua crença não foi. Nos momentos difíceis e perigosos, as pessoas voltavam para a cruz de Cristo como um amuleto de proteção. Faziam o sinal da cruz como que dizendo: estou protegido do mal. A cruz nunca perdeu sua eficácia; porém, o significado dela foi desvirtuado. Como? Foi dada total importância à cruz de Cristo e, conseqüentemente, o Cristo da cruz foi esquecido. Começaram a usar somente a cruz; sem o Cristo. Enfeitaram com pedras e brilhantes cruzes e mais cruzes. Penduraram no pescoço, colocaram nas portas, nas roupas, nos objetos de uso pessoal e em igrejas. A cruz tornou-se folclórica. Essa cruz que o povo cria, tornou-se insípida, sem vida e sem poder para a salvação. Ela deixou de impactar vidas, pois foi totalmente desvirtuada. Sem dúvidas, foi na cruz que o Senhor venceu o inimigo (Colossenses 2:15). Mas o objetivo principal da cruz não foi o de vencer o Diabo. Seu objetivo primário foi salvar o homem do pecado. O homem estava escravo e também condenado pelo pecado. Havia culpa, havia iniqüidade; por isso, Jesus foi crucificado em nosso favor. Tito 2:14 – “o qual (Jesus Cristo) a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras”. Se apenas a cruz fosse levantada, nada teria acontecido. Era preciso que o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, fosse pendurado na cruz do Calvário. Antes do seu nascimento terreno, o anjo disse à Maria que Ele se chamaria JESUS, por que Ele salvaria seu povo dos seus pecados (Mateus 1:21). O propósito da cruz era nos salvar e libertar do pecado. Apocalipse 1:5b – “… Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados,”. I João 3:5 – “Sabeis também que ele se manifestou para tirar os pecados, e nele não existe pecado”. Não podemos desvirtuar a cruz de Cristo, pois isto aniquilaria o poder e o impacto dela. A cruz foi erguida para tratar do nosso pecado. Foi ali que Jesus Cristo, por amor, pagou o preço do nosso pecado. Foi ali também que Ele nos atraiu e nos incluiu em sua morte a fim de que o corpo do pecado viesse a ser destruído para que fôssemos libertos do poder e da escravidão do pecado. Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”. Quando fomos incluídos em Cristo para morrermos com Ele, fomos justificados do pecado. Romanos 6:7 – “porquanto quem morreu está justificado do pecado”. Antes dessa morte para o pecado, vivíamos para nós mesmos a fim de satisfazer os desejos do pecado que reinava em nós. Mas ao ser crucificado com Cristo, morremos para o pecado, o pecado perdeu o poder de domínio sobre nós. Morremos de uma vez para sempre para o pecado. Romanos 6:10 – “Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus”. Na cruz, Cristo nos libertou do pecado! Agora não precisamos mais viver debaixo da escravidão do pecado. Romanos 6:17,18,22 – “Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues; e, uma vez libertos do pecado, fostes feitos servos da justiça. Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna;”. Por causa do Cristo crucificado, hoje posso considerar-me morto para o pecado e vivo para Deus (Romanos 6:11). Agora sou livre do pecado, graças à Cristo, o crucificado. Não estou mais debaixo do domínio do pecado. Romanos 6:14 – “Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça”. Jesus Cristo, na obra da cruz tratou plenamente do meu pecado de modo que agora não preciso mais viver no pecado, pois morri para o pecado para sempre. Romanos 6:1 e 2 – “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante? De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos?”. Esta é a obra e a finalidade da cruz. A finalidade primária da cruz não foi para nos livrar do Diabo. Se o homem continuar no pecado, não existe cruz neste mundo que possa livrá-lo do Diabo. Mas pela inclusão na morte e ressurreição com Cristo, somos libertos do pecado e conseqüentemente o maligno não pode nos tocar. O segredo para não ter medo do inimigo é simplesmente nascer de novo. Como? Pela inclusão na morte e ressurreição com Cristo. O novo nascido é aquele que creu na mensagem da cruz, na sua atração, inclusão, morte, sepultamento e ressurreição com Cristo. O novo nascido é aquele que foi totalmente liberto do poder do pecado e agora não vive mais na prática dele (I João 3:9). Sendo assim, o maligno não pode tocá-lo. I João 5:18 – “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca”. As pessoas, com medo de Satanás, fazem o sinal da cruz e pensam que estão protegidas. Isto é um engano! Somente quem foi crucificado com Cristo é que está protegido do inimigo porque, na cruz, Deus tratou de libertá-lo do pecado. O segredo de o diabo atormentar uma pessoa está no pecado que habita nela. Mas, pela cruz, Deus trata do pecado primeiramente, e então, o Diabo não pode mais tocar na pessoa tratada pela ação da cruz. Quando vejo os jogadores de futebol fazendo o sinal da cruz e entrando com o pé direito no campo, fico desejoso de que eles conheçam a mensagem da cruz e saibam que um simples sinal não os protege de coisa alguma. Um costume arraigado pela religião não pode livrar o homem. É preciso crer na palavra do Senhor Jesus: “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo”. A cruz é um fato espetacular, onde Jesus nos fez morrer com Ele para o pecado. Agora temos a vida eterna em Cristo Jesus e o pecado não poderá mais cobrar a morte de nós, aleluia! Romanos 6:23 – “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”. O salário da morte foi pago pelo sangue da Sua cruz. Toda dívida foi cancelada (Colossenses 2:14). Na cruz, o próprio Senhor disse: Está consumado! Quando, pela cruz de Cristo, somos libertos do pecado e recebemos a vida do Senhor, somos tremendamente impactados pela ação da cruz. Quando vivemos livres do poder do pecado, sem a prática do pecado, ficamos totalmente impactados com a nova vida de comunhão e paz com Deus. Tudo porque, Jesus Cristo foi para a cruz. Não existe cruz sem Jesus. A cruz só tem eficácia por causa de Jesus Cristo. Enquanto os religiosos dão ênfase na cruz, o novo nascido dá ênfase no Cristo crucificado. Para nós, não se trata de um simples sinal ou um simples madeiro; mas trata-se do Filho de Deus, crucificado e ressuscitado dentre os mortos. Aquele que esteve morto, mas eis que vive pelos séculos dos séculos. Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Aquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados. Ele é o Alfa e o Ômega, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso (Apocalipse 1:5,8). Aquele que conhece a cruz de Cristo e o Cristo da cruz será tremendamente impactado pela obra que Ele realizou na cruz. Aí sim heim? Aí brother, tudo funciona!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada  –   Cristo vive em nós

Maringá, Julho de 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s