O CORDEIRO DE DEUS

Uma pergunta: O que você mais gosta em sua igreja? Louvor, comunhão, adoração, pregação, oração, lanche?

cordeirodeDeusConhecer Jesus Cristo é a mais fantástica experiência para o ser humano. Não há nada mais precioso do que conhecer intimamente o Senhor Jesus Cristo. Não apenas o Jesus histórico; porém, o Cristo ressurreto, o TODO PODEROSO. Passeando pelo Novo Testamento, vemos que muitas pessoas viram o Senhor; porém, não chegaram a conhecê-Lo. Entre estes se encontram os fariseus, os líderes judaicos, Pôncio Pilatos, Herodes, o jovem rico e uma grande multidão. Em contrapartida, alguns poucos O conheceram. Os apóstolos, Maria Madalena, Nicodemos, José de Arimatéia, João Batista. Este último foi primo do Senhor, o último dos profetas, um servo exemplar. Tom Cruise fez um filme chamado: “O último samurai”; onde vemos a saga de um samurai que foi morto em batalha pelo sistema maquiavélico dos modernistas. João Batista também foi morto pelo sistema judaico-romano da época. Apesar de o Senhor Jesus ser mais novo em idade do que João Batista; não obstante, João creu em Jesus. João Batista foi enviado por Deus para testificar da verdadeira luz (João 1:6-8). Apesar de João Batista ser a “estrela da vez”, ter os holofotes sobre ele; dizia com clareza que não era o Cristo e que, Este, estava por vir. João não chamava atenção para si, mas para Jesus. Dizia que Jesus era quem tinha a primazia e que ele próprio não era digno sequer de desatar-lhe as sandálias. Todos queriam saber se ele era um profeta, se era Elias, se era o próprio Cristo. Sua resposta firme, clara e direta sempre era: não sou! Ele não aceitava nenhuma glória, sempre transferia para Jesus. João Batista não se fazia o centro apesar das circunstâncias favorecerem. Ele dizia que batizava com água, mas Aquele que estava para vir batizaria com o Espírito Santo e fogo. Jesus Cristo era o seu centro, a razão de sua vinda. Este é o verdadeiro servo. Ainda que os homens queiram agradá-lo, logo apresenta Jesus Cristo. Esta é uma das características do verdadeiro enviado de Deus. João 1:6 – “Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João”. O enviado de Deus sempre aponta para o Verbo, para o Senhor Jesus; nunca para si. O próprio Senhor confirmou que João Batista testificou da verdade. João 5:33 –  “Mandastes mensageiros a João, e ele  deu testemunho da verdade”. O Senhor Jesus diz mais adiante em João 7:18 – “Quem fala por si mesmo está procurando a sua própria glória; mas o que procura a glória de quem o enviou, esse é verdadeiro, e nele não há injustiça”. João Batista não procurou sua própria glória; estava sempre glorificando o Senhor Jesus. Isto o autentificava como um verdadeiro servo. Aqui estão algumas evidências do verdadeiro servo de Deus. Ele é enviado por Deus (João 1:6); ele sempre aponta para Cristo (João 1:29,36). Ele sempre glorifica Cristo.

O Senhor Jesus também foi um servo enviado pelo Pai (João 7:16,28,29; 8:16,18; 9:4). O servo verdadeiro não fala suas próprias palavras; mas as do Pai (João 7:16; 12:49,50). O verdadeiro servo não fala de si mesmo (João 7:18). O verdadeiro servo agrada ao Pai (João 8:29).

João Batista foi um verdadeiro servo de Deus porque apontou para o Cordeiro de Deus. João 1:29 – “No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. João Batista apontou para a obra do Cordeiro. Ao dizer sobre o Cordeiro que tira o pecado do mundo, ele apontava para a morte vicária de Jesus. A ênfase estava na obra do Senhor! No início da vida cristã amamos as coisas que Deus faz; que Deus concede; enfim, amamos a paz, a alegria da comunhão com os irmãos, o perdão dos pecados, a salvação e os ministérios na igreja. Na vida de João Batista não foi diferente. No início, falou da obra de Jesus. Em seguida, teve a experiência de batizar o próprio Senhor e nesta ocasião viu algo tremendo. Ele viu o Espírito Santo pousar sobre Ele em forma de pomba e ouviu a voz do Pai. O próprio João Batista testifica sua visão. João 1:34 – “Pois eu, de fato, vi e tenho testificado que ele é o Filho de Deus”. Até que tenhamos visto o Senhor Jesus, até que recebamos do Pai a revelação do Filho, até que passemos pela cruz; a nossa ênfase está no que Jesus Cristo pode fazer por nós. Freqüentamos a igreja sempre com o objetivo de receber bênçãos e outras coisas mais. Procuramos sempre a alegria da comunhão com os irmãos, o gozo de entoar cânticos de louvor e a satisfação de exercer algum ministério na igreja.

João Batista viu o Senhor, conheceu o Senhor. O Pai lhe deu a revelação do Filho. Tudo mudou em João Batista. No dia seguinte, novamente apontou para Jesus; porém, com nova ênfase. João 1:35 – “No dia seguinte, estava João outra vez na companhia de dois dos seus discípulos e, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus!”. João Batista não repetiu a ênfase na obra do Senhor. Ele não disse que o Cordeiro iria tirar nossos pecados. Agora ele disse apenas do Cordeiro de Deus e ponto final. A ênfase agora não estava sobre a obra; agora era simplesmente a Pessoa do Cordeiro. A PESSOA DE JESUS CRISTO ERA TUDO.

Há tantos crentes e obreiros que dão ênfase na obra e não na Pessoa. Somente aqueles que recebem a revelação do Pai a respeito do Filho, passam a dar ênfase no Filho. Somente os nascidos de novo podem experimentar a Pessoa do Cordeiro. Muitos ainda permanecem no primeiro estágio e estes apenas esperam e desejam algo de Deus. O nascido de novo; no entanto, que tem o Senhor, deseja apenas a Pessoa Dele. Cristo é tudo que importa ao cristão. Após a inclusão na morte de Jesus na cruz experimentamos a vida de Cristo. Como nascido de novo, a vida de Cristo é que flui, a Pessoa de Cristo torna-se totalmente essencial. A ênfase, o centro, o motivo passa a ser a Pessoa de Cristo. Quando apreciamos verdadeiramente uma pessoa, é pelo que ela é; não pelo que ela faz. Conhecer a obra da cruz é tremendo; mas conhecer o próprio Cristo é totalmente maravilhoso. A igreja não pode parar na cruz de Cristo; sua ênfase não pode estar somente na cruz e aí estacionar. A igreja precisa passar de estágio e chegar à Pessoa de Cristo. A cruz é o meio de chegar até Cristo. Precisamos amar a Cristo mais do que a cruz. O objetivo da cruz é Cristo e não ela mesma. Agradecemos ao Senhor por sua morte na cruz; mas O louvamos pelo que Ele é. Agradecemos profundamente ao Cristo crucificado; porém, agora adoramos e glorificamos ao Rei da glória, que se assenta à destra do Pai. Olhamos para o Cristo crucificado e sentimos profunda gratidão; mas agora, contemplamos o Cristo glorificado e imediatamente O adoramos. Não esperemos nada Dele; apenas O desejemos. Não importam o céu, as bênçãos, as vitórias. Importa apenas a Pessoa de CRISTO.

JESUS CRISTO, O CORDEIRO, ELE MESMO!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Novembro de 2013.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s