A ESSÊNCIA DO PECADO – PARTE 01

Romanos 5:12 – “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mudo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.

pecadoQuando falamos de pecados, logo reportamos à atos tipo: assassinato, roubo, prostituição e etc. O conceito de pecados para a maioria são atos reprováveis diante de Deus e dos homens. Poucos tem a revelação da “essência do pecado”. No sermão do monte o Senhor Jesus mostra um pouco desta questão. Mateus 5:27-28 – “Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela”. Enquanto as pessoas veem o exterior, o Senhor mostra que o princípio do pecado, a essência do pecado vem do interior, está no coração. Marcos 7:23 – “Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem”.

Quando a Bíblia fala do pecado, no singular, está falando da essência do pecado, da natureza do pecado e não dos atos pecaminosos. Quando a Bíblia fala dos pecados, no plural, fala-se de atos provenientes do pecado. O homem peca porque já nasce pecador. A essência do pecado habita no homem; por isso ele pratica pecados. Romanos 7:20 – “Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim”.

Adão não nasceu em pecado como nós. Deus criou Adão sem pecado, sem a natureza de pecado. Quando, porém, resolveu ser como Deus, isto é, independente e auto suficiente, então o pecado entrou em seu coração. A essência do pecado de Adão foi a independência de Deus. Ele desejou não precisar mais de Deus a fim de viver sua própria vida, a seu bel prazer. Aí está a essência do pecado: INDEPENDÊNCIA DE DEUS. A partir daí Adão assumiu o governo de sua própria vida. Foi expulso do Paraíso e precisou trabalhar para sustentar a si e a família. Gênesis 3:19 – “No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela fostes formado; porque tu és pó e ao pó tornarás”. Adão passou a viver sem Deus. Este foi o pecado capital. Pecado é a independência de Deus, a rebelião contra a Palavra de Deus. Pecado é tentar viver sem Deus, sem o temor de Deus, sem a vida de Deus em nós. Quando Deus não é Deus em nossa vida, isto é pecado. Viver sem Deus e achar que pode viver sem Ele é a essência do pecado. O pecador vive por si, sempre querendo para si, sempre buscando para si, sempre tentando ganhar para si. Ele busca a independência o tempo todo. Desde o nascimento, a essência do pecado está agindo na criança para fazer dela uma criatura independente. A sociedade e a família ensina e educa para que sejam independentes. Independência é morte! Infelizmente o pecado entrou no mundo através de Adão e isto vem desde então e não tem como mudar. Não há remédio para este mal senão pela cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso a cruz é vital!

A essência do pecado está tão arraigada no coração do homem que este nem percebe que vive em constante rebelião diante de Deus. Quando o trabalho e o ganho financeiro ocupa o lugar de Jesus em nosso coração, isto é pecado! É o pecado que impulsiona o homem a querer tudo, a conquistar tudo para si nesta vida. O pecado domina de tal forma que as pessoas mentem, roubam, trapaceiam, brigam e até matam para conseguir as coisas para si. A vida de uma pessoa gira em torno de seu pecado até que, pela inclusão na morte e ressurreição de Cristo, a essência do pecado seja destruída e Cristo passa a viver nela.

Enquanto não conhecemos a cruz de Cristo, ainda que frequentemos uma igreja, somos grandes pecadores aos olhos de Deus. Queremos mandar nos outros, gostamos de controlar a vida dos outros, falamos mal dos outros, julgamos e condenamos com o maior prazer. Pais querem controlar a vida dos filhos adultos, chantagem da esposa para com o marido, filhos rebeldes que ameaçam os pais, maridos agressivos que gritam com a esposa. Patrões soberbos que oprimem os empregados mais simples. Pessoas que aproveitam dos mais fracos e indefesos. Tudo isto revela a natureza pecaminosa do ser humano. A sociedade, a educação e a religião jamais mudará esta natureza. Somente a obra da cruz tem poder para acabar com esta natureza adâmica e nos dar a natureza de Cristo. Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”. Veja bem que não está escrito: “pecados”, no plural e, sim, “pecado”, no singular. Isto porque se refere à essência do pecado, a natureza do pecado que herdamos de Adão. A obra da cruz é poderosa e maravilhosa, pois libertou do domínio do pecado e nos trouxe Cristo, o Senhor. Cristão é aquele que foi tirado da escravidão do pecado para ser servo do Senhor Jesus. Houve uma mudança no comando da nossa vida: não mais o pecado; agora é Cristo, o Senhor.

JESUS CRISTO É O SENHOR! Que afirmação maravilhosa e libertadora. Entregar-nos à Ele inteiramente e viver debaixo do seu senhorio é viver livre do pecado. Jesus Cristo é o único que pode nos salvar do pecado e nos deixar verdadeiramente livres. João 8:36 – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Cristão é aquele que foi libertado do pecado e agora vive em total submissão à Jesus Cristo.

Se você ainda gosta de mandar nos outros, controlar a vida dos outros; então está longe de ser um cristão. Se você ainda é um rebelde que procura sempre impor sua vontade, seja por atos, palavras ou até mesmo em silêncio, então definitivamente você não é um cristão. Se você é daquele que não presta contas para ninguém, não se submete às suas autoridades, então você ainda não é um cristão. Se você é um solitário, depressivo e cheio de autocomiseração, então está longe de ser um cristão. Se você é ciumento ou invejoso, prova que você ainda é um grande pecador vivendo na essência do pecado. Os crimes de roubo, estupro, assassinato e outros mais são movidos pela essência do pecado que diz: eu posso, eu quero, eu mereço, eu não gosto, eu não aceito, eu faço justiça. A essência do pecado está também em coisas que não são consideradas crimes e nem constam no código penal brasileiro. Uma senhora disse para uma amiga: Eu não fumo, não bebo, não tenho carros, não gasto com nada. Então pego parte do meu salário e compro o que mais gosto: calçados e mais calçados, sandálias e mais sandálias. Isto eu mereço, disse ela. Ela disse que nestes dias a nora abriu seu guarda roupa e ficou chocada ao ver tantos calçados. Ela respondeu à nora dizendo que é o seu único hobby e que é merecedora de tudo aquilo. A essência do pecado é achar que somos merecedores ou dignos. Essas pessoas jamais entendem a graça de Deus. Quando somos salvos do pecado, reconhecemos finalmente a graça de Deus. Não há dúvidas que somos salvos pela graça (Efésios 2:8). Todos os ímpios e os crentes mundanos são pecadores pois vivem independentemente de Deus.

Nas peladas de futebol, os peladeiros vão para a frente só para fazer gol. Futebol tem posição a ser guardada, mas a vontade de aparecer, fazer sucesso e se sentir “o cara” é tão grande que ele não se importa com o time. Ele quer fazer o gol, ser o salvador da pátria, o craque do time. A menina quer ser a mais bonitinha, a mais paparicada. O homem quer ser o maior vendedor das casas Bahia. E assim por diante, todos querem ser, mas não sabem o quão pecador é quando vivem independentemente de Deus.

Para que não continuemos nesta vida mesquinha e medíocre, vamos saber sobre a essência do pecado que habita em nós. Vamos lembrar que quando desobedecemos à Palavra de Deus e assumimos o controle de nossa própria vida, vivemos como um clássico e autêntico pecador. Pecar não é praticar atos errados; é ser errado por dentro. É assumir uma deliberada e decisiva atitude de independência de Deus. O pecado é uma rebelião contra o governo de Deus. É inimizade contra Deus. A maioria dos homens vivem assim e não sabem que estão em pecado. Nossa consciência raramente tem perfeito conhecimento da natureza do pecado. Aquele que, pela graça de Deus, recebe esta revelação, sabe que não pode fazer nada para salvar-se desta natureza pecaminosa. Em João 8:34, o Senhor diz que aquele que pratica o pecado é escravo do pecado. A salvação de Deus consiste em, pela cruz, salvar-nos de nós mesmos. Quando não mais nós somos o senhor de nós mesmos, mas Cristo, entendemos que Deus nos tirou da rebelião contra Ele. Alegramo-nos no fato de Cristo ser o nosso Senhor. Aquilo que mais valorizávamos que era o controle de nós mesmos, tornou-se algo abominável. Entendemos que recebemos uma tão grande salvação. Então, jamais voltamos a uma atitude de independência. Agora, em tudo, dependemos de Deus, vivemos para obedecê-lo e agradá-lo.

Veja o exemplo do Senhor Jesus. No evangelho de João vemos o Senhor deixando claro que não vivia como ele próprio queria. Ele não veio a este mundo para governar e ser servido. Ele veio para agradar o Pai, fazer a vontade do Pai, glorificar o Pai. João 6:38 – “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou”. João 8:29 – “E aquele que me enviou está comigo, não me deixou só, porque eu faço sempre o que lhe agrada”. O Senhor viveu uma vida Teocêntrica enquanto aqui esteve. Ele é o exemplo! Mesmo diante da morte, não procurou sua vontade, mas a do Pai. Marcos 14:36 – “E dizia: Aba, Pai, tudo te é possível; passa de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres”.

A essência do pecado é: EU QUERO SER INDEPENDENTE!

A essência da salvação é: NÃO EU, MAS CRISTO!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami     

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Fevereiro de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s