A ESSÊNCIA DO PECADO – PARTE 02

essenciaUma das grandes necessidades do ser humano é a de ser “guiado”. Desde o nascimento até à morte física, o homem sempre está sendo guiado por alguém. Em todos os setores, quer privado ou público, temos alguém guiando e a maioria sendo guiada. Deus sabe desta nossa mais primária necessidade; por isso, providenciou em Seu Filho, o nosso suprimento. Ele é o Pastor, o Mestre, o Senhor, o Rei, a Luz, o Caminho e, em todos eles, existe o suprimento quanto à nossa carência de direcionamento. Ele nos supre, pois é o Guia. Mateus 2:6 – “E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel”. Em Cristo temos todos os conselhos, ensinos e direção. Ninguém há que possa substituí-lo nesta tarefa. Somente Cristo é capaz de nos guiar. Aprender a segui-lo é de fundamental importância. Se Ele não for a nossa luz, certamente andaremos nas trevas. João 8:12 – “De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”. O rei Davi sabia da importância do Senhor ser a sua luz. Salmo 27:1 – “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo?”. Alegremente dizia que era uma ovelhinha pastoreada pelo Senhor. Salmo 23:1 – “O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.”. No verso três: “Guia-me pelas veredas da justiça”. À Tomé, que parecia um tanto perdido, o Senhor se apresentou como o Caminho. João 14:6 – “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. Jesus Cristo nos foi dado pelo Pai para nos suprir em nosso caminhar até ao céu. Precisamos aprender a segui-Lo ouvindo Sua voz. João 10:27 – “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem”. Quando não estamos ouvindo a voz do Senhor Jesus, existe o risco de deixarmos de segui-Lo. Quando isto acontece, ou estamos sendo guiados por alguém ou estamos sendo guiados cegamente por nós mesmos. Aliás, é bem aí que se encontra uma das nossas grandes enfermidades. Queremos ser o próprio guia, o próprio caminho, a própria luz. Nestes dias um amigo me disse que sua netinha de quatro anos disse para a avó: “vó, não venha me ensinar, eu já sei!”. De fato, nascemos com a doença herdada de Adão chamada “independência”. Amamos governar a própria vida e a chamamos de liberdade, quando na verdade, é puro engano. Os filhos adolescentes não suportam estar debaixo dos olhares dos pais. Os jovens fogem para bem longe da presença dos pais. As pessoas gostam de se sentir, digamos assim, “em liberdade”; mas na realidade, elas gostam de ser o dono do próprio nariz. Não suportam a ideia de serem governados porque amam governar a si mesmo. Aí está a essência do pecado. A essência do pecado é nossa alegação de que temos direitos sobre nós mesmos. Queremos ir para onde queremos; fazer o que queremos, falar o que queremos falar. Somos tipo: Ninguém se intrometa comigo! Sou o que sou, faço o que quero e ninguém manda em mim. Essa natureza cheia de si mesma, arrogante e soberba, sempre achando que tudo pode e tudo merece, é a essência do pecado. A justiça humana atenta para os crimes que se cometem; mas Deus vê a essência do pecado. O que Deus requer de nós é que nos rendamos à Ele, nos entreguemos submissos à Ele. Ele não aceita menos do que a direção total de nossa vida. Precisamos abrir mão do direito de governar a própria vida, pois não é nosso; é de Deus. A ideia que o homem mais detesta é a de que ele não pode ser senhor de sua própria vida. O Senhor não negocia este ponto. Ele disse em Lucas 9:23 – “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me”. A si mesmo se negue, isto é, abra mão do direito sobre sua própria vida. Ele não disse para negar os prazeres, os pecados, os negócios. Ele disse para negar a sua vida toda, isto é, o governo de sua vida. A questão é: será que estou disposto a abrir mão do governo de minha vida e entregá-lo a Jesus Cristo?

No primeiro estudo vimos que a essência do pecado é o desejo de viver independentemente de Deus e, neste; é o desejo de governar a própria vida. É impressionante como o mundo nos incentiva a viver segundo a essência do pecado. As pessoas que não tem a revelação de Deus a esse respeito, vivem como se, governar a própria vida, fosse a coisa mais natural. As pessoas que não estão sujeitas à Cristo pensam que governam a própria vida quando, na realidade, estão sendo governadas pelo inimigo. Efésios 2:2-3 – “nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais”. O homem que pensa estar governando sua própria vida, na realidade, está sendo governado pelo inimigo.

Quando, pela inclusão na morte de Jesus na cruz, nascemos de novo, o verdadeiro Guia e Mestre vem habitar em nós para nos conduzir. Que privilégio! Aquele que, pela cruz, morreu para si e agora vive sob o senhorio de Cristo, certamente é um bem-aventurado. Estar submisso ao Senhor Jesus em todas as áreas da vida é uma tremenda graça. Que satisfação é ser de Cristo!

Será que Jesus Cristo exerce pleno domínio sobre você? Você está totalmente submisso ao Senhor Jesus? Tem andado Nele tendo-O como Senhor de sua vida? Colossenses 2:6-7 – “Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele, nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graça”.

Que, pela cruz, Deus tire de nós o governo e passe à Jesus Cristo, o Rei e Soberano. À Ele foi dada toda a autoridade, tanto no céu como na terra (Mateus 28:18). Que Ele, somente Ele, governe nossa vida a fim de que não vivamos mais na essência do pecado.

Entreguemos ao Senhor Jesus todo o governo de nossa vida para sempre. À Ele pertence o domínio por séculos sem fim (Apocalipse 5:13).

JESUS CRISTO, o bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores; o único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver. A ele honra e poder eterno. Amém! (I Timóteo 6:15-16).

Entreguemos à Jesus Cristo, o Rei da Glória, o governo de nossa vida para que sejamos supridos, guardados, guiados e abençoados.

 

NÃO MAIS EU, MAS CRISTO, É A CURA DA ESSÊNCIADO PECADO.

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Fevereiro de 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s