GLORIANDO NA CRUZ – PARTE 10

Gálatas 6:14 – “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo”.

gloriando_10Muitos não perceberam o peso destas palavras porque ainda não chegaram a odiar o mundo. Ainda não perceberam o quão malévolo é o mundo. Desconhecem este terrível inimigo que aprisiona e assassina aos milhões e milhões. Ele vem travestido de amigo, cheio de atrações que satisfazem a carne, o ego e os olhos. Apresenta-se de modo tão fascinante e maravilhoso; porém é a cilada do diabo para fazer desviar de Deus, escravizar e matar. Alguém disse que o mundo é a ante sala do inferno. Deus apresenta o mundo como “perverso” (Gálata 1:4); “tenebroso” (Efésios 6:12); como o que “jaz no maligno” (I João 5:19). Diz ainda que o curso deste mundo é regido por satanás (Efésios 2:2-3). Estas afirmações já seriam suficiente para odiarmos o mundo. Porém, Deus vai além e diz que o mundo determina se somos ou não Seus amigos. Tiago 4:4 – “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. Isto é um ultimato! Ou somos amigos do mundo ou de Deus. Não tem meio termo. Aqueles que se dizem crentes e amam o mundo são tidos como adúlteros, traidores, hipócritas, infiéis. O cristão precisa entender que não tem como viver para Deus e para o mundo ao mesmo tempo. A cruz é o instrumento de Deus para nos fazer morrer para o sistema do mundo. Os crucificados que morrem para o mundo podem, finalmente, viver para Deus. O apóstolo Paulo diz que se gloria na cruz e sua razão não é o fato de agora ser um cristão ou filho de Deus. A razão clara, aqui expressa, é o fato de ter morrido para o mundo e o mundo para ele. Dá a entender que este terrível inimigo exerceu tamanha opressão e engano sobre ele por muitos anos. Finalmente, na cruz de Cristo, o apóstolo foi liberto deste sistema maligno e mortal. A cruz foi crucial para salvá-lo deste mundo. Sua alegria era imensa ao ver o seu terrível e mortal inimigo subjugado pela cruz. Pela cruz, Deus o livrara do império das trevas. O mundo nada mais é do que o império das trevas travestido de luz. Paulo se gloria na cruz por ter recebido tão grande salvação. Através da cruz, ele foi salvo das garras do sistema deste mundo maligno. O mundo, segundo a Bíblia, não tem nada a ver com a criação de Deus e, sim, com o sistema satânico que o controla. O mundo é a ostentação, o agrado da carne, dos olhos e de si mesmo. É a sociedade dos que não estão em Cristo Jesus. Os mundanos buscam agradar outros para proveito próprio, tem um estilo de vida egocêntrico e carnal. Caracterizam-se por serem desleais, impuros, traidores e espertalhões. Vivem para a sua própria satisfação, jamais para Deus. Acham que o importante é construir para esta vida; para eles, é o aqui e o agora. No grego clássico há uma palavra: “xenos”, que significa = estranho ou forasteiro. Esta palavra contrasta com “polités” = cidadão do país e, com “epischórios” = habitante da terra e, com “endêmos” = nativo do país. As Escrituras repetem várias vezes que somos peregrinos e estrangeiros neste mundo. Hebreus 11:13 – “Todos morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra”. E no verso 16 diz que “agora, aspiram uma pátria superior, isto é, celestial”.  O apóstolo diz que se gloriava somente na cruz de nosso Senhor, pois por ela foi desarraigado deste mundo perverso. Gálatas 1:4 – “o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai”. Isto incluía não só ser liberto deste mundo como também de si mesmo. Na cruz, o apóstolo fora de todo, liberto da escravidão do mundo e de si mesmo. Tamanha liberdade o levou a dizer aos irmãos de Roma, a grande cidade mundana da época, a não se conformarem com o sistema deste século. Como pastor, dizia às ovelhas de Roma para não viverem segundo o curso deste mundo; pedia para não se conformarem com este mundo. Romanos 12:2 – “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. O apóstolo Pedro também tinha, como pastor, essa mesma preocupação com os irmãos da igreja; por isso, dizia: “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma” (I Pedro 2:11). O mundo desperta as paixões carnais e quando os crentes caem nesta cilada, logo se afastam-se do Deus vivo. Começam a viver no mundo segundo os desejos da carne, dos olhos e da soberba da vida. Desapercebidos, criam raízes neste mundo perverso e acabam perecendo sem nenhuma esperança do porvir. Os mundanos desejam tanto as coisas deste mundo que acabam por esquecer e buscar as coisas do Alto. Tudo é muito sutil e natural para os que não estão em Cristo Jesus. O Senhor Jesus, pouco antes de sua volta ao Céu, rogou ao Pai para guardar os discípulos neste mundo. João 17:11 – “Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti. Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste, para que eles sejam um, assim como nós”. O Senhor Jesus e os apóstolo sabiam do perigo que o mundo representa para os discípulos. Nada mudou desde então; por isso, precisamos atentar para as palavras deles. O apóstolo João dizia com todo o amor e seriedade: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” (I João 2:15-17). Amar o mundo e as coisas que nele há é virar as costas para Deus e ir em direção à morte e ao inferno. O caminho da cruz é exatamente o inverso do mundo. A única maneira de evitar a cruz é seguir o mundo até o inferno. Segundo as palavras dos versos acima, o mundo é como uma grande árvore marcada para o machado do Lenhador. Porque, pois, desejar, desesperadamente, construir nosso ninho nele? A verdade é que, quanto mais nos envolvemos com este mundo, tanto menos nos preocupamos com o céu. Quanto mais seguimos o caminho da cruz, tanto menos nos preocupamos com este mundo. A glória do apóstolo consistia em, pela cruz, estar morto para este mundo e este mundo para ele. Não amar este mundo e amar o Senhor Jesus consistia na glória deste servo de Deus. Estar crucificado para o mundo e o mundo para nós; eis nossa glória também. Somente aqueles que morreram para este mundo podem experimentar a glória da cruz. Vemos em Gálatas 6:14 a palavra:“SENÃO NA CRUZ”; isto porque não há nenhuma outra opção além dela. Somente a cruz pode apagar o fascínio maligno deste mundo. Há um peixe predador que tem em sua testa um membro parecido com uma minhoca. Os peixes ingênuos e famintos são atraídos e, ao se aproximarem, são abocanhados pelo astuto predador. Assim é o mundo! Ser livre dele é fantástico! Alegremo-nos e exultemo-nos pela maravilhosa cruz de nosso Senhor Jesus Cristo.

NELA PODEMOS NOS GLORIAR!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Junho de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s