A CRUZ, NOSSA ALEGRIA

Gálatas 6:14 – “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo”.

cruzSem dúvida, a cruz é o maior espetáculo da Terra. Dizem que há sete maravilhas; porém, nenhuma delas se compara à cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. Essas maravilhas naturais são meras criações Daquele que nos amou na cruz do Calvário. Nenhuma destas maravilhas trazem benefícios como a cruz. Enquanto essas maravilhas alegram os olhos, a cruz alegra o novo coração. As maravilhas da natureza são apenas contempladas de longe; mas a cruz é tocada e vivida a cada dia. Enquanto as maravilhas alegram a alma, a cruz alegra toda a nossa vida. As maravilhas não podem nos transformar à semelhança do maravilhoso Salvador; mas a cruz pode. Sendo assim, a cruz é, sem dúvida, a maior maravilha do mundo. Nela há vida, libertação e salvação.

O que faz desta cruz tão especial é Aquele que nela foi cravado. Jesus Cristo, o Deus Homem, Santo, Perfeito, Inculpável, sem mácula e mais alto do que o céu (Hebreus 7:26). A Pessoa e a Obra do Filho de Deus a mais de dois mil anos atrás no Gólgata, faz deste fato, o maior de todos. Nunca houve fato tão marcante e crucial em toda a história da humanidade. Essa cruz mudou o destino da humanidade para sempre. O pecador condenado foi salvo eternamente, aleluia! Que alegria! Podemos, sem dúvida, gloriar nessa bendita cruz.

A revelação da minha inclusão na morte e ressurreição de Jesus mudou completamente minha vida e visão. Antes da minha conscientização da minha co-morte com Cristo, a sexta-feira da paixão era algo triste e melancólico. Como um católico fervoroso e sincero, não comia carne nesta semana e passava os dias em tristeza pela morte de Jesus Cristo na cruz do Calvário. Esta era a semana mais triste do ano para mim. Lembro-me de quando na adolescência, assisti um filme sobre a Paixão de Cristo. Chorei muito quando o Senhor estava sendo açoitado pelos soldados romanos. Fiquei tão irado que cheguei a cerrar os punhos com imenso desejo de esmurrar os soldados. Queria a qualquer custo defender a Jesus. Sexta-feira santa, que calamidade, que tristeza; assim era quando ainda não conhecia a cruz de nosso Senhor Jesus Cristo.

Enquanto a cruz era apenas a morte substitutiva de Jesus por nós, tudo continuava como dantes, sem nenhuma mudança. Até o triste e sombrio cenário continuava o mesmo. Pastoreava a igreja sem ser uma nova criatura; por isso, tudo que era e fazia provinha do velho homem. Não havia a manifestação da nova vida de Cristo em mim e nem na igreja. Desconhecíamos a fantástica INCLUSÃO na morte de nosso Senhor. De fato, naquela bendita cruz, quando o Senhor foi levantado da terra, pendurado naquele madeiro, Ele nos atraiu, Nele, para que morrêssemos juntamente com Ele. João 12:32 – “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo”. Naquela cruz, houve nossa morte, pois havíamos sido incluídos em Cristo. Ali fomos batizados em Sua morte. Romanos 6:3 – “Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?”. Quando Jesus morreu naquela cruz, nós também morremos com Ele. Quando Ele foi sepultado, fomos sepultados com Ele. Romanos 6:4 – “Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida”. Verdadeiramente fomos unidos à Cristo em Sua morte e ressurreição. Romanos 6:5 – “Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição”.

A cruz nos alegra sobremaneira porque ali Deus nos fundiu para sempre com o Seu amado Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Não poderia haver algo mais maravilhoso do que entrar em comunhão perpétua com Cristo a fim de vivermos eternamente para o Deus Eterno. A cruz quebrou para sempre a vida do velho homem e trouxe para sempre o novo homem. A vida de Cristo começou a se manifestar em nós. Por isso, dizemos com toda a alegria: Já não sou eu mais quem vivo, mas Cristo vive em mim. Eu achava que este verso de Gálatas 2:19-20 era de Paulo, mas hoje vejo que é de todo aquele que foi feito uma nova criatura.

Foi nesta maravilhosa cruz que Deus nos libertou do poder e controle do pecado sobre nossa vida. Até então, vivíamos na escravidão miserável do pecado. Como um crente sincero, não queria pecar contra Deus; porém, acabava pecando e entristecendo o Espírito Santo. Vivia uma vida religiosa desgraçada e miserável. Era uma pessoa hipócrita e cheia de pecados. Eu era escravo do pecado; mas, na cruz, Deus me livrou desta terrível escravidão. Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”. Somente a inclusão na morte de cruz foi capaz de me livrar verdadeiramente do pecado. Na cruz, Jesus Cristo, o Filho de Deus, verdadeiramente me livrou do pecado. João 8:36 – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Na estupenda cruz, o Filho nos libertou do cativeiro do pecado. Cruz é libertação do pecado, não é isto maravilhoso? Como não alegrar nela? Ela é nossa alegria!

JESUS CRISTO, O CRUCIFICADO – fez toda a diferença na minha vida. Aquela bendita sexta-feira foi crucial para que houvesse nossa libertação do império das trevas e a consequente transferência para o reino do Rei Jesus. Colossenses 1:13 – “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor”. Foi pela cruz que nosso Senhor nos libertou do pecado, de satanás, do mundo e do ego. Vivíamos segundo o curso deste mundo tenebroso, onde a potestade de satanás imperava. Apesar de ser um crente, vivia conforme o curso deste mundo controlado pelo diabo. Estava neste império das trevas e não sabia. Efésios 2:1-3 – “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da vossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais”. A poderosa cruz nos desarraigou deste mundo perverso: Gálatas 1:4 – “Jesus Cristo se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai”. Que libertação maravilhosa! Não precisar mais viver na forma deste mundo foi uma mudança radical e maravilhosa. Não mais ser guiado e controlado pelo curso deste mundo é caminhar para o Alto. Fomos livres de ser arrastados para o abismo, para o lago do fogo eterno. Que livramento! A cruz foi tão poderosa e impactante que mudou o nosso destino para sempre. Podemos cantar com júbilo proclamando que a cruz nos fez morrer para este mundo e este mundo para nós. Gálatas 6:14 – “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo”. Isto é alegria! Nisto podemos nos gloriar! Na cruz podemos nos alegrar sobremaneira. A cruz traz benefícios eternos. Diferentemente da teologia da prosperidade que pensa somente neste mundo. A sexta-feira santa foi fantástica, estupenda e poderosa. Ela foi capaz de mudar o nosso melancólico semblante para sempre. A cruz é alegria eterna!

Na cruz com Cristo fomos libertos do pecado, do diabo, do mundo e do terrível ego. Nosso melancólico ego sempre procurava alegria nas coisas vazias deste mundo enganoso. Vivíamos em prol da satisfação deste rei folgado que chamamos de EU. Nossa vida era gasta somente para satisfazer a nós mesmos. Éramos escravos do próprio Eu. Foi quando a providencial cruz de Cristo nos atraiu e nos incluiu em Cristo a fim de que, esse reizinho metido a besta, fosse destronado. Na ressurreição, o verdadeiro e maravilhoso Rei veio reinar em nós. Jesus Cristo, o Rei da Glória vive e reina em nós. A cruz possibilitou esta primordial e crucial mudança em nós. A cruz possibilitou testemunhar de maneira triunfante e alegre: Estou crucificado com Cristo; portanto, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. Isto sim é vida e vida em abundância! Cristo é nossa Vida! Cristo é nossa alegria!

A cruz é alegria total! A cruz que provocou toda esta maravilhosa mudança só pode ser ALEGRIA. A cruz é nossa alegria! A cruz é a boa nova de grande alegria para todo o povo. Na cruz podemos ver o amor de Deus pipocando sobre toda a humanidade. Três dias depois da cruz, a poderosa vida da ressurreição emergiu. A ressurreição selou, confirmou e concretizou a alegria da cruz. Hoje vejo que é um absurdo ver a cruz como algo triste e medonho. Não tenho dúvidas de afirmar: A CRUZ É NOSSA ALEGRIA!

Sendo assim, devemos vive-la a cada dia, a cada momento para, jamais perdermos a alegria da alegre manifestação da vida de Jesus Cristo em nós. II Coríntios 4:10 – “levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo”. Aqueles que tem vivido a alegria da cruz, jamais deixa-a de lado; pelo contrário, quer, a todo momento, negar a si mesmo e tomá-la a fim de seguir o Mestre e Senhor por toda a eternidade. Não nos afastemos da alegria da cruz, jamais.

A ALEGRIA DA CRUZ É NOSSA!

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Agosto de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s