PROSSEGUINDO PARA O CÉU

Hebreus 11:16 – “Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade”.

prosseguindo para o céuA vida cristã é dinâmica e frutífera. Não há lugar para o comodismo e acomodação neste mundo. O inimigo procura atrair os peregrinos com as fascinações deste mundo. Marcos 4:18-19 – “Os outros, os semeados entre os espinhos, são os que ouvem a palavra, mas os cuidados do mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições, concorrendo, sufocam a palavra, ficando ela infrutífera”. O cristão que peregrina para o céu é fortemente tentado a se envolver com as coisas deste mundo. Esta é a cilada do inimigo para que ele não prossiga para o céu. O inimigo apresenta um mundo cheio de riquezas, entretenimentos e deleites. O mundo é atraente, sedutor e passível de se amar a ponto do cristão deixar o amado Salvador.

O apóstolo Paulo relata a respeito de um companheiro de missões chamado Demas. Este amou o mundo de tal maneira que abandonou Paulo (II Timóteo 4:10). Tiago, escritor da carta, irmão do Senhor Jesus, bispo em Jerusalém, de maneira contundente escreve à igreja dizendo: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4:4). Não tem meio termo: ou é de Deus ou é do mundo. Muitos crentes não tem o discernimento de que ao viver no mundo, já não é do Senhor, mesmo frequentando uma igreja evangélica. A Palavra de Deus é como uma espada de dois gumes, ela separa mesmo. Neste texto de Tiago, ela deixa claro: ou de Deus, ou do mundo. Aquele que peregrina para o céu deve olhar firmemente para Jesus, tirar os olhos deste mundo perverso e prosseguir com toda determinação. Precisamos “aspirar” ou desejar ardentemente, como escreve o escritor da carta aos Hebreus, (verso acima citado).

A igreja precisa atentar para as palavras registradas em Lucas 21:34 – “Acautelai-vos por vós mesmos, para que nunca vos suceda que o vosso coração fique sobrecarregado com as consequências da orgia, da embriaguez e das preocupações deste mundo, e para que aquele dia não venha sobre vós repentinamente como um laço”. Felizmente, o Senhor Jesus, através da Sua morte na cruz, nos desarraigou deste mundo perverso. Gálatas 1:4 – “Jesus Cristo se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai”. Através de uma vida crucificada, podemos prosseguir para o céu, pois, pela cruz, morremos para o mundo e o mundo para nós. Gálatas 6:14 – “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo”. Precisamos estar conscientes que o mundo é nosso inimigo e já foi vencido pelo Senhor Jesus (João 16:33). Precisamos ter uma postura radical e muito séria em relação ao mundo. Filmes, músicas e jogos são tão prazerosos que comem o nosso tempo e não sobra tempo para a preciosa comunhão com Jesus Cristo. Assim vamos nos enfraquecendo e ficamos sem forças para prosseguirmos ao céu.

Muitos cristãos estão prostrados e não avançam na caminha cristã, pois estão consumidos pelo estilo de vida mundano. Na Bíblia, o mundo é representado pelo Egito, lugar de opressão e escravidão. O Deus que cumpre promessas, depois de mais de cinco séculos, veio cumprir o que prometera à Abraão. A Terra de Canaã, a Terra Prometida, a Terra Santa, separada para o povo de Israel. O Soberano sobre toda a Terra havia dado esta terra para os descendentes de Abraão. Por isso, Moisés é chamado para libertá-los da escravidão do Egito. Nesta tremenda obra de libertação, o povo de Israel precisou passar pelo Mar Vermelho. Ali houve um milagre tremendo. O povo de Israel passou a pé enxuto e, quando Faraó e seu exército estava atravessando, foram engolidos pelo mar e pereceram.

As águas do Mar Vermelho fizeram separação entre o povo de Deus e o Egito. Não havia possibilidade de volta, o Egito ficou para trás. Agora só tinha a Terra Santa à frente. A passagem pelo Mar Vermelho representa o Novo Nascimento, onde o pecador é banhado pelo sangue de Cristo. O Mar Vermelho representa a cruz onde o precioso sangue foi derramado para nos redimir da escravidão do pecado e do mundo. A cruz é o único meio para morrermos para este mundo perverso e assim, continuar nossa peregrinação ao céu. Sem a vida crucificada não existe possibilidade de escaparmos da sedução deste mundo tenebroso. É fundamental vivermos a vida crucificada dia após dia para que alcancemos o céu.

O homem natural é aquele que vive no mundo e jamais nasceu de novo. Tudo do mundo é muito natural para ele. As tendências e modas do mundo fazem parte do seu estilo de vida. Tudo lhe agrada neste mundo. Jamais pensa no céu, nem sequer imagina como chegar lá. Sua vida está baseada neste mundo, seus anseios, seus sonhos, suas realizações se resumem neste mundo. Ele não entende e nem aceita as coisas do Espírito. É escravo do pecado e vive de acordo com a direção que satanás lhe impõe. Seu estilo de vida, cheio de pecados, roubos, mentiras e prostituição é tão natural. Leva uma vida coberta de maldições e tristezas. Este é o homem natural segundo as Escrituras.

Temos também o cristão carnal. Este passou pela cruz, nasceu de novo; no entanto, não cresce em direção à santificação. Continua se enlameando no mundo, amando o mundo, vivendo como um mundano. Apesar de Deus, pela cruz, ter liberto desta terrível escravidão, ele continua ligado ao mundo. Jesus Cristo não é o centro da vida dele. Ele gasta muitas horas de sua vida nas coisas deste mundo. Deus não tem primazia em sua vida. Vai à igreja, participa dos cultos, mas dificilmente lê a Bíblia e mantém uma comunhão viva com Jesus durante a semana. Está fascinado com as coisas do mundo. Antes mesmo de ler a Bíblia, já está ligado com o celular ou notebook. Diariamente passa horas navegando na internet, procura sempre preencher o vazio da alma com as coisas engraçadas que a internet lhe proporciona. O inimigo é tão astuto que leva o cristão carnal a pensar que o notebook é tão útil, é instrumento de trabalho, é indispensável, ninguém vive sem.

O cristão carnal não consegue discernir que junto com a carne fresca, vem o veneno, que vai matando pouco a pouco a fé e a vitalidade espiritual. Não é errado ter um notebook e usá-lo para trabalhar. O perigo está na escravidão que ele impõe e no tempo que se consome com ele. O problema também está no que estamos vendo através da internet. O que tem sido nosso alimento no dia-a-dia através daquilo que vemos e ouvimos? A coisa é tão sutil que o crente carnal já não percebe mais. O mundo tornou-se parte de sua vida. Seu estilo de vida é totalmente mundano e ele não sabe. Mateus 6:22-23 – “São os teus olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”.

O crente carnal e mundano não consegue ir para a frente, em direção à Terra Santa. Sua direção é o mundo e esta direção é contrária à que o cristão precisa ir. Por isso ele não consegue ir para o céu. O mundo é um assunto sério, pois leva-nos exatamente na direção contrária ao céu.

Quando Deus libertou o povo de Israel da escravidão do Egito, não foi apenas para libertar e deixar perdido no deserto. Ele sempre teve em mente levá-los para a Terra de Canaã, terra que mana leite e mel. Deus tinha um lugar específico para eles ao libertá-los da escravidão. Após o Mar Vermelho, tudo que tinham que fazer era continuar caminhando em direção à Terra Prometida. Seria apenas onze dias de caminhada. Chegaram bem perto, viram a Terra e, por incredulidade, murmuração e desobediência ficaram andando pelo deserto por 40 anos.

Hoje, muitos regenerados estão perdidos, peregrinando por este mundo perverso, envolvidos e cativados pelo estilo de vida deste mundo. Não crescem em Cristo, continuam cheios de atividades, sempre cansados e desanimados. São os cristãos carnais. Deus tem nos dado a Palavra da cruz e por ela temos sido regenerados.

Agora precisamos avançar para o Lar Celestial. Precisa haver determinação nesta caminhada. Jamais olhar para o mundo, jamais desviar, jamais se acomodar. O escritor de Hebreus diz aos cristãos do primeiro século que estavam um tanto carnal e mundano: Hebreus 12:1-2 – “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus”.

O cristão carnal que ouve sempre a palavra da cruz e não a pratica, precisa assumir uma postura de peregrino. Precisamos combater o bom combate, guardar a fé e completar a carreira. Hebreus 10:39 – “Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição, somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma”.

É preciso entender que o nosso tesouro está no céu e que as coisas deste mundo hão de perecer em breve. O apóstolo Pedro bendizia ao Senhor pelo galardão que lhe aguardava. I Pedro 1:3-4 – “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros”.

O cristão carnal precisa ver o testemunho de Moisés. Ele era um príncipe no Egito; porém, trocou toda a glória deste mundo por Cristo que lhe reservou um galardão. Hebreus 11:25-26 – “preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado; porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão”. O crente carnal e mundano precisa começar a contemplar o galardão celestial. Precisa desembaraçar do peso, da correria, da vida mundana e dos pecados e correr com perseverança a carreira cristã. Não há tempo a perder. A cruz já nos desarraigou deste mundo; agora é prosseguir com Jesus para a Canaã Celestial. O nascido de novo pensa e busca as coisas lá do Alto. Ele não se esquece que é um peregrino. I Pedro 2:11 – “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma”.

Temos também o homem espiritual. Este é o cristão regenerado, cheio do Espírito Santo; ele tem prazer na Lei de Deus e ama sinceramente ao nosso Senhor Jesus Cristo. Dia após dia nega a si mesmo, toma a sua cruz e segue o Senhor Jesus. Ele é como a árvore plantada junto a corrente de águas, cuja folhagem não murcha. Sempre cheio da vida de Cristo, sempre em adoração e louvor. Obediente e cheio de temor, prossegue para o Lar Celestial. O mundo já não o influencia mais. Apenas Cristo é seu interesse maior.

Ele aprendeu a viver a vida crucificada; por isso, o mundo morreu para ele. Ele aprendeu a mortificar os feitos do corpo e a fazer morrer sua natureza terrena. É guiado pelo Espírito, vive para Cristo e glorifica o Pai o tempo todo. O cristão regenerado verdadeiro está indo em direção à Pátria superior, ele não desiste, não estaciona neste mundo. Percebe-se nitidamente que morreu para o mundo, para o pecado e para si mesmo. Agora vive para Jesus Cristo, seu Senhor. Nada mais lhe importa, apenas o Senhor Jesus. Jesus é a sua pérola de grande valor! Seu anseio maior é estar com Cristo. Ele não esquece que o próprio Senhor deseja isso também. Vive na expectativa de encontrar face a face com o seu amado Senhor. João 14:2-3 – “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também”.

O Senhor Jesus, em breve, virá para nos levar a fim de estarmos para sempre com Ele. Este é o nosso anseio! Por isso, falamos como o apóstolo: “prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:14).

Longe esteja de nós sermos cristãos carnais e mundanos. Vamos viver a vida crucificada e prosseguir para o céu. O encontro com o nosso Amado será a mais bela história já contada. Olha a oração de Davi: Salmo 27:4 – “Uma coisa peço ao Senhor e a buscarei: que eu possa morar na Casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo”.

Este é o coração do verdadeiro cristão. Anseia pelo Senhor, busca o Senhor; não vê a hora de estar com o Senhor. Não para de prosseguir em direção ao céu só para encontrar o Senhor Jesus.

Há um trem que vai para o céu chamado: Boas Novas. A locomotiva chama-se: vida crucificada. Eu já estou embarcado neste trem. Seu destino? O céu! Hoje estou gritando para você: Meu irmão querido: SUBA! Vamos juntos para o céu!

PROSSEGUINDO PARA O CÉU

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Outubro de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s