RECONCILIAÇÃO

A grande maioria dos religiosos gostam de falar de união, família, igreja, comunhão; porém, desconhecem estas palavras na prática. Falar é uma coisa, viver é outra. Desejam e acham lindo; porém, não são e não fazem. Esforçam-se para que não haja divisão, “panelinhas”, dentro da igreja; mas sempre há. Infelizmente há muitos vivendo um clima de guerra, de separação, de inimizades. Seja na família, na igreja, na sociedade ou no mundo todo.

reconciliacaoCarregamos um DNA que nos faz egocêntricos, invejosos e prepotentes. Assim que o pecado entrou na raça humana através de Adão e Eva, logo suas consequências se manifestaram. Caim, por inveja, matou seu irmão Abel. Adão, com certeza, gostaria que sua família vivesse em paz e união. Mas o pecado trouxe desunião, brigas, lutas e até mortes. A primeira coisa que precisamos nos conscientizar é que, em relação à Deus, SOMOS INIMIGOS DELE. Assim Deus nos vê, assim Ele fala nas Escrituras. Nós, porém, não achamos que somos inimigos de Deus. Mas somos, de fato! Frequentar igrejas antropocêntricas é um perigo, pois nos sentimos amigos de Deus, mesmo nunca ter sido reconciliado com Ele. Quase não se prega a respeito da reconciliação com Deus. Fala-se muito em amor, paz, prosperidade e vitória. Mas a respeito da reconciliação com Deus, quase ninguém cogita. Acham que são amigos de Deus, filhos de Deus, filhos do Rei; porém, são raça de víboras, são filhos do diabo. Certamente os judeus ficaram chocados quando o Senhor Jesus disse que eles eram filhos do diabo (João 8:44). Em se tratando de filiação, a coisa é radical. Não tem meio termo. Ser filho de um pai e ao mesmo tempo ser filho de um outro pai? Isto não existe! Por isso, é chocante, porém, ou somos filhos de Deus pelo novo nascimento, ou continuamos filhos do diabo. A religião não nos faz filhos de Deus. Não é frequentar uma igreja que automaticamente faz de uma pessoa um filho de Deus. Aliás, tem muitos filhos do diabo nas igrejas evangélicas.

A situação deles, ainda que não saibam e nem concordem é esta: são do diabo, são inimigos de Deus, estão debaixo da ira, são escravos do pecado e caminham para a morte eterna. São culpados e vivem debaixo de condenação. Em Romanos 1:18 diz que “a ira de Deus se revela do céu”. Aqui não está falando de amor, de amizade, de bênção como muitos desejam ouvir nas igrejas. A ira de Deus é terrível! No verso 20 diz que tais homens “são indesculpáveis”. Em Romanos 2:1 Deus torna a dizer que o homem é indesculpável. Em 3:19 diz para que todos sejam culpados perante Deus. A religião engana as pessoas; as igrejas que não pregam o verdadeiro evangelho não encaram a triste e desesperadora realidade do homem que ainda não está reconciliado com Deus. Os judeus estavam totalmente enganados e o Senhor os confrontou e lhes mostrou a verdade. Em Romanos 2:17-29 Deus fala do verdadeiro israelita. Na primeira parte, dos versos 17 ao 24, Ele mostra como o judeu é hipócrita, isto é, fala, cobra, prega para os outros; porém, não pratica. Este texto lembra tanto dos crentes de hoje. Na segunda parte, Deus fala que a diferença vem de dentro, da circuncisão do coração, da troca do coração. Em outras palavras, somente nascendo de novo no espírito. O verdadeiro israelita, ou os filhos de Deus, ou o povo escolhido de Deus são somente aqueles que nasceram de novo em Cristo Jesus. Muitos pensam que o batismo das águas e a filiação a uma instituição eclesiástica bastam para transformá-los em filhos de Deus. Puro engano! Em Romanos 9 o apóstolo Paulo volta a dizer que não é pelo nascimento natural, provindos de Abraão, que os faz verdadeiramente o povo de Deus. Apenas o nascimento espiritual pode nos fazer filhos de Deus. Se não houver uma troca de natureza, de coração, de vida, continuaremos sendo filhos do diabo, filhos das trevas e filhos da ira. Não nos deixemos enganar, pois os que permanecem no engano, certamente ouvirão do Senhor: “Não vos conheço, apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7:22-23).

A situação real do homem que não conhece a obra reconciliadora da cruz é: INIMIGOS DE DEUS. Antes de sermos identificados na morte e ressurreição do Senhor Jesus Cristo na cruz, somos inimigos de Deus. As Escrituras não dizem que ir à igreja, fazer boas obras e longas orações fazem do crente um filho de Deus, um amigo de Deus. Estas coisas, os fariseus faziam e, Jesus, os chamou de filhos do diabo, hipócritas, cegos e sepulcros caiados. Ainda que você não tenha praticado pecados graves em sua vida, ou considere uma pessoa boa, a verdade é que você é um inimigo de Deus. Diante de Deus não há um justo sequer (Romanos 3:10). Aquele que não conheceu verdadeiramente o sangue de Cristo, é um inimigo de Deus. Romanos 5:10 – “Porque, se nós, quando INIMIGOS, fomos reconciliados com Deus mediante a morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;”. Somente pela cruz, o homem pode ser reconciliado com Deus. O sangue da cruz é o único meio de reconciliação com Deus. Romanos 3:25 – “a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça,”. Poucos entendem a centralidade da cruz no plano de redenção e a preciosidade do sangue de Jesus na purificação do pecado e na reconciliação com Deus. I João 1:7 fine – “e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. Somente pelo sangue de Cristo podemos entrar na presença do Deus Santo. Somente após ter sido reconciliado com Deus pelo sangue de Cristo, podemos ter acesso a Deus. Hebreus 10:19-20 – “Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Sando dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne”. Ninguém pode aproximar-se de Deus sem estar coberto pelo sangue de Jesus. Efésios 2:13 – “Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo”.

Todo homem precisa reconciliar-se com Deus; do contrário, estará sujeito ao julgamento e à condenação eterna. Reconciliar-se com Deus é assunto sério e urgente a todo homem. Não há ninguém sobre a face da terra que não necessite urgentemente desta reconciliação. Esta reconciliação se dá por meio da nossa inclusão na morte e ressurreição do Senhor Jesus Cristo. Crendo que, na cruz, o Senhor Jesus nos incluiu em Sua morte e ressurreição. Precisamos crer que o evangelho que salva é este, onde Cristo nos atrai naquela cruz a fim de morrermos e ressuscitarmos com Ele. Na cruz, em Cristo, somos banhados pelo Seu sangue, o qual nos reconcilia com Deus. Não há reconciliação com Deus sem o sangue de Cristo. Colossenses 1:20-22 – “e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus. E a vós outros também que, outrora, éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas, agora, porém, vos reconciliou no corpo da sua carne, mediante a sua morte, para apresentar-vos perante ele santos, inculpáveis e irrepreensíveis”. Deus aceitou o sangue de Jesus na cruz do Calvário; por isso, aceita aqueles que são crucificados com Cristo. Ele fez a paz conosco através do sangue de Jesus. Este sangue é por demais precioso. O apóstolo Pedro fala que fomos resgatados daquela vida fútil através do precioso sangue de Jesus. Nem prata, nem ouro, nada senão o sangue de Cristo. I Pedro 1:18-19 – “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como a prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo”.

Porque os pregadores não falam deste precioso sangue? O sangue de Cristo é precioso para nós e para Deus. Então porque não conhece-lo? Porque não desfrutá-lo? Porque não falar de algo tão primordial, essencial, insubstituível e precioso? Ninguém pode ser AMIGO DE DEUS, sem o sangue de Cristo. Não há reconciliação com Deus, sem o sangue de Cristo.

Em II Coríntios 5:20-21 Cristo, pelo seu sangue deseja que nos reconciliemos com Deus. Aquele precioso sangue não pode ser negligenciado. Ele foi derramado para que nos reconciliemos com Deus. No verso 21 – “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus”. Cristo nos diz que, NELE, incluído Nele, somos feitos justos diante de Deus. Todo aquele que foi lavado com o sangue de Cristo foi feito justo diante de Deus. Jesus Cristo, o Justo, na cruz, nos justificou perante Deus. Romanos 3:26 – “tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”. O Senhor Jesus, tendo realizado cabalmente a obra salvífica na cruz, ordena-nos a que nos reconciliemos com Deus. Todo aquele que já se banhou no precioso sangue de Jesus, deve estar reconciliado com Deus. Deve viver em paz, em santificação, em integridade e temor. Agora que você conhece este precioso sangue, vá à Deus e, debaixo deste sangue, reconcilie-se com Deus. Seja amigo de Deus, seja um filho amado.

RECONCILIADOS COM DEUS PELO SANGUE DE CRISTO

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Dezembro de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s