LIBERTOS DO PECADO

“JESUS CRISTO, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado” (Hebreus 9:26fine).

Pecado-libertosO escravo é um sujeito por demais triste. Por si só, não é capaz de obter sua liberdade. Sonha incessantemente com a liberdade, mais do que qualquer outra coisa. Quando, porém, não se lhe avista possibilidade alguma, pouco a pouco, vai se conformando com o seu miserável estado. No capítulo 7 de Romanos, o apóstolo descreve a maior e a mais terrível forma de escravidão: a escravidão do pecado! Romanos 7:14 – “Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado”. O homem nasce escravo do pecado; por isso, desde a mais tenra idade, já pratica o pecado. O pecado é inerente ao homem, e este, por si só, não consegue se desvencilhar. Ele nasceu em pecado.

O pecador deseja fazer o bem; porém, acaba fazendo o mal. Porque o pecado que reside nele o faz agir assim. Ele está sujeito ao pecado. Veja Romanos 7:15-20 – “Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e sim o que detesto. Ora, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim”.

Muitos desconhecem a triste realidade da nossa escravidão ao pecado e a nossa sujeição à morte. “O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). O pecado trouxe a morte e a escravidão à humanidade. O homem precisa urgentemente da conscientização e salvação desta terrível realidade. “Todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). A humanidade geme e espera por essa libertação. Ela clama a pleno pulmões, como está em Romanos 7:24 – “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?”. Você consegue imaginar a primeira noite de um condenado em um presídio? Que agonia! Que tristeza! Que desespero!

O inimigo, por meio da sociedade capitalista, cria a ilusão da felicidade através da prosperidade financeira. Esta filosofia é atraente e sedutora e, acaba arrastando o homem aos prazeres da carne. Distrai o homem com muitos entretenimentos diariamente a fim de que este não se lembre da mais terrível escravidão: a escravidão do pecado. Desta forma, vive praticando o pecado e assim, traz mais tristezas e calamidades sobre si e família. Triste vida a de um escravo do pecado. A desventura e a maldição o acompanham pela vida.

O triste pecador continua na busca de mais prazeres deste mundo em uma tentativa desesperada de preencher o vazio de sua existência sem Deus.  Assim ele gasta sua pobre e oprimida vida neste mundo perverso. A morte o espera para retê-lo para sempre. A vida e o destino do pecador é por demais triste. Muitos andam em desespero e gritos: sou um desgraçado e infeliz! Esta é a condição que o pecado impôs ao homem.

A primeira e a mais urgente consciência que o homem precisa ter nesta vida é que ele é um miserável escravo do pecado e da morte. Após esta consciência, o homem precisa clamar pela sua salvação do pecado. É preciso saber que há um só Salvador, seu nome é JESUS CRISTO. Ele veio nos salvar dos nossos pecados. Mateus 1:21 – “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles”. Jesus Cristo veio nos salvar desta terrível escravidão: a escravidão do pecado. Só Ele pode nos libertar do poder do pecado. João 8:34 – “Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado”. Verso 36 – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”. Jesus Cristo é o único e verdadeiro libertador dos nossos pecados. Sem Ele, nossa vida está fadada ao fracasso, tristeza, opressão, maldição e morte eterna.

A religião ensina a confessar os pecados; porém, quase não fala sobre esta terrível escravidão. Sem a libertação do pecado, o pecador vive um círculo vicioso: peca – confessa – volta a pecar – volta a confessar e assim vai por toda a vida. Desconhecem a libertação do pecado pela cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. É maravilhoso ser perdoado por Deus; porém, isto não basta. Pois o pecado continua reinando e levando o pecador à prática de mais pecados. A confissão é maravilhosa, mas não basta. Precisamos nos conscientizar que há uma escravidão do pecado – “sou vendido à escravidão do pecado” (Romanos 7:14). Lembro-me de quando ia ao confessionário. Era difícil; porém, quando saía, me sentia aliviado. Ufa! Que alívio! Corria para o primeiro banco, ajoelhava e rezava as orações que haviam sido ditas. Fazia com alegria e rapidez e saia feliz do templo. Mas, voltava a pecar. Havia dias que eu ficava no banco, com medo, receio e vergonha de voltar ao confessionário. Após um tempo de luta interior, acabava indo embora, triste e derrotado. Como teria sido bom ter conhecido a cruz de Cristo que nos liberta do pecado.

O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Romanos 1:16). Se o evangelho que você está ouvindo não te salva do poder do pecado, então algo está errado. Certamente, não é o evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo. Se você continua indo à uma igreja e continua na prática do pecado, a doutrina e a pregação estão erradas. O evangelho que você está recebendo não é o verdadeiro. O verdadeiro evangelho diz: “Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça” (Romanos 7:14).

O evangelho nos liberta do poder do pecado de modo que podemos dar o seguinte testemunho: “Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus…” (Romanos 6:22). Evangelho é: Cristo nos libertando e salvando do poder do pecado. O evangélico é uma pessoa liberta do poder do pecado. Ele não anda mais na prática de pecados (I João 3:9). A igreja que não prega a cruz é como um hospital que não trata dos enfermos.

Como ser liberto do poder do pecado? Só há uma maneira: pela nossa inclusão na cruz de Cristo. Preciso crer que, quando Cristo foi crucificado, Ele me atraiu para Si. João 12:32 – “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo”. O próprio Senhor disse isto antes de sua morte. Ele jamais mentiu, é impossível que Ele minta (Hebreus 6:18). Sendo assim, simplesmente devo crer neste fato. Esta é uma revelação que pode nos libertar do pecado e nos transformar para sempre. Creia na sua inclusão na morte e ressurreição do Senhor Jesus. Quando Ele foi crucificado, fui crucificado com Ele também. Quando Ele morreu, eu morri com Ele. Essa morte com Ele na cruz é a nossa libertação do pecado. Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos”.

A Escritura não pode falhar (João 10:35). Se ela diz que, ao ser crucificado com Cristo fui liberto da escravidão do pecado, então, de fato, isto é uma realidade. Pela minha co-crucificação com Cristo, recebi a libertação do poder do pecado sobre a minha vida. Agora posso considerar-me morto para o pecado e vivo para Deus em Cristo Jesus (Romanos 6:11). O pecado não só não tem mais domínio sobre mim como também, não mais reinará em mim. Romanos 6:12 – “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões”.

GRAÇAS A DEUS POR JESUS CRISTO, NOSSO SENHOR (Romanos 7:25).

A obra da cruz foi fundamental para que eu me tornasse livre do poder do pecado e da morte. Nossa inclusão naquela cruz mudou o rumo da nossa vida para sempre. Somos uma nova criatura em Cristo Jesus para gozarmos para sempre a bem aventurança da libertação do pecado. Podemos, com alegria, dizer que já não há nenhuma condenação sobre nós e que fomos libertos do poder do pecado e da morte. Romanos 8:1-2 – “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte”.

A inclusão na cruz nos libertou completamente da escravidão do pecado. Não há outra maneira do pecador ser liberto senão pela cruz de nosso Senhor Jesus Cristo. A cruz foi fundamental, pois não só nos libertou do poder do pecado, como também, nos incluiu em Cristo para sempre.

Na nossa ressurreição com Cristo, Deus nos uniu à Cristo para sempre. Agora Cristo vive em nós e Ele nos guarda do pecado. I João 5:18 – “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca”.

A cruz cortou a raiz do pecado em minha vida. Por isso, posso dizer que: “O pecado não terá domínio sobre mim” (Romanos 6:14). O precioso sangue de Cristo, derramado na cruz do Calvário, foi suficiente e eficiente para me perdoar os pecados. Porém, a poderosa cruz foi fundamental para me libertar do poder do pecado. A maravilhosa cruz tratou com o meu problema da escravidão do pecado, aleluia! Que tremenda libertação! Esta é a verdadeira libertação feita pelo Filho (João 8:36). Pela cruz de Cristo fomos verdadeiramente libertos do poder do pecado.

Se não fora a cruz, eu ainda estaria dizendo: “Miserável homem que sou…”. A cruz de Cristo é fundamental para os que creem; ela é central em todos os tempos. É central para toda a obra de Deus. Ela é central para a nossa vida diária. A cruz foi e é um meio para que alcancemos um fim. Ela não é um fim em si mesma. Deus nos incluiu na cruz para nos libertar do poder do pecado e também, para que pudéssemos fazer parte do Corpo de Cristo. Ao nos incluir na cruz e em Cristo, Deus nos incluiu em seu principal projeto: A IGREJA, O CORPO VIVO DE CRISTO (Efésios 1:22-23).

Aquele que foi liberto do pecado pela cruz de Cristo e, Nele, foi feito uma nova criatura, agora precisa viver de modo santo e irrepreensível perante Ele (Efésios 1:4); sem a prática do pecado (I João 3:9) a fim de fazer parte da gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito igreja de Cristo (Efésios 5:27). Os principados e potestades verão a multiforme sabedoria de Deus através da igreja (Efésios 3:10).

Agora, libertos do poder do pecado, vivamos de modo santo e agradável a Deus, para o Seu louvor e glória (Efésios 1:6). Somos eternamente gratos pela obra de Jesus na cruz do Calvário. Tudo mudou a partir de então; os raios da esperança e do porvir brilham cada vez mais e mais e, em breve, se tornará dia perfeito na glória celestial. Aleluia!

Apocalipse 1:5b – “Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados

 

“À Ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!”

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Janeiro de 2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s