O SUBLIME AMOR DA CRUZ – I

Na crucificação, alguns zombavam de Jesus dizendo: “salvou os outros, a Si mesmo não pode salvar-se” (Mateus 27:42). Apesar de ter sido lançadas estas palavras de escárnio, apesar delas não serem totalmente verdadeiras; há uma grande verdade nelas. Essa incapacitação não foi por falta de poder; mas foi pela livre escolhe do sublime amor de Jesus. O Todo Poderoso escolheu ser “fraco” na crucificação. II Coríntios 13:4 – “Porque, de fato, foi crucificado em fraqueza; contudo, vive pelo poder de Deus. Porque nós também somos fracos nele, mas viveremos, com ele, para vós outros pelo poder de Deus”. O amor sempre escolhe morrer para si para que outros vivam.

ver jesusDe fato, Ele salvou a outros e isto custou a não salvação de Si mesmo. O Senhor nos ensina aqui que, para salvar outros, primeiro é preciso morrer para si mesmo. João 12:24 – “Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto”. Jesus foi esse grão de trigo que morreu para que pudéssemos receber a vida. Este é o princípio do reino de Deus: vida através da morte; é morrer para viver. I Coríntios 15:36 – “Insensato! O que semeia não nasce, se primeiro não morrer”. Morrer para si a fim que outros vivam é o verdadeiro amor.

A cruz é instrumento de morte para o velho homem que habita em nós a fim de que Deus nos faça nascer de novo em Cristo Jesus. Porque houve a morte de cruz, podemos ter a esperança da vida em Jesus. A verdadeira vida provém da morte de cruz juntamente com Jesus. Quando, com Ele morremos, com Ele ressuscitamos: então, recebemos nova vida. A cruz é prenúncio de vida. Ela acaba com a velha vida a fim de Cristo trazer a nova vida.

O Senhor é verdadeiramente o Salvador do mundo. João 4:42 – “e diziam à mulher: Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo”. I João 4:14 – “E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo”.  Ele veio com este propósito e, apesar do sofrimento e da dor devida ao nosso pecado, Ele enfrentou a morte para poder nos salvar. Que grande e tremendo Salvador temos. Sua alma estava angustiada sim, o desespero tomava conta Dele a ponto de suar gotas de sangue (Lucas 22:44). Quanta agonia! “O amor tudo suporta” (I Coríntios 13:7). Certamente nenhum de nós pode comprovar tamanha dor. Ele era 100% homem, sofreu como ninguém e, mesmo assim, enfrentou a morte para poder nos salvar. Ele veio por amor e, por amor nos salvou com a Sua morte. No Jardim do Getsêmani, Ele chegou a pedir três vezes ao Pai para livrar deste “cálice”, ou seja, do sofrimento e da morte. Porém, por amor a nós e ao Pai, Ele dizia: “contudo, não seja o que eu quero e sim, o que Tu queres” (Lucas 22:42). Somente aquele que ama a Deus ora desta maneira. Somente aquele que deseja a salvação dos seus, ora desta maneira. Este sabe que é preciso não salvar a si mesmo para que outros sejam salvos. Ele abre mão de seus direitos, de sua justiça, de sua vontade em prol do outro. Ele escolhe a cruz para si, pois sabe que dela provém graça e vida. II Coríntios 4:10 – “levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo”.

Jesus sabia que a vontade do Pai era nos resgatar para Si. Ele amava o Pai e sabia que o Pai nos amava (João 3:16). Seu amor pelo Pai e por nós foi tão grande que O levou à sofrida missão de nos salvar na cruz do Calvário. Posso ver, com o coração apertado, a difícil e mui dolorosa missão de Jesus na cruz. Como posso desprezar tão grande amor cravado naquela cruz? Como não amar Alguém que me amou tanto? A cruz é o símbolo do amor eterno de Jesus por nós. A cruz é o sublime amor de Deus por nós. Para mim, cruz é = a amor.

O amor é doador. Ele nos constrange a morrer para nós para que os nossos amados recebam vida. O amor é forte, é decidido, se entrega totalmente, não retém para si, não pensa em si. João 12:27 – “Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora”. Jesus estava decidido a ir a cruz por amor à nós. O amor O impeliu para a cruz. Ele foi decisivamente para a cruz por amor.

O amor morre para si para que os amados recebam vida. Ele não procura seus interesses (I Coríntios 13:5). O amor não salva a si mesmo, não pensa em si; é altruísta. O amor – “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (I Coríntios 13:7).

Jesus é Amor! João 13:1 – “Ora, antes da Festa da Páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até ao fim”. João 15:9 – “Como o Pai me amou, também vos amei; permanecei no meu amor”. Receba a revelação do imenso amor de Jesus por você através do sublime ato da Sua morte na cruz. João 15:13 – “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor de seus amigos”. Este é o sublime amor de Jesus por nós.

Jesus, pouco antes de Sua morte, olhando para os discípulos disse: “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros (João 13:34-35). João 15:12 – “O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei”.

A nossa inclusão na cruz de Cristo foi puro ato de amor. Até mesmo em Sua morte, Ele nos amou até ao fim. Ele nos atraiu e nos fez morrer com Ele. João 12:32 – “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo”. Quanto amor nestas palavras! Seu imenso amor nos incluiu em Sua morte a fim de nos resgatar para o Pai. Seu infinito amor nos fez morrer com Ele para nos libertar do poder do pecado, do ego, do mundo e de satanás. Jesus Cristo, o Deus Amor, nos amou mais do que ninguém naquela cruz. Seu amor nos levou a morrer com Ele a fim de sermos libertos do poder do pecado e da morte.

Enquanto estava sepultado e, principalmente na Sua ressurreição, Seu amor estava sobre nós. A nossa ressurreição juntamente com Ele é uma explosão do amor Dele por nós. A Sua segunda vinda será puro ato de amor por nós. Desde a encarnação até a Sua vinda, Seu amor é um grande estandarte. Tudo fez e tudo fará por amor. Quando olhamos para o Cristo crucificado, vemos o Amor em Pessoa. NA CRUZ VEMOS O SEU SUBLIME AMOR! A CRUZ É O SUBLIME ATO DE AMOR POR NÓS.

O Pai, por amor, deu o Seu Amor (Filho) para morrer por amor. Ele é amor. A cruz define o que é “amor”. I João 4:9-10 – “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados”.

I João 3:16 – “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos”. A palavra “amor” tem como definição o sublime ato da cruz. O Deus Amor, por amor, enviou o Seu Amor para salvar os Seus amados

A morte de Cristo na cruz é a maior prova do amor de Deus por nós. Quando a Palavra da Cruz é pregada, prega-se o amor de Deus aos pecadores. Quando celebramos a ceia do Senhor, celebramos cobertos pelo amor de Jesus por nós. Todo aquele que participa da ceia do Senhor deve estar totalmente constrangido pelo amor de Cristo. II Coríntios 5:14 – “Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram”.

Nossa resposta a este sublime amor é viver Nele, por meio Dele e para Ele. Somente aquele que experimentou o sublime amor da cruz pode receber a revelação do sublime amor de Jesus. Aquele que recebeu esta tremenda revelação passa a viver para o Seu inteiro agrado e para a Sua glória. O apóstolo Paulo recebeu este tão sublime amor e, passou a viver exclusivamente para Ele. “Porquanto, para mim, o viver é Cristo” (Filipenses 1:21).

Que Deus revele Seu sublime amor à igreja e esta passe a amá-Lo acima de tudo e de todos. Marcos 12:30 – “Amarás, pois, o Senhor, teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força”.

Amados, foi nos revelado o sublime amor da cruz. Agora sabemos o quanto Deus nos ama. Quando Ele enviou Seu Filho, isto foi o mais sublime ato de amor. Quando Jesus, espontaneamente foi à cruz, Ele externou Seu sublime amor. Não resta dúvidas do amor de Deus por nós. Agora podemos dizer que realmente conhecemos o amor de Deus. Não saiamos jamais deste amor. Vamos permanecer até o fim no amor de Deus.

I João 4:16 – “E nós conhecemos e cremos no amor de Deus por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele”.

Os amados, sendo tão amados pelo grande amor do Amado, agora amam o Amado e os Seus amados.

 

A CRUZ É O SUBLIME ATO DE AMOR!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Fevereiro de 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s