MORRER COM O SENHOR PARA O EGO

Na senda do Calvário, o morrer para o ego é mais profundo e mais avançado que o morrer para o pecado. Quando, pela cruz, morremos para o pecado, nossa vida é tremendamente impactada. Foi maravilhoso demais saber e experimentar a morte com o Senhor para o pecado. O pecado nos aborreceu desde que nascemos. Muitas vezes nos deixou em apuros, em tristeza e derrotas. Ficávamos desanimados como crentes sinceros, pois sempre cometíamos o mesmo pecado porque éramos escravos deste.

cruzXegoDepois da regeneração, nossa preocupação era não pecar mais como dantes. A vida livre do poder do pecado é maravilhosa, por isso nunca mais queremos voltar à escravidão. Portanto, após ter recebido a luz e ter compreendido como morrer com o Senhor e como considerar-se mortos para o pecado, passamos a confiar no poder do Espírito Santo e começamos seriamente a considerar-nos mortos e a permitir que a vitória da cruz se expresse em nossa vida. Assim é o recém regenerado. Está empolgado, pois não é mais escravo do pecado. Mas com o passar do tempo percebe que algo ainda não está legal em sua vida cotidiana, nem tudo está “redondo”. A ira, o desânimo, a tristeza e outras coisas mais ainda perturbam a nossa vida. O que está errado? Já não ando na prática do pecado, mas continuo pecando em minha alma. Tenho tido vitória sobre o pecado, mas tenho a sensação de que me falta algo, afinal, o que é?

O fato é que achávamos que a experiência da morte para o pecado era tudo. Achávamos que não precisávamos de mais nada para viver uma vida vitoriosa e abundante. É correto que prestemos atenção aos pecados e é correto que não negligenciemos os pecados. A vitória sobre pecados é a base de toda justiça e é a chave para o viver cristão adequado. Se o pecado tiver domínio sobre nós, não poderemos esperar por qualquer progresso espiritual. Devemos saber que a vitória sobre o pecado na vida do regenerado é apenas o primeiro passo em direção à verdadeira vida cristã. Ainda há uma longa caminhada de cruz. Após vencer o pecado, o regenerado defronta com o grande inimigo chamado “ego”. Agora é que o “bicho vai pegar”! Este inimigo camuflado dentro de nós nos enganou a vida toda fingindo ser o nosso grande aliado. O mundo prega o tempo todo que ele precisa ser valorizado, é a tal da autoestima elevada. A mídia mostra o tempo todo que devemos cultuar e idolatrar o ego. A televisão é uma fábrica de ídolos. Mas, agora vemos que ele precisa morrer com Cristo na cruz. Até agora sempre estivemos do lado dele por isso, temos dificuldade de negá-lo e crucificá-lo. É preciso uma clara e forte resolução para que no nosso dia-a-dia crucifiquemos o ego.

O problema é que fomos ensinados de modo errado a respeito do nosso ego. Primeiro precisamos fazer a distinção entre ego e pecado. Apesar dos dois andarem lado a lado, não são iguais. O ego pode nos levar a pecar, porém nem sempre o ego é mau. Ele tem o seu lado bom, amável, virtuoso e justo. Aí está o perigo do engano! Nós mesmos sabemos que o ego tem o lado bom por isso, temos dificuldade de encará-lo como nosso inimigo. É assim que muitos regenerados param pelo caminho. Acham que a simples vitória sobre o pecado já basta e não experimentam algo mais elevado que é a vitória sobre o ego.

A vida do ego é a vida natural que foi tremendamente afetada pela queda de Adão. Após a queda, o ego tornou-se corrupto, a natureza do homem tornou-se pecaminosa. O ego é nossa personalidade individual. A vida do ego é a nossa alma, muito sensível, muito egocêntrico e muito prepotente. O ego e o pecado formam uma dupla infernal na vida de uma pessoa não regenerada. Não é a toa que uma pessoa não regenerada comete tantas barbáries. Mas após a regeneração os dois são separados, o pecado é morto na cruz com Cristo. Mas o ego também precisa morrer na cruz como o pecado morreu. Só a cruz pode vencer esses dois grandes e terríveis inimigos do homem. É possível uma pessoa vencer o pecado e ao mesmo tempo ser derrotado pelo ego. Para o regenerado é mais fácil vencer o pecado do que o ego. Mas é preciso vencer o ego para que tenhamos uma vida que faz toda a vontade de Deus.

Do ego provém nossa opinião, gostos, pensamentos, desejos, preconceitos, amor e ódio. O ego é a nossa pessoa acrescida de gostos e desgostos. Esse inimigo é tão difícil de ser batido, pois mesmo quando pela cruz vencemos, ele tenta ressuscitar sempre. Se não houver uma contínua vitória sobre o ego, este poderá nos transformar em crentes carnais.

Há uma cilada escondida para os crentes. Eles precisam praticar boas obras e muitos, sem terem vencido o ego, fazem muitas obras boas por esforço próprio tornando-se religiosos. O perigo então é fazer o bem por esforço próprio. O ego inclui muitas coisas tipo vontade, emoções, amor e inteligência. O homem que ainda está no ego faz o bem achando que está “abafando”. Ele próprio se sente bem, espiritual e se acha “o cara”. Daí gosta de falar de suas façanhas na igreja, de seu cargo e dá aquele testemunho de microfone na mão, fazendo-se o super crente. Sua vida é capaz de alegrar os outros e pode também deixar a impressão de que é um “homem de Deus”, um super espiritual. Todos olham para ele como um homem bom, cheio de fé, cheio de amor para com Deus e para com o próximo. Sua inteligência leva-o a preparar lindos e maravilhosos estudos bíblicos e sua capacidade de cantar e louvar leva-o a vender muitos CDs. Eles nem imaginam que Deus não se agrada deles e para completar a desgraça, muitos desses tiram proveito próprio do que fazem na igreja. Deus dá dons para que usemos para o seu louvor e glória e não para o nosso prazer e glória pessoal. Ah! Como a cruz é necessária para o obreiro cristão. Sem cruz não pode haver missões e obras segundo o coração de Deus. Todo obreiro precisa morrer para o ego. Só assim poderá ser transformado em um verdadeiro servo de Jesus Cristo.

Como podemos fazer o ego morrer? Somente pela cruz!

Gálatas 2:19-20 – “Estou crucificado com Cristo…” No grego a palavra aqui é “ego”. O ego já está crucificado com Cristo. Isto é um fato e devemos apenas crer nas Escrituras. Muitos tentam cravar o ego na cruz, mas isso não dá certo. Aqui diz que o ego já está crucificado com Cristo. Com Cristo é o segredo. Apenas na cruz sem Cristo não funciona. Até para morrer precisamos de Cristo. Tudo é por meio Dele. Cristo já fez toda a obra, nós apenas cremos no que Ele já fez por nós. Na cruz, Cristo já carregou o nosso ego para morrer com Ele. A palavra “estou” mostra que é um fato e não apenas um desejo ou intenção. Pela obra da cruz a vida que morre para o ego é possível, é atingível. Lembremos que estou crucificado com Cristo e não sozinho na cruz. Separados do Senhor nada podemos fazer. Crucificar o ego com a força do ego é uma tarefa impossível. Somente com a nossa união na morte com o Senhor é que o ego morrerá também. Cristo sozinho levou à cruz toda a velha criação. Não temos que fazer nada, apenas crer e com fé reconhecer sua obra já realizada. Devemos apenas repreender o ego e oferecer tudo a Deus. Fale para Deus: de agora em diante não mais eu, não mais minha aparência, opinião, gosto ou preconceitos. Assim devemos viver cada dia, cada momento, crendo que já morremos com Cristo, crendo sempre que o ego já está na cruz. Assim, submeta ao Senhor todo o seu desejo para poder viver de acordo com a vontade de Dele. Orando sempre: Não eu, mas Tu Senhor. Não como eu quero e sim como Tu queres. Isso deve ser contínuo, ininterrupto, pois o ego pode voltar se não estivermos vivendo totalmente submisso a Deus, totalmente entregue a Deus, totalmente rendido a Ele.

Quando se fala que o ego está crucificado com Cristo significa que agora ele está sem o poder de controlar, mas pode voltar a ter controle se assim o permitirmos.

Lucas 9:23 – “Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia, tome a sua cruz e siga-me.” Este verso ensina três coisas importantes que devemos fazer:

  1. Negar o ego. Negar significa rejeitar, descartar, ignorar e não reconhecer a exigência do ego. Negar o ego significa não deixar o ego ser o senhor da nossa vida.
  2. Dia após dia tomar a cruz. Isso significa que, uma vez que o ego está na cruz, agora impedimos dele voltar a ser o senhor. Devemos, então, continuamente negá-lo. Negar o ego deve ser um ato diário e intermitente.
  3. Seguir o Senhor Jesus é honrá-LO e obedecê-LO completamente, o tempo todo. Sempre buscar fazer Sua vontade, quer o ego goste ou não. Quando nos submetemos completamente e continuamente ao senhorio de Cristo, o ego não tem chance para se desenvolver em nós. Quando vivemos esses três passos no dia-a-dia, estamos sempre morrendo para nós mesmos, isso é tomar a nossa cruz.

Uma coisa que passa despercebida em nós é que, sempre procuramos levar para a cruz as coisas ruins do ego e com isso nos esquecemos de levar as coisas boas também. Na visão de Deus, após a queda do homem, o ego como um todo é mau e ponto final. Deus não vai curar nem melhorar a vida do ego. O ego não jeito, não dá mais jeito. A única solução é a cruz de Cristo. O ego como um todo, isto é, o lado bom e o lado mal, devem estar totalmente mortos. Alguns têm uma criação boa, são honestos, pacientes, educados e é exatamente este lado que está em evidência diante dos outros. Para essas pessoas, só a revelação do Espírito é capaz de convencê-los que o ego já está crucificado com Cristo. No subconsciente elas mantêm o lado bom e crucifica o lado mal. Aí está outra cilada para que esse grande inimigo não seja de todo aniquilado pela cruz.

João 12:24 – “Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto”. O trigo é belo, sua casca é dourada e tudo parece tão perfeito. O nosso ego parece tão bom também, mas a exemplo do grão de trigo, a vida do ego tem que morrer para que produzamos frutos. Quando um cristão morre, ele não será tão belo como dantes. Não receberá louvores, elogios, glória de homens. Aqui está uma medida boa para ver se realmente morremos ou não. A irmã Eurica disse hoje para mim que sempre soube que não era nada, mas que agora após sua morte com Cristo para o ego, ela realmente sabe que não vale nada mesmo. Essa experiência de morte é real e ela compartilhou com muita convicção dizendo: Hoje sei realmente que não sou nada. Ali, ao telefone louvamos ao Senhor em saber que não somos nada em nós mesmos.

A pessoa que morreu para o ego passa agora a depender inteiramente da direção do Senhor em sua vida. Ele se torna um dependente do Senhor e assim permanece no Senhor sempre. Agora amamos com o amor do Senhor e não com o amor natural de antes. Agora é o Senhor quem domina nossas impressões, resoluções e tudo o mais. Ao morrer com o Senhor para o pecado, abandonamos as coisas ilícitas. Ao ser crucificado com o Senhor para o ego, abandonamos as coisas lícitas. O ego deve desaparecer mesmo e quando isso acontece, Cristo se manifesta em nós e através de nós. Esse é o caminho da porta estreita. Devemos odiar a vida do ego para ganhar a vida eterna (Lucas 9:24).

É muito fácil para o crente que vive no ego cometer pecados. Por isso precisamos da cruz de Cristo, do contrário, nossa vida jamais vai frutificar e glorificar a Deus.

Cristo não é apenas o Salvador dos pecados, mas também do ego. Morrer para o ego é a única solução para uma vida cristã frutífera e verdadeira. Só Deus pode nos levar a morrer para o ego e isso acontece se nós também desejarmos. Até que entendamos tudo isso, Deus usará circunstâncias difíceis na vida para mostrar que o nosso ego precisa morrer.

Mateus 26:39 – “…Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres.” Assim orou o Senhor. Esta é a oração de uma pessoa que morreu para o ego. Só os que morrem para si mesmos podem orar desta maneira. Que após a morte com Cristo para o ego venhamos a orar diariamente como o Senhor orou: Não eu, não como eu quero, não como eu penso, mas como Tu queres. O Senhor Jesus sempre procurava a vontade do Pai (João 4:34; 5:30) e não a sua própria. Doravante sejamos como Ele, sempre agradando e fazendo a vontade do Pai.

Não vivo eu, mas Cristo vive em mim. Isso é cristianismo!

A morte com Cristo para o ego é fundamental para que vivamos um cristianismo verdadeiro. Que o Pai realize essa morte em cada um de nós para a Sua glória e louvor.

Comunidade Bíblica Regenerada

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

                                                      Maringá, 06 de Novembro de 2009.

Anúncios

Um pensamento sobre “MORRER COM O SENHOR PARA O EGO

  1. Pingback: Qual seria a sensação de morrer? Paciente que acredita ter “morrido duas vezes” conta sua experiência – Jornal Ciência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s