ALEGREM-SE

ALEGRARO livro de Isaías é um verdadeiro evangelho. É o livro do Cristo Crucificado. Relata sobre nossa pobre, miserável e desesperadora condição antes da cruz. Depois, conclama-nos a uma alegria indizível devido a restauração e restabelecimento eterno da nossa vida. Uma transformação maravilhosa. Isaías 61:3 – “e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória”. No meio ao caos e desespero do homem, ergue-se a cruz de Cristo no capítulo 53. No meio está a cruz, o pivô de toda a transformação. Pela cruz, a horrível condição do homem é transformada para sempre. Para o perdido e desesperado pecador resta-lhe a cruz. O livro de Isaías é um convite à uma nova vida e eterna vida. A porta é o Cristo crucificado. Ele disse que se alguém entrar por Ele será salvo (João 10:9). A cruz é o fator determinante da nossa salvação e transformação eterna.

Antes da cruz, isto é, do capítulo 53 de Isaías, Deus vinha falando para o povo: NÃO TEMAS! O coração de Deus é totalmente confiante na obra da cruz que viria logo mais. Ele dizia para não temer porque Seu amado Filho seria pendurado no madeiro, o que faria toda a diferença para nós. Depois da cruz, Deus fala para nos regozijarmos, alegrarmos e até promete que essa alegria será perpétua. Isaías 51:11 – “Assim voltarão os resgatados do Senhor e virão a Sião com júbilo, e perpétua alegria lhes coroará a cabeça; o regozijo e a alegria os alcançarão, e deles fugirão a dor e o gemido”. Porque houve uma cruz, podemos nos regozijar perpetuamente.

O Cristo crucificado veio para vivificar o contrito e o abatido de espírito (Isaías 57:15). Quando o pobre e cansado pecador é aliviado e vivificado pelo Cristo da cruz, certamente se regozijará sem medida. O próprio Deus nos convida à essa alegria perpétua. Isaías 54:1 – “Canta alegremente, ó estéril, que não deste à luz; exulta com alegre canto e exclama, tu que não tiveste dores de parto; porque mais são os filhos da mulher solitária do que os filhos da casada, diz o Senhor”. Realmente, aquele que crê que foi incluído na morte e ressurreição do Senhor Jesus e foi transportado do império das trevas para o reino do Filho do amor, vai cantar alegremente sua libertação e salvação. Os crucificados não se cansam de cantar, louvar, adorar e agradecer ao Senhor que se deu naquela cruz.

Ele não se esquece de como era triste e oprimido. De como estava perdido e só neste mundo tenebroso. Ele se dá conta da grande libertação do pecado e da opressão de satanás. Ele pode cantar que era um pobre e cego mendigo, mas agora pode ver o amado Salvador.

Isaías 51:21 – “Pelo que agora ouve isto, ó tu que está aflita e embriagada, mas não de vinho”. Antes da cruz, nossa vida parecia com uma mulher aflita e embriagada de tristeza e depressão. Isaías 54:4 revela que éramos como uma mulher que vivia debaixo da vergonha, humilhação e opróbio. Éramos como uma viúva pobre, abandonada e até mesmo odiada (Isaías 60:15).

A figura que Isaías 1:6 coloca é simplesmente medonha; porém, na realidade, assim é a figura daquele que jamais passou pela cruz de nosso Senhor: “Desde a planta do pé até à cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem amolecidas com óleo”. É a figura de uma pessoa assolada e devastada. Assim éramos antes da cruz.

Depois da cruz fomos totalmente transformados. Nossa condição de vida mudou completamente. Somos uma nova criatura cheia de paz, alegria e louvor. Não sofremos mais vergonha, humilhação e não estamos mais perdidos e mortos nos pecados e delitos. Recebemos uma salvação eterna. Isaías 45:17 – “Israel, porém, será salvo pelo Senhor com salvação eterna; não sereis envergonhados, nem confundidos em toda a eternidade”. Somos justificados pelo sangue da cruz; por isso, não resta mais condenação sobre nós. Jesus Cristo tornou-se nossa propiciação na cruz; agora temos certeza que não sofreremos a ira vindoura. Isaías 45:25 – “Mas no Senhor será justificada toda a descendência de Israel e nele se gloriará”. Há razões para atendermos ao chamado de Deus para nos regozijarmos. Vamos ler Isaías 54:10,14; 57:15; 58:11; 59:21; 60:21; 61:6,9; 62:12. A mudança será tão grande que todos verão que somos benditos, abençoados, remidos e santos do Senhor. Aleluia! Podemos nos alegrar sobremaneira pela obra da cruz, pois trouxe tamanha transformação em nossa vida para sempre.

O próprio Deus afirma que não será como dantes. Em vez das desgraças, agora são as graças do Pai. No lugar da vergonha, tereis dupla honra. Isaías 55:13 – Em lugar do espinheiro, crescerá o cipreste, e em lugar da sarça crescerá a murta; e será isto glória para o Senhor e memorial eterno, que jamais será extinto”. Isaías 61:7 – Em lugar da vossa vergonha, tereis dupla honra; em lugar da afronta, exultareis na vossa herança; por isso, na vossa terra possuireis o dobro e tereis perpétua alegria”. Leia o verso 3 também.

Antes da cruz era instabilidade e desventura o tempo todo. Isso trazia insegurança, medo e desesperança. Mas a obra da cruz traz estabilidade e segurança eterna. O Senhor promete nunca mais sermos como dantes, cheios de vergonha e opressão. Nunca mais, diz o Senhor. Que maravilha! Que segurança! Isaías 60:18-20 e Isaías 62:4 – Nunca mais te chamarão Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais Desolada, mas chamar-te-ão Minha Delícia; e à tua terra, Desposada; porque o Senhor se delicia em ti; e a sua terra se desposará”. A obra da cruz nos deixa seguros para sempre. As desgraças do passado ficaram para trás; tudo se fez novo ao que nasceu de novo (II Coríntios 5:17).

Deus nos convida a regozijar porque houve e há uma cruz que transforma para sempre o pobre pecador. De um lado a desgraça e tristeza; de outro, a alegria e a segurança e, no meio, a cruz de Cristo. A cruz acabou com o nosso luto; não mais cinzas sobre a cabeça, mas uma coroa; não mais pranto, mas o óleo da alegria. Não mais espírito angustiado, mas vestes de louvor (Isaías 61:3). Essa é a poderosa transformação que a cruz de Cristo opera no pobre e infeliz pecador. Realmente dá para entender a razão do porque Deus nos convida a alegrarmos. O Cristo crucificado é o motivo do nosso regozijo. Nele temos segurança eterna.

O pecado trouxe a desgraça; porém, a cruz, a graça. Ela trará glória ao Senhor e será um memorial eterno que jamais será extinto (Isaías 55:13b).

Podemos nos alegrar e nos regozijar porque o Senhor diz:

“Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o Senhor: o meu Espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se apartarão dela, nem da de teus filhos, nem da dos filhos de teus filhos, não se apartarão desde agora e para todo o sempre, diz o Senhor” (Isaías 59:21).

Alegrem-se todos!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Agosto de 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s