EU SOU

João 14:1b – “credes em Deus, crede também em mim.” E João 17:3“E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”

poCristo é um mistério que só pode ser revelado pelo Pai, baseado na palavra escrita, por meio do Espirito Santo. Se não confluem (convergem, se unem, se juntam) o Pai, o Espírito e a palavra para revelar a Cristo, Cristo não poderá ser conhecido de verdade. O que haverá será somente exercício intelectual, mas não revelação espiritual.

Não há conhecimento maior do que conhecer Jesus Cristo. Conhecê-lo é conhecer Deus e obter a vida eterna. Seja no Antigo testamento, através dos tipos e alegorias, seja no Novo, manifestado em graça para salvação dos homens, a figura de Cristo ocupa o lugar central no coração e no propósito de Deus. Conhecê-lo é uma maravilhosa tarefa que ocupa toda a nossa vida presente e que ocupará toda a eternidade.

Nas palavras a seguir, temos um pequeno vislumbre desse conhecimento verdadeiro, tomado de frases que o Senhor disse de si mesmo, e que o revelam de uma maneira simples, eficaz e prodigiosa. São frases que nos abrem o coração de Deus, que nos abrem amplos horizontes e que sugerem uma diversidade de campos de exploração para o cristão diligente (ativo, aplicado, zeloso, cuidadoso).

Êxodo 3:10-1410 Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.11 Então, disse Moisés a Deus: Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?12 Deus lhe respondeu: Eu serei contigo; e este será o sinal de que eu te enviei: depois de haveres tirado o povo do Egito, servireis a Deus neste monte.13 Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.” Quando o Senhor chamou Moisés para libertar o povo hebreu do Egito, este não se viu em condições para tal tarefa. Ao Moisés revelar a sua fraqueza, ” Quem sou eu?”, a resposta de Deus foi esta: “Eu serei contigo”.

A revelação da fraqueza humana é a oportunidade para Deus se revelar em poder. E disse Deus a Moisés: Eu Sou O Que Sou. Moisés passou 40 anos no Egito aprendendo tudo para ser alguma coisa, depois mais 40 anos terra de Midiã esquecendo-se do que aprendeu no Egito e, por fim, 40 anos no deserto descobrindo que Deus é tudo.

Agora, vemos Deus se revelando em Jesus, em toda a sua grandeza e poder, na expressão: Eu Sou O Que Sou.

No evangelho segundo João, há sete expressões que Jesus disse: “Eu Sou o Pão da Vida”, “Eu Sou a Luz do Mundo”, “Eu Sou a Porta”,” Eu Sou o Bom Pastor”,” Eu Sou a Ressurreição e a Vida”,” Eu Sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida”,” Eu Sou a Videira Verdadeira”. Numa palavra, tudo o que queremos está em Cristo. Cristo é a “plenitude da graça”.

John F. MacArthur Jr., no seu livro A Nossa Suficiência em Cristo disse:

“Muitos vivem a vida cristã desprezando as abundantes riquezas de uma herança que não se corrompe, eles exploram minuciosamente os escombros da sabedoria humana, colecionando lixo. Como se as riquezas da graça de Deus não lhes bastassem. Como se ” todas as coisas que conduzem a vida e à piedade” não fossem suficientes, eles procuram complementar os recursos que, em Cristo, lhes pertencem. Gastam a vida toda acumulando, inutilmente, experiências emocionais, novos ensinos, orientações de gurus espertalhões ou qualquer coisa mais que possam acrescentar à coletânea de experiências espirituais. Tudo isso é totalmente inútil. Ainda assim, algumas dessas pessoas se entulham tanto desses passatempos que acabam não encontrando a porta para a verdade que os libertaria; e acabam se privando do tesouro por causa do lixo”

Deus viu a aflição do seu povo e usou Moisés para, primeiramente, revelar-se aos seus: Eu Sou. Depois Ele cumpriu o seu intento, libertando Israel das mãos dos egípcios com a promessa da terra de Canaã, uma terra que mana leite e mel.

A encarnação do Filho, a segunda Pessoa da Trindade eterna, ou seja, a sua entrada misteriosa em carne pura e sem mácula, formada pelo poder do Altíssimo no ventre da vigem, é o fundamento do ” mistério da piedade”. Ele se tornou homem, para que como homem nos conduzisse a uma terra que mana leite e mel, isto é, Cristo, nossa abundância.

Deus mostrou sua face ao mundo na Pessoa de Jesus. É-nos revelado que o mistério de Deus é Cristo. E este mistério é Cristo em vós, a esperança da glória. Cristo é a manifestação do Eu Sou.

EU SOU O PÃO DA VIDA

João 6:35 – “Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede.

O pão é um alimento muito conhecido e tem sido a base da alimentação da humanidade em todas as épocas. Na Bíblia, pão significa saciedade, contentamento, enquanto falta de pão expressa fome, insatisfação.

Jesus proveu pão para alimentar o mundo inteiro, e o pão que Ele oferece é mais que uma simples refeição; é o alimento para a vida na sua mais completa medida. Ele é aquele que dá e sustenta a vida. Ele é o pão que alimenta o nosso espirito. Antes de dar o pão, Ele mesmo é o pão da vida, é a vida abundante.

A  Bíblia diz que Deus tem “vida em si mesmo”. Ele é, desde sempre existiu, é eterno. Ele não ganhou a vida de alguém, mas tem-na desde sempre, e, esta vida, Ele a concedeu a seu Filho Jesus Cristo: “Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo.” João 5:26.

Jesus é o pão vivo que desceu do céu, para se fazer pecado por nós, 2 Coríntios 5:21 – “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.”  Cristo era o cordeiro limpo, sem mácula. Nós éramos imundos. Ele tomou o nosso lugar, foi feito pecado na cruz e recebeu a pena do pecador. Aquilo que nós deveríamos sofrer por todos os seculos incontáveis da eternidade, Ele sofreu por nós na cruz. Ele recebeu o que nós merecíamos, para que nós pudéssemos receber os seu méritos.

Por 40 anos, Deus alimentou, com o maná, o seu povo que peregrinava no deserto. O Senhor os sustentou. Êxodo 16:35“E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos limites da terra de Canaã.” Jesus é o pão vivo que desceu do céu e Ele é o nosso sustento de cada dia, de cada necessidade.

Ele deu a sua vida, o seu sangue foi vertido daquele corpo que tomou para si. A sua presença na carne, neste mundo, mostrava que Deus e os homens não podiam estar unidos. Era preciso um mediador entre Deus e os homens, Cristo homem.

Entretanto, tal mediação exigia derramamento de sangue, pois se a morte não interviesse, Ele ficaria só. Nós não poderíamos participar do “Pão que desceu do Céu”. João 12:24 -” Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto.”

Para dar vida aos homens, a vida eterna, Jesus precisou morrer. Cristo teve de viver como homem a fim de morrer, para que, na sua morte, nós fossemos incluídos nele pela fé. Ele deu sua vida por nós. Seu sacrifício foi completo e perfeito. A barreira do pecado, que se colocava entre nós e Deus, foi removida, Romanos 5:10-11“10 Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;11 e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação.”

O Senhor Jesus é o alvo colocado diante de nós, em quem, pela fé, encontramos a vida, por quem vivemos, de sorte que nunca mais teremos fome. Somente Jesus pode saciar a nossa fome.

O apostolo Paulo, apesar de toda a sua religiosidade, tinha uma grande fome de Deus. O seu encontro com Jesus foi suficiente para considerar o seu “currículo religioso” como refugo ( skubalon no grego, que significa lixo) diante da excelência do conhecimento de Cristo, Filipenses 3:8 – “Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo”.

E Aquele que pode saciar a nossa fome está à direita da Majestade nos céus, um homem real, cujo amor é insondável, cujo poder é onipotente, cuja sabedoria é infinita, cujos recursos são inesgotáveis, cujas riquezas são inexauríveis, cujo ouvido está sempre atento às nossas petições, cuja mão está aberta a todas as nossas necessidades, cujo coração está cheio de ternura e amor inefável por nós (significado da palavra inefável: Diz-se daquilo que não pode ser expresso verbalmente. Algo de origem divina, dotado de tantos atributos de perfeição e beleza, que transcende os limites da linguagem humana.). É perfeito em pensamento, palavras e ação. Nele estão todos os recursos espirituais. “Singularmente, a majestade que amedronta e a delicadeza da graça irresistível entrelaçam-se nele”.

Tudo o que temos que fazer é olhar para aquele que se entregou por nós. Pois, nele temos tudo, se queremos libertação, Ele é nosso libertador, se queremos a santificação, Ele é nosso santificador.

Em resumo, temos tudo em Cristo, Colossenses 3:11 -” no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.”.

Há algo que está no mais íntimo do coração de Deus, com o qual ele está inteiramente envolvido e que ele deseja que nós conheçamos: a revelação do seu Filho Jesus Cristo. Na verdade, a única coisa que realmente tem importância é a revelação de Jesus Cristo. Se temos essa revelação, nós temos tudo. Se não temos essa revelação, ainda que tenhamos muito, na realidade nada temos“. (Stephen Kaung).

EU SOU A LUZ DO MUNDO

João 8:12 -” De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.”

a luz e as trevas são opostas entre si. Deus criou  luz e a separou das trevas, Gênesis 1:4-5 – “4 E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.5 Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia.”.  As trevas representam noite, escuridão, que são sinônimos de cegueira e morte espiritual, João 3:19 –O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más.”.

O príncipe das trevas é o diabo que, em figura de serpente, enganou Eva, que foi usada para conduzir Adão à transgressão da lei ordenada por Deus, Gênesis 3:6 –Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu.”.

Assim entrou o pecado no homem, e este passou a viver separado da vida de Deus, Isaías 59:2 -” Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

Mas Deus em Cristo, veio nos dar vida e nos levar à sua “mesa”, símbolo de comunhão. Ele é a luz que tira o pecador da escuridão, da morte, do abismo e o transporta para o seu reino, Colossenses 1:13-14“13 Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor,14 no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.”

O apóstolo Paulo tinha uma religião perfeita. Quanto à lei, era irrepreensível, mas uma coisa lhe faltava – visão. Faltava-lhe luz, faltava-lhe relacionamento com Deus. Mesmo nas trevas, considerava-se reto diante de Deus quando algo aconteceu em sua vida. A luz o atingiu, dando-lhe visão, visão da Pessoa do Senhor Jesus Cristo, Atos 9:3-5“Seguindo ele estrada fora, ao aproximar-se de Damasco, subitamente uma luz do céu brilhou ao seu redor, 4 e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?5 Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues;”

Ele, antes, conhecia as Escrituras, mas estava em trevas. Entretanto, após este encontro, Paulo nunca mais foi o mesmo. Ele foi lançado por terra, ato que simbolizou o fim de si mesmo, e ficou três dias sem enxergar para ganhar a visão de Cristo.

A radiante luz no caminho d Damasco o levou a entender que o significado da glória de Deus é uma pessoa, Cristo, 2 Coríntios 4:4-6 – “4 nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.5 Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus.6 Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo.”

Quanto mais luminosa e pura a luz derramada sobre nós pela grandeza de Deus, tanto mais nitidamente vemos nossa pequenez e nosso nada”. J. Tauler.

Quando a luz resplandece, há  revelação de nossa verdadeira condição. Ela humilha, abate e lança-nos por terra. Para vermos a luz, precisamos de luz.  E a nossa luz é Cristo. O Senhor Jesus, ao morrer naquela cruz, morreu nossa morte e, ao ressuscitar, venceu a morte e as trevas para termo a luz da vida.

Uma vez atingidos pela luz de Cristo, somos condutores de seus raios que reluzirão através de nós e não poderão ser apagados por ninguém, Mateus 5:14 – “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte;”

” Não há escuridão, por mais densa que seja, capaz de ofuscar a luz de uma simples candeia”. Eleanor L. Doan.

Ao curar o cego de nascença, Jesus deu-lhe a visão da luz do dia, mas somente no momento da revelação de Jesus como Filho do homem é que aquele homem pôde ver a luz da vida, João 9:35-38 – “35 Ouvindo Jesus que o tinham expulsado, encontrando-o, lhe perguntou: Crês tu no Filho do Homem?36 Ele respondeu e disse: Quem é, Senhor, para que eu nele creia?37 E Jesus lhe disse: Já o tens visto, e é o que fala contigo.38 Então, afirmou ele: Creio, Senhor; e o adorou.”

Necessitamos de visão, isto é, olhos abertos para vermos o nosso Senhor Jesus Cristo em nosso espírito, pois “onde não visão, o povo perece” ou ” o povo se desintegra“. E, por essa visão, seremos governados. Isto é, passamos a depender de Deus em tudo o que vamos fazer. Pois essa é a vontade de Deus para os seus filhos: qua vivamos numa completa dependência dele.

O Senhor Jesus é a própria luz e brilhará naturalmente em nós e através de nós. Ninguém pode ofuscar brilho do sol, Salmos 84:11 – “Porque o SENHOR Deus é sol e escudo; o SENHOR dá graça e glória; nenhum bem sonega aos que andam retamente.“. Assim como a Terra gira em torno do Sol, nós, os cristãos, giramos em torno de Cristo.

EU SOU A PORTA

João 10:9 – “Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.”

O nosso Senhor é a porta das ovelhas, e aquele que entrar por Ele será salvo. ” Entrar” significa ter acesso à presença de Deus. O Senhor usa a “porta”, símbolo da nossa entrada para a vida eterna, querendo dizer que aquele que passar pela porta deve se submeter  a todas as condições estabelecidas pelo proprietário da casa. Esta porta é estreita, disse o Senhor Jesus, Mateus 7:13-14 -“13 Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela),14 porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.“. A porta  é estreita não porque o Senhor quer dificultar a nossa entrada, mas sim, porque somos inchados em nós mesmos, somos demasiadamente  gordos em nosso ego.

Entrar por mim” significa que estamos incluídos e identificados nele, e tudo o que é dele é nosso. O seu sofrimento é nosso, a sua morte é nossa, a sua ressurreição é nossa e a sua vitória também é nossa. Quão maravilhoso é para os filhos de Deus, quando são provados, tentados e humilhados, pensar  que Deus os vê em Cristo! Perante os seus olhos, nós brilhamos sempre em todo o fulgor de Cristo, revestidos de toda a graça divina. (fulgor = A luz que vem de um corpo qualquer; o brilho transmitido por esse corpo). Efésios 4:24 – “e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.“. Após sermos revestidos por Cristo, nossa justiça, o Espírito Santo irá bordar em nossas vidas a beleza do Senhor. Até no mais íntimo de nosso ser, as virtudes de Cristo serão manifestadas.

Os homens, ao considerarem os filhos de Deus,  vêem apenas as suas imperfeições e defeitos, porque são incapazes de ver além do visível e, portanto, o juízo que fazem é sempre falso e parcial. Quanto mais compreendermos, pela fé, a verdade objetiva, ou tudo o que somos em Cristo, tanto mais profunda, prática e real será a obra subjetiva da cruz em nós. (subjetividade = é o que se passa no intimo do individuo. É como ele vê, sente, pensa à respeito sobre algo).

Entrará, e sairá, e achará pastagem“. Ele é a porta das ovelhas. Ele é, para as ovelhas, a autoridade que lhes permite saírem do aprisco e o meio para ali entrarem. Entrando lá, estão a salvo para entrar e sair. Já não é mais o jugo das ordenanças que, guardando as ovelhas dos perigos do exterior, as conservava em prisão interior.

As ovelhas de Jesus estão em liberdade. A sua segurança depende dos cuidados pessoais do Pastor e, nesta liberdade, elas se alimentam das boas e ricas pastagens que lhes fornece o Seu amor. Salmos 23:2-3 -“2 Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso;3 refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.”. Numa palavra, já não é mais o judaísmo com suas regras. É a salvação, a liberdade e o sustento.

Em Cristo, podemos gozar de uma plena libertação e completa liberdade. João 8:36 – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.“. Agora somos livres da maldição da lei, livres do receio da morte, livres do domínio do pecado e livres da escravidão dos homens. Gálatas 3:10 -” Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las.“. O Espírito Santo declara isto para todos, não importando se a judeus, gentios ou cristãos nominais. Todos os que estão sobre o terreno ou o princípio das obras estão sob a maldição.

Cristo é o objetivo eterno, o centro do universo, a revelação final, o deleite do coração de Deus. Ele nos bastará durante os incontáveis séculos da esplendorosa eternidade que está diante de nós e, certamente, se Ele pode satisfazer o nosso coração para sempre, pode satisfazer-nos no tempo presente. Podemos estabelecer como princípio imutável que aquele que está em Cristo não tem lugar para nada mais, está completo. 1 Coríntios 1:5 -“porque, em tudo, fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento;”.

O apóstolo Paulo encontrou o seu mais intenso e inefável prazer em repetidamente falar com exuberância sobre a Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Tinha achado Cristo tudo quanto necessitava para todo o sempre. A glória da Pessoa do Senhor Jesus Cristo havia eclipsado completamente o apóstolo de todas as glórias da terra. Filipenses 3:7-8 -” 7 Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo.8 Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo”.

O Senhor Jesus veio para nos dar vida e vida em abundância, vida que nasce da morte, vida que saiu do túmulo, vida ressurreta. “… eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” João 10:10b.  O verdadeiro cristianismo é a manifestação da vida de Cristo implantada em nós pela operação do Espírito Santo, segundo os desígnios eternos do Deus da graça soberana.

Se não há revelação de que a única porta de entrada é a pessoa de Cristo, fatalmente seguiremos um caminho de morte. Todas as nossas obras anteriores à implantação desta nova vida em nós não são mais que “obras mortas”, da quais a nossa consciência deve ser purificada. Hebreus 9:14 – “muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!“.

Assim, pois, todo esforço feito com o fim de obter a vida é obra morta. Cristo é a única vida verdadeira e a única fonte de onde podem emanar as boas obras. Efésios 2:10 -“Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.

João quando foi arrebatado aos céus, viu a porta aberta e o trono de Deus. A porta de entrada dos céus se chama cruz. A cruz abre o caminho para o céu. Apocalipse 4:1a -“Depois destas coisas, olhei, e eis não somente uma porta aberta no céu …”. Que o nosso Pai celestial abra o nosso entendimento para vermos uma porta aberta!

EU SOU O BOM PASTOR

João 10:11 -” Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas.

Existem, na Bíblia, três descrições do Senhor como Pastor, que estabelecem três aspectos diferentes do seu pastoreio: o bom Pastor, o grande Pastor e o supremo Pastor. Cada um deles está ligado a uma característica da obra do Senhor Jesus Cristo.

O bom Pastor, que dá a vida pelas ovelhas, como vimos no versículo acima, diz respeito à sua vida doada na cruz por nós. O grande Pastor está escrito em Hebreus 13:20 -“Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança,”, e fala sobre a ressurreição de Jesus.

Por fim, a Palavra diz  que o Senhor é o supremo Pastor revelando o pastoreio de nosso Senhor agora glorificado, sentado à destra do Pai, 1 Pedro 5:4 -” Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória.” (imarcescível = impossível de corromper; incorruptível, inalterável).

O bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas a fim de que possam receber vida. Em contraste direto, temos a atuação dos pastores mercenários, cujo propósito é, antes de tudo, tirar proveito das ovelhas ao invés de servi-las. Ao morrer por nós, o bom Pastor nos legou todos efeitos de sua morte, porque morremos com Ele. 2 Coríntios 5:14 – “Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram.“. E nossa morte com Cristo significa a morte do homem natural, mesmo que este homem natural seja bom de acordo com os padrões deste mundo; é preciso morrer!

Cristo tomou o lugar do pecador na cruz e, no seu corpo, lá na cruz, recebeu o pecado para que o pecador, morto para o pecado, ganhe o seu lugar com Ele na glória. 1 Pedro 2:24 – ” carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.“. Fomos tirados da condição de culpados e colocados para sempre numa condição de perdoados, sem culpa e recebidos por Deus pela justiça de Cristo.

O grande Pastor fala da ressurreição. A morte de Cristo satisfez todas as exigências de Deus quanto ao nosso pecado, e a ressurreição tornou-se a origem de poder em todos os pormenores desta jornada. A palavra “ressurreição” pode ser definida como “vida”. Ressurreição significa que não resta mais nada do que  era antigo e que tudo agora é novo. É uma posição inteiramente nova para o homem. A cruz, portanto, é o fundamento da mensagem cristã. Falar sobre a ressurreição com Cristo sem reconhecer que esta sucede a nossa morte com Ele, é inútil: “Insensato! O que semeias não nasce, se primeiro não morrer.” 1 Coríntios 15:36.

A nossa ressurreição em Cristo é uma nova posição, que significa um abandono completo da antiga posição e de todas as coisas relacionadas a ela. 2 Coríntios 5:17 – ” E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.“. Um outro significado da nossa ressurreição é que o poder operante em vós vem unicamente de Deus. e poder nenhum deste mundo pode diminuí-lo. Como está escrito em Efésios 3:20 -” Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós,”.

A vida de ressurreição nos mostra, pelo Espírito Santo, qua as Escrituras têm como objetivo a revelação da Pessoa de Cristo, Lucas 24:44 – “A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.”.

O supremo Pastor está relacionado à sua glorificação, àquele que está acima de toda autoridade. Ele te o domínio sobre tudo e todos. Daniel 2:19-22 – “Então, foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; Daniel bendisse o Deus do céu. 20 Disse Daniel: Seja bendito o nome de Deus, de eternidade a eternidade, porque dele é a sabedoria e o poder; 21 é ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes. 22 Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.

O nosso Senhor Jesus Cristo já venceu e obteve o triunfo na cruz do Calvário. Agora Ele está coroado com honra e glória. Ele foi feito o herdeiro de todas as coisas e está assentado à direita de Deus, esperando que seus inimigos sejam postos por estrado dos Seus pés. Hebreus 1:13 – “Ora, a qual dos anjos jamais disse: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés?“.

Cristo destruiu todos os poderes que mantinham a criação aprisionada. Ele já venceu o pecado, a carne, o mundo e Satanás. Ressuscitou vitorioso sobre todos os poderes das trevas, conduzindo, assim, o seu povo, da antiga criação e de tudo quanto lhe pertence, para a nova geração, em uma nova dimensão de vida.

Deus ressuscitou o Senhor Jesus Cristo dentre os mortos e o fez sentar à sua direita nos lugares celestiais, sobre um alto e sublime trono, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, para ser o cabeça sobre todas as coisas.

O bom Pastor morre pelas suas ovelhas, o grande Pastor nos dá vida pela sua ressurreição, e o supremo Pastor, que está assentado à direita da Majestade, governa cada detalhe de nossa vida. Isaías 40:11 – “Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente.“.

EU SOU A RESSURREIÇÃO E A VIDA

João 11:25-26 – “25 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá;26 e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?

Jesus é a ressurreição e a vida. Ele trouxe o poder da vida divina ao reino da morte, e a morte é aniquilada diante desse poder. Romanos 6:9 – ” sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele.”. A morte tem seu fim na ressurreição, pois já não tem mais poder sobre Jesus nem sobre aqueles que estão em Cristo.

Efésios 2:1 – “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,”. O homem jaz sob o poder da morte. A condição de todos os homens que nascem neste mundo é a de mortos em espírito. Nascem mortos, isto é, sem a vida de Deus. A Palavra de Deus não diz que o homem está mal ou ligeiramente morto, mas morto de fato e incapaz de reagir a qualquer estímulo.

Somos como Lázaro em seu túmulo, de mão e pés atados; fomos tomados pela corrupção. Assim como não havia qualquer lampejo de vida no corpo de Lázaro, assim também não há nenhuma partícula de vida divina no homem. Este é o estado natural do homem.

O que pode fazer o homem que está sob o domínio do pecado e da ira de Deus? Absolutamente nada. Não há forças no homem para vencer a morte. Não há poder no homem para desarmar o ferrão da morte; somente Aquele que foi ressuscitado dentre os mortos pode nos trazer vida, assim como trouxe Lázaro, que jazia no túmulo a quatro dias. Joao11:41-43 – “41 Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste.42 Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste.43 E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora!“.

A morte entrou pele pecado, mas foi vencida pelo poder da ressurreição. O poder da vida do Filho de Deus resplandece em graça para glória de Deus Pai. Disse Jesus: ” Eu sou a ressurreição e a vida“. Ressuscitados em Cristo, podemos exclamar 1 Coríntios 15:55-57 – “55 Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?56 O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”.

O Senhor Jesus, tendo vida em si mesmo, veio ao mundo e resolveu plenamente todas as consequências do castigo do pecado no homem. Submetendo-se à morte, destruiu na sua morte o poder da morte e, ma ressurreição, tornou-se a vida e justiça de todos aqueles que creem. Romanos 5:17 -“Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo.“.

O Senhor Jesus pagou o preço do nosso resgate, pois Ele nos libertou da lei, do pecado, do inferno, da morte e do sepulcro, e nos  reconciliou com Deus, em graça irresistível. Deus Pai nos deu vida para além do poder da morte, uma vida que nunca pode ser tocada pelo inimigo, nem perdida por nós, pois é a própria vida do seu Filho implantada em nós. Romanos 5:10 -“Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;”.

A nossa ressurreição em Cristo nos coloca em uma posição inteiramente nova, pois Ele não é somente a nossa vida, mas a nossa conduta de vida. Assim como a vida biológica manifesta de forma natural o desejo de dormir, comer, e beber, assim também a vida de Cristo em nós manifesta naturalmente a sede de estar em comunhão com Deus. Salmos 42:1-2 -“1 Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma.2 A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus?“.

Nunca foi do propósito de Deus que vivêssemos neste mundo arrastando-nos com mendigos, mas de revelar, a nós e através de nós, as insondáveis riquezas de sua graça para que desfrutássemos dessa sua grande abundância. “Abundância” é uma característica da “vida”. João 10:10b – ” … eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”. ” Eu sou a ressurreição e a vida “.

O apóstolo Paulo descreve em Colossenses 3:4 -“Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.”. Cristo é nossa vida e isto significa que vida nada mais é do que uma pessoa, Cristo. Deus nos deu a vida, e esta vida está no seu Filho.

Não há, na Palavra de Deus, nada além de Cristo: Cristo é tudo em todos. Cristo é tudo e preenche toda a necessidade do homem. Na presença de Deus, tudo se resume em Cristo. Cristo é a própria vida, e a manifestação desta vida se dá pela operação da morte. 2 Coríntios 4:12De modo que, em nós, opera a morte, mas, em vós, a vida.“.

E no poder dessa nova vida, não há necessidade de se viver dentro de uma esfera rígida do “tu-deves-e-tu-não-deves”, de regras e mais regras, preceito e mais preceito. Contudo, esta vida se manifesta através de frágeis vasos de barro pelo poder da sua ressurreição. 2 Coríntios 4:7 -“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.“.

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA

João 14:6 -“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

Chegamos agora a sexta expressão registrada no evangelho de João, concernente à Pessoa do Senhor Jesus Cristo: o caminho, e a verdade, e a vida. Cristo, como aquele que desceu do céu, elevado às alturas e assentado na glória, veio ser o tudo na vida do seu povo. É muitíssimo precioso, para aqueles que estão em Cristo, descobrir que o Senhor Jesus preenche todas as coisas, e que, nele, temos completa redenção.

Cristo é o caminho, Hebreus 10:19-20 – ” 19 Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus,20 pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne,”. Este novo e vivo caminho foi aberto pela cruz. é inútil tentar entrar por qualquer outro. Os homens podem esforçar-se para achegar-se a Deus através de outros métodos, mas não terão nenhum sucesso. O sacrifício da cruz é divinamente suficiente e único para nos conduzir à presença de Deus.

O nosso bendito Senhor deixou toda a glória do céu pela vergonha da cruz, a fim de guiar o seu povo remido, perdoado, e apresentá-lo inculpável diante do nosso Deus e Pai. Colossenses 1:22agora, porém, vos reconciliou no corpo da sua carne, mediante a sua morte, para apresentar-vos perante ele santos, inculpáveis e irrepreensíveis,”.

A própria Pessoa do Senhor jesus preenche todas as condições necessárias para nos levar  a Deus em perfeita justiça. Graças ao nosso Deus que, por meio de Seu Filho, abriu-nos o caminho. Assim, podemos contemplar a face de Deus e viver dentro de uma atmosfera graciosa.

Cristo é a verdade. O Senhor Jesus não diz que vai nos mostrar a verdade. A verdade não se refere a palavras a respeito de Cristo. Cristo, Ele próprio, é a verdade. Precisamos ser cuidadosos, porque corremos o risco de examinar as Escrituras e de não encontrar a Pessoa de Cristo. João 5:39-40 – “39 Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.40 Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida.“.

O propósito de Deus é que, ao lermos as Escrituras, encontremos a Pessoa do nosso Senhor Jesus Cristo, e, ao mesmo tempo, pelo Espírito Santo, esta revelação passe para dentro de cada um de nós. Lucas 24:44 – “A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.”.

Cristo é a vida. “Eu Sou”, diz o próprio Senhor. Vida é o próprio Cristo. Atos 3:15 -“Dessarte, matastes o Autor da vida, a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas.“. O nosso Senhor é o Autor da vida. A vida está nele. Vida cristã não é tentar viver vida de Cristo, mas sim Cristo viver e manifestar a sua vida em nós. E, se existe vida, não há um pingo de necessidade de realizarmos qualquer esforço, esta vida fluirá naturalmente. Como está escrito em João 7:38 – “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.”.

Vida que se manifestou não só a abundância da própria vida, mas, igualmente, a abundância da fonte da vida, fonte que jamais se extingue. O Salmo 23 revela, de forma maravilhosa, o que isto significa: “nada nos faltará“, “pastos verdejantes“, as “águas de descanso“, com sua “mesa preparada” e seu ” cálice transbordante“. Tudo isso temos em Cristo.

Enfatizamos que o caminho é Cristo, a verdade é Cristo e a vida é Cristo. O Senhor Jesus Cristo é suficiente em todas as questões desta vida. É tudo em Cristo, de Cristo e por Cristo. Se a obra de Cristo é suficiente para a consciência, se sua bendita Pessoa é suficiente para o coração, então, com toda a certeza, a sua preciosa Palavra é suficiente para o caminho. Podemos admitir, com toda a confiança possível, que possuímos no divino volume das Sagradas Escrituras tudo o que poderíamos precisar, não apenas para atender às necessidades de nossa senda individual, mas também para as variadas necessidades da Igreja de Deus, nos mínimos detalhes de sua história neste mundo“. (Charles Henry Mackintosh).

 O conhecimento de Jesus Cristo é vida eterna. Quando Pedro confessou Cristo como o Filho do Deus vivo, a resposta de Jesus foi, Mateus 16:16-17 -“16 Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.17 Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.“. Este é o único meio pelo qual alguém é agregado à família de Deus. É pela revelação da Pessoa de Cristo, que não é uma doutrina.

Não podemos jamais esquecer que o cristianismo não é um conjunto de opiniões, um sistema de dogmas (qualquer doutrina (filosófica, política, religiosa) de caráter indiscutível) ou um determinado número de pontos de vista. É uma realidade viva por excelência, um relacionamento íntimo com a Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Esta revelação, sendo recebida pela fé, atrai o coração para Cristo. João 12:32 – ” E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.”.

Estamos em um mundo onde passamos por dificuldades, provações e sofrimentos; mas podemos descansar quanto àquele que se revelou a nós em todas as nossas necessidades e fraquezas. Nada temos que recear, pois Ele diz: “Eu Sou O Que Sou“.

Quão importante é conhecê-lo assim, nestes dias de deturpação da verdade de Deus. Que Deus, pela sua infinita graça e misericórdia, nos ilumine e nos firme em Sua Palavra!

EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA

João 15:1 – “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor.”

Deus plantou uma videira verdadeira trazida do Egito, Salmos 80:8-9 -” 8 Trouxeste uma videira do Egito, expulsaste as nações e a plantaste.9 Dispuseste-lhe o terreno, ela deitou profundas raízes e encheu a terra.“. Esta videira que foi plantada aqui na terra é Israel. Entretanto, Israel não é a videira verdadeira. A Videira Verdadeira é o nosso Senhor Jesus Cristo, que veio do céu para ser esmagado aqui na terra por cada um de nós.

O vinho é produto de um esmagamento. Uvas maduras são colhidas e posta dentro de um tonel para serem pisadas até desprenderem seu sumo. Neste processo, as uvas perdem sua característica de fruto. Elas passam a ser mosto (sumo ou suco) que se transformará em vinho, que será usado para satisfazer os homens.

Um dos tipos de nossa redenção se encontra no Antigo Testamento descrito em Êxodo 12:13 – ” O sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; quando eu vir o sangue, passarei por vós, e não haverá entre vós praga destruidora, quando eu ferir a terra do Egito.”. O sangue foi posto na verga e nas ombreiras das portas, enquanto a carne do cordeiro era comida no interior da casa. E Deus disse: ” Vendo Eu sangue passarei por cima de vós“. Deus requer que o sangue seja apresentado para satisfazer a sua própria justiça. O sangue era aspergido nas portas, de modo que os que se encontravam em festa dentro das casas não podiam vê-lo. O sangue destina-se primeiramente a ser visto por Deus. “Vendo Eu …”. O sangue é precioso para Deus.

A morte do nosso Senhor Jesus Cristo satisfez completamente a Deus. Deus está inteira e plenamente satisfeito com a redenção realizada pelo nosso Senhor. Nele, a justiça de Deus se cumpriu e foi manifestada ao mundo. Romanos 3:24-26 -“24 sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,25 a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos;26 tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus.“.

Portanto, para nos remir e nos fazer regressar ao propósito de Deus, o Senhor Jesus nos recebeu em seu corpo e, no seu corpo, o nosso maior inimigo foi destruído, o nosso velho homem. Romanos 6:6 – “sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;”.

Não existe outro fundamento pelo qual o homem possa ser justificado fora da morte com Cristo. Se alguém crer que pode ser salvo sobre qualquer outro fundamento que não seja Cristo, somente Cristo, é anátema ou maldito. Deus satisfez a si mesmo e sendo Deus todo-suficiente em si mesmo, também se tornou suficiente para nós em Cristo, Colossenses 2:9-10 -“9 porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.10 Também, nele, estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade.“.

Entretanto , por falta de conhecimento, muitos ainda não compreenderam que são ricos em Cristo, que, na sua falta ou pobreza, podem encontrar em Cristo a sua riqueza. Entre os cristãos, existem aqueles que buscam ser aceitos por Deus na base de seus méritos. Outro estão com os olhos voltados para as mãos do Senhor à espera de bênçãos. E alguns veem a importância de um relacionamento íntimo com a Pessoa do Senhor Jesus Cristo. Salmos 73:25-26 – “25 Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra.26 Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre.”.

C.H. Spugeon expressou assim a sua visão de vida com o Senhor:

Não é ” O Senhor é parcialmente minha porção”, nem ” O Senhor está em minha porção”, mas Ele mesmo reúne a soma total da herança da minha alma. Dentro da circunferência deste círculo encontra-se tudo o que possuímos ou desejamos. O Senhor é a minha porção. Não simplesmente sua graça, nem seu amor, nem sua aliança, mas o próprio Jeová.”.

Disse o Senhor: Eu sou a videira, vós, os ramos.

O ramo está diretamente ligado à videira, como o fruto ao ramo. Cada cacho de uvas esteve primeiramente na raiz, passou através do caule, flui através dos vasos condutores, e foi moldado externamente na fruta. Assim é para aquele que está intimamente ligado ao Senhor. Quando a seiva da graça flui do tronco para o ramo, e quando se percebe que o próprio tronco é sustentado pela mesma nutrição que alimenta o ramo, então se reconhece que de Deus procede o fruto. “De mim procede o teu fruto.” Oseias 14:8b.

Não há necessidade de um ramo se preocupar com a produção dos frutos, pois estamos de posse plena e indiscutível da vida de ressurreição e da justiça eterna. Deixamos a terra da morte e das trevas; fomos trazidos ao próprio Deus. Quanto mais Cristo se revelar em nós, tanto melhor compreenderemos qua a nossa comida e a nossa bebida é fazer a sua vontade. Não é uma vontade imposta, como um  peso insuportável às costas ou um jugo incômodo ao pescoço.

O jugo foi “despedaçado”, o fardo foi tirado para sempre pelo sangue da cruz, e nós avançamos “resgatados”, “regenerados” e “desembaraçados”. Filipenses 3:13-14 – “13 Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão,14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.“. Assim como a flecha é lançado para o alvo, impulsionada pela força do arqueiro, Cristo tanto é a força que nos impulsiona, como também o nosso alvo.

O Senhor Jesus preenche todo o universo, e, assim, não há lugar algum para outro senhor porque, se Ele reinar em nossas vidas, não haverá espaço para outro poder reinante. Cristo será tudo ou nada.

A Palavra de Deus é uma galeria de arte, a qual está adornada com tributos ao bendito Cristo de Deus, o Salvador da humanidade; numa parte vemos um retrato daquele que há de vir; noutra parte, detalhes de sua história, num outro lugar nos é mostrado o cordeiro, cujo sangue derramado apontava para o sacrifício que haveria de ser realizado; em um outro trecho, vemos uma pessoa ou evento que tipificam aquele que é o maior dentre todas as pessoas! Ora uma parábola, ora um poema; numa ocasião, uma lição, noutra ocasião, uma narrativa, ou uma explicação, ou exposição que enchem de divino significado mistérios que haviam permanecido ocultos ao longo das eras aguardando pela chave que iria abri-los.

Mas seja qual for a forma ou aspecto, seja um fato ou uma ilustração, profecia ou história, parábola ou milagre, tipo ou antitipo, alegoria ou narrativa, olhos capazes de discernir vão encontrá-lo em toda parte – o Messias escolhido por Deus, o Cristo ungido por Deus. Não há graça humana alguma que não seja um reflexo ou uma descrição da Sua beleza, daquele  em que toda graça está entesourada e entronizada – não há uma virtude sequer que não seja uma mostra de sua graça e formosura. Tudo o que é glorioso é simplesmente um aspecto da sua infinita excelência, assim como toda a verdade e santidade encontrada nas Escrituras são apenas um novo tributo Àquele que é a Verdade, o Santo de Deus.

Eder Santana de Almeida

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Outubro de 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s