MANSIDÃO E PERDÃO

ovelhaVivemos dias estressantes, cercadas de pessoas que não temem a Deus. Estamos sujeitos à calúnia, maldade e injustiça em nosso dia-a-dia. A vida familiar tem se tornado corrida e os atritos dentro de casa podem ocorrer: brigas, discussões, ameaças, violência podem ocorrer. O que fazer nestas horas? Quem já teve vontade de vingança? Quem já virou a cara ou deixou o outro falando sozinho?

Nossa natureza terrena é vingativa e cheia de maldade. Em geral, as pessoas reagem segundo a “carne” e não segundo o Espírito de Cristo. Reações violentas e até mesmo uma vingança silenciosa. Também uma reação introvertida, onde se guarda ódio no coração. Este coração ferido costuma se fechar para que as ofensas não continuem a machucá-lo. Uma pessoa com o coração fechado torna-se insensível, indiferente, individualista. Ela perde a alegria, a espontaneidade e o amor. Nem mesmo o amor de Deus pode penetrar neste coração blindado. A pessoa passa a não sentir o amor dos outros e tem muita dificuldade de receber o amor do seu próximo. Sua vida começa a ser determinada pelo ofensor. Sempre se esquiva, sempre se distancia, sempre está “assassinando” a pessoa que a ofendeu. Evita estar perto a qualquer custo. Na sua solidão sente compaixão por si mesma e começa a se apegar à sua própria justiça. Torna-se arrogante achando que é mais santo do que o seu ofensor. Julga constantemente o ofensor, espalha calúnia e vai crescendo o desejo de vingança. Nesta altura, a pessoa está cheia de amargura em seu coração. Por onde passa deixa o rastro e o cheiro de seu coração amargurado. Você é amargurado?

O inimigo conhece a natureza humana e sabe como envenená-la. Muitos acabam morrendo de câncer na sua longa solidão. Miserável vida, cativa de sentimentos de ódio e vingança.

Neste mundo corrido, cheio de injustiças e maldades, é necessário que estudemos a Palavra de Deus para que saibamos como reagir diante das ofensas e maldades. A Palavra de Deus nos ensina e nos leva a vencer as astutas ciladas do diabo. Efésios 6:11 – “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo”. O diabo vem como ladrão para roubar nossa alegria, paz e comunhão com o nosso próximo. Ele lança dardos inflamados em nossa mente levando-nos a brigar uns com os outros. Precisamos entender que é o diabo que provoca as brigas naqueles que não nasceram de novo. O verdadeiro cristão sabe que sua luta não é contra a carne e o sangue, isto é, contra aquele que aparentemente está nos ofendendo. Para vencer esta batalha precisamos estar sempre revestidos da armadura de Deus. Esta armadura é a própria Pessoa do Senhor Jesus em nós. Cristo em nós, isto sim, é a armadura para vencer o diabo. Sem a vida manifesta de Cristo em nós, estamos vulneráveis aos ataques do maligno. Precisamos, pela cruz, viver em Cristo, por meio de Cristo e para Cristo o tempo todo. Romanos 13:14 – “mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências”. Cristo é a nossa armadura.

Nesta guerra, precisamos seguir os conselhos do nosso General. Provérbios 4:23 – “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida”. Esta é uma grande lição de vida. Nossa vigilância deve ser constante, especialmente quando estamos debaixo de ofensas malignas. A natureza humana decaída é terrível. Por natureza somos capazes de maltratar o semelhante. O “booling” é um exemplo, a escravatura, a prostituição forçada, a violência contra a mulher e menores. Outra violência é aquela através dos ímpios contra aqueles que amam o Senhor Jesus.

Sigamos as instruções bíblicas quando estivermos sendo atacados maldosa e injustamente. As ofensas malignas vêm para nos empurrar para o ódio e vingança contra o nosso semelhante. Não caiamos nesta cilada. Vejamos alguns conselhos do Mestre e Senhor que sofreu calúnias, perseguições, falsas acusações e, no entanto, não vingou a si mesmo. Ele venceu as astutas ciladas do diabo nesta área.

Em primeiro lugar, o Senhor sabia que a vingança pertence a Deus. Por isso, entregava tudo Àquele que julga retamente. I Pedro 2:23 – “pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente”. Ele sabia que Deus proíbe a vingança; sabia também que a vingança pertence à Deus. Romanos 12:19 – “não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas daí lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor”. O mundo perverso, usado por Satanás, alimenta sempre a vingança no coração daqueles que não temem a Deus. Novelas e filmes bem bolados, inspirados pelo próprio diabo fazem sucesso nas telas do mundo todo. Quando assistimos filmes sobre vingança, sentimo-nos realizados, satisfeitos ao final da trama toda. Tudo é bolado de forma que, durante o filme todo, fiquemos torcendo para que o mocinho vingue sua amada e seus filhos, que, logo no início do filme, foram mortas brutalmente pelo bandido. Saímos do filme sorridentes e satisfeitos. O diabo conhece esta nossa natureza perversa e a alimenta para que pratiquemos a vingança. Lembre-se: Deus proíbe! Quando alguém te ofender e seu coração ficar cheio de ódio, pergunte à Deus se Ele está te apoiando e te liberando a trucidar o seu ofensor. De modo algum! A ordem de Deus é clara para todos em qualquer circunstância: “amados, não vingueis a vós mesmos”. Não! Disse Deus. Você vai desobedece-Lo? Só porque o cara me ofendeu, tenho o direito de ofender a Deus transgredindo Sua ordem? Só porque o meu inimigo não teme fazer o mal, eu também perderei o temor de Deus? De jeito nenhum! Deixe o sujeito nas mãos de Deus.

Em segundo lugar, fique atento, pois o inimigo, quando percebe que você teme a Deus e não vai partir para a vingança; logo, muda de tática. Diante da ofensa, o inimigo vai soprar em seus ouvidos: você é covarde? É marica? Todos vão rir de você; vai, faça alguma coisa, diz o diabo. Não caia nesta também, pois o maior Homem que já existiu, o mais poderoso, o Filho de Deus, não reagiu às provocações do diabo. Não levantou a mão, não gritou, não ameaçou. Foi manso e perdoador. Ele é o nosso exemplo (I Pedro 2:21). O apóstolo Paulo seguiu o exemplo do Senhor (I Coríntios 4:12-13).

No passado, um homem de Deus, o Sr. Dod, após uma pregação viva e penetrante, foi atacado com fúria. O ofensor lhe desferiu um golpe em sua boca de modo que dois dentes foram quebrados. Ao cuspir sangue e dente em sua mão, calmamente disse ao ofensor: “Se você permitir que eu ore por você e peça que Deus te abençoe, deixarei que você arranque todos os meus dentes”. Este pregador da verdade não estava com raiva, pelo contrário, havia mansidão e espírito perdoador. Este é o Espírito de Cristo na hora da ofensa. Mansidão, misericórdia, amor, humildade e bondade. Cristo em nós manifesta esses maravilhosos frutos no momento da ofensa e agressão. Assim guardamos o nosso coração; assim obtemos vitória sobre as artimanhas do inimigo e prosseguimos em paz.

Os homens que andaram pelo caminho da mansidão e do perdão, como Cristo, experimentaram uma alegria muito grande. Aqueles que guardam o seu coração ao guardar a Palavra de Deus desfrutarão de alegria e paz em seu caminhar. As ofensas, maldades, injustiças e violência; por incrível que pareça, foram benéficas para eles. Aperfeiçoou-os na santidade e no temor de Deus. Fê-los mais parecidos com Cristo. Estes santos alegremente louvaram a Deus pela dolorosa e humilhante situação em que passaram. Foi de bom proveito. Um santo do passado chamado Jerônimo disse: “Dou graças a meu Deus que eu seja considerado digno do ódio do mundo”. Atos 5:41 – “E eles (os apóstolos) se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome”.

A mansidão e o perdão na hora da ofensa trazem tripla vitória: em primeiro lugar, vitória sobre sua vontade própria de exercer justiça própria fazendo vingança com a própria mão; segundo, vitória sobre o inimigo e suas astutas ciladas e terceiro, vitória sobre o coração duro do ofensor.

Não se esqueça que o Soberano sabe todas as coisas. Quando Ele permite ofensas em sua vida é porque Ele deseja trabalhar no seu coração para que você seja feito mais parecido com o Senhor Jesus; para que você experimente uma alegria que só os santos experimentaram; para que você seja humilde e cresça em louvor e adoração. De uma feita, Simei, da mesma tribo de Saul, a tribo de Benjamim, começou a praguejar, injuriar, amaldiçoar e a atacar Davi com pedras; Davi não deixou que o desejo de vingança brotasse em seu coração. Ele soube guardar o coração nesta hora. Ele simplesmente cumpriu a Palavra de Deus que proíbe a vingança. Foi manso e misericordioso neste momento. Como a situação persistia, Abisai, um grande guerreiro de Davi, pediu permissão para arrancar a cabeça de Simei; porém, Davi não permitiu. Ele simplesmente deixou nas mãos de Deus e prosseguiu sem fazer justiça própria (II Samuel 16).

Outro exemplo de temor, mansidão e fé foi Jó. Quando os seus dez filhos estavam festejando na casa do mais velho, vieram os sabeus e caldeus, povos circunvizinhos e mataram todos eles. Assim que Jó recebe a notícia, ele se inclina diante de Deus e O adora. Ele guardou seu coração de vingança contra aqueles povos que mataram todos os seus filhos. Ele creu na soberania de Deus, ele simplesmente voltou-se à Deus neste momento de tragédia (Jó 1).

Sabe, nós somos muito “cara de pau” diante de Deus. Constantemente ofendemos a Deus ao descumprir Sua Palavra. Ofendemos com nossas atitudes e palavras e nem estamos aí. E Ele, não vinga, não faz cair um raio sobre a nossa cabeça. Vivemos de boa mesmo quando somos tão ofensivos e pecadores. Ele nos tolera e nos perdoa. Ele é manso e misericordioso. Então, porque queremos vingança? Leia Mateus 18:32-33 – “Então, o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda porque me suplicaste; não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, com também eu me compadeci de ti?”

Hoje vejo como Deus foi misericordioso para comigo. Não tenho mais o direito de jugar quem quer que seja; jamais devo condenar um ofensor. Aprendi que devo perdoar sempre o que me ofende. Efésios 4:32 – “Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou”. Jamais esqueçamos da grande misericórdia de Deus para conosco. A cruz é o memorial desta misericórdia. Para aqueles que se esquecem da cruz, da mansidão e perdão de Deus; será lembrado que Deus também é justo. Mateus 6:14-15 – “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas”.

Lembremos: a vingança pertence a Deus. Então, não devemos ser estúpidos para tirar este direito das mãos Dele. Só ele pode vingar!

SEJAMOS MANSOS E PERDOADORES

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Outubro de 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s