A ESTRADA REAL DA CRUZ – PARTE II

estrada real da cruzNo estudo anterior, algumas perguntas merecem atenção: Porque temer a estrada da cruz se ela nos conduz à Jesus? Porque não andar por ela se, nela, encontramos Jesus? Porque não seguir os passos do Senhor na estrada que nos conduz à salvação eterna?

Vimos também que Aquele que nos fez este maravilhoso convite, é o mesmo que, amorosamente, saciou a fome daqueles que O seguiam pelo deserto. Seguir Jesus pela estrada real da cruz é o mais amoroso convite que podemos receber; pois é feito pela Pessoa que mais nos ama. Lucas 9:23 é um convite de amor!

Porque rejeitar a cruz se a sua ação nos torna parecidos com o Filho de Deus? Porque não tomar a cruz e morrer para o ego, o mundo e o pecado que tanto desagradam o Pai?

Vemos na vida do Senhor Jesus e dos apóstolos que, tomar a cruz, é também tomar o sofrimento pelo nome Dele. A vida de cruz não se harmoniza com a vida folgada e prazerosa que a carne tanto deseja. A cruz exige o morrer para si mesmo a fim de viver para o Senhor. A ação da cruz consiste em anular o ego e, ao mesmo tempo, manifestar a vida de Jesus em nós e através de nós. Aqueles que desejam a cruz, desejam, no fundo, o próprio Senhor Jesus. Depois de tantos anos vivendo cansados e frustrados sob a ação do ego, agora só desejam a vida de Cristo. II Coríntios 4:10 – “levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo”.

Falando em tribulação e sofrimento, em provas e dificuldades, vamos atentar para as palavras dos “homens de cruz” que a Bíblia notifica. Alguns destes homens são os apóstolos Paulo, Pedro e Tiago. II Coríntios 4:8-9 – “Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos;”. No verso 17 diz: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação”. II Coríntios 6:10 – “entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo”. São palavras de alguém “esquisito”, “maluco”, “diferente”; porém, não derrotado e nem triste. Apesar de ser tudo tão estranho, certamente é a vida abundante que Cristo veio nos dar (João 10:10). A vida de cruz nos leva a viver de um modo totalmente vitorioso nas “piores” circunstâncias da vida. É simplesmente fantástico! É loucura para aqueles que se perdem sem a experiência da cruz; porém, é fundamental para aqueles que vivem a cruz. O apóstolo Tiago parece tão insano quanto Paulo e Pedro. Tiago 1:2 – “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações”. Que palavras “esquisitas”, “anormais”. A vida toda procuramos fugir das provas e tribulações. Logo ligamos a televisão ou vamos pescar ou vamos tomar uma no bar da esquina, só para esquecer as tristezas da vida. O homem vive se esquivando do sofrimento e quando vê alguém sofrendo, logo quer consolar e animar. Ao invés disso, que tal dar o seguinte conselho: “Ô rapaz, fique contente porque você está passando por provas!”. Talvez você apanhe dele, mas é o certo segundo as Escrituras. As pessoas detestam aquilo que a Bíblia nos recomenda; desejam apenas coisas que pareçam boas aos nossos olhos. Aliás, os motivos de alegria dos homens são bem diferentes dos motivos que Deus recomenda. O apóstolo Pedro também parece insano como os outros dois acima citados. I Pedro 1:6 – “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações,”. Pulem de alegria se vocês forem entristecidos por estar passando por muitas provações. Já disse isso para alguém? Apanhou? Teve que sair correndo?

Pois é, tudo parece tão contraditório até que a cruz entre em ação. O conhecimento experimental da cruz transforma o nosso ponto de vista por completo. O caminho real da cruz nos traz a revelação destas palavras verdadeiras. Só a cruz nos coloca no prumo da Palavra de Deus. Pela cruz veremos que estas palavras são normais, verdadeiras e verdadeira bênção para a nossa vida. Começamos a ver que, “insano”, são aqueles que não conhecem e nem experimentam esta verdade. O Senhor e os apóstolos estavam certos; os homens que não conhecem a estrada da cruz é que andam na contramão.

Este estudo visa encorajar aqueles que estão dando os primeiros passos na estrada real da cruz. Se você já está recebendo a revelação da cruz de Cristo, alegre-se no Senhor; pois, isto te conduzirá a conhece-Lo de fato e de verdade. II Coríntios 5:16 – “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo”. Quanto mais você O conhece, mais maravilhado fica com Ele. Quanto mais maravilhado com Ele, mais deseja tomar a sua cruz. Os apóstolos diriam: se as tribulações nos fazem andar pela estrada real da cruz e a estrada da cruz nos conduz à Jesus, então, é isto que queremos. O resto não importa. É pelo fato de ter Jesus que nos alegramos. O foco não é o sofrimento, as provações; mas, tão somente, Jesus Cristo. É interessante ver que os crucificados são pessoas provadas; passaram pelo fogo de Deus. Os crentes folgados que não passaram pela cruz, logo rejeitam o convite de amor da cruz. Mas aqueles que ouvem-na e ficam maravilhados, certamente encontraram a verdadeira alegria em Cristo.

Esta mensagem, à primeira vista, parece tão estranha, como as palavras dos apóstolos; porém, visa proclamar que a estrada real da cruz é, de fato, a estrada que devemos continuar trilhando. E quanto maior for as provações, melhor é. A presença das tribulações e lutas são provas de que estamos na estrada da cruz. Estar na estrada da cruz é a certeza de estar em Jesus. Ele nos basta! Toda e qualquer incerteza ou tristeza, em breve, será totalmente trocada por plena certeza e alegria perene.

O amor de Deus é tão grande por aqueles que se dispõe a negar a si mesmo e a tomar a cruz a fim de seguir o Senhor que, este amor é derramado com provas e lutas. O amor de Deus se transforma em combustível para que avancemos mais e mais em direção à Jesus Cristo. Portanto, por onde quer que andemos, teremos a cruz para tomar a cada dia. Aquele que está sendo alvo deste tão grande amor, não tem como escapar das tribulações. As tribulações são as placas de sinalização e as boas notícias para o crucificado. Ele logo se alegra, pois começa a vislumbrar o próprio Senhor Jesus adiante dele. As tribulações o ensinam a ter um único foco: o Senhor Jesus! Quando começam as tribulações, não olha para si e nem para as circunstâncias; olha somente para Cristo e Nele se alegra. As tribulações o ensinam a olhar para Cristo, a estar em Cristo, a se alegrar em Cristo. O Pai ama tanto o crucificado que quer que ele seja a noiva de seu amado Filho. O Pai conduz sempre o crucificado à Jesus através das tribulações. Por isso os apóstolos se alegravam nelas, porque elas produzem fé em Jesus Cristo. Apontam para Jesus, revelam Jesus, guiam à Jesus. Isto é cristianismo!

Estas tribulações podem ser causadas pelas pessoas que estão ao nosso lado, pelas dificuldades da vida, pelas perdas, pelas frustrações e insatisfações e até mesmo pela sensação de “ausência de Deus”. Tudo que você precisa é tirar os olhos de si mesmo e das pessoas que estão sendo instrumentos de Deus para te conduzir à Jesus Cristo. Na estrada real da cruz, a necessidade, o abandono, as dificuldades, as pessoas chatas, a falta de dinheiro e de saúde, são instrumentos de Deus para nos levar à Jesus.

Na passagem de ano, muitos cumprimentam e desejam “saúde”. Eles dizem: “o que importa é ter saúde, o resto a gente consegue!” O amor de Deus pode trazer enfermidades para que aprendam que a saúde não está acima de Deus. Não se pode trocar a saúde pelo próprio Senhor da vida. Alguns desejam “felicidade”. Querem ser felizes a qualquer custo e para tanto, vivem fugindo das tribulações. Nem desconfiam que são elas que podem leva-lo à verdadeira felicidade, que é o próprio Senhor Jesus Cristo. Alguns desejam “muito dinheiro no bolso”. A tribulação da cruz pode operar para que estes tenham pouco dinheiro no bolso para que aprendam que a fé em Jesus Cristo é melhor do que o ouro. I Pedro 1:7 – “para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”.

Todas as lutas e tribulações da vida poderão te fazer mais parecido com Jesus Cristo. Nisto podemos nos alegrar. Os apóstolos se alegravam nas tribulações, pura e simplesmente pelo fato de serem conduzidos para Jesus Cristo. Jesus Cristo era o motivo para se alegrar nas horas de tribulação. Tudo desemboca Nele, tudo é por Ele e para Ele. É Nele que devemos passar as tribulações e é Nele que devemos nos alegrar nas dificuldades. Ele é o centro e a razão de tudo em nosso viver. Na estrada real da cruz nos identificamos com Jesus e passamos a viver para a Sua honra e glória.

Esta é a estrada que o Senhor trilhou; esta é a estrada que o Pai preparou para que andemos. Andemos pela fé e então, veremos nosso maravilhoso Senhor.

II Coríntios 5:7 – “visto que andamos por fé e não pelo que vemos”.

A ESTRADA REAL DA CRUZ NOS CONDUZ À JESUS.

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, Janeiro de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s