HEBREUS 10 – PARTE II

A EFICÁCIA DA OBRA DA CRUZ

Leia Hebreus 10:1-10

biblia_lerO escritor de Hebreus tem convicção em suas palavras. Ele está relatando algo vivo, real, eficaz. Ao ver a situação dos cristãos hebreus; alguns querendo voltar ao judaísmos, ele persiste, insiste, repete as mesmas verdades. É um verdadeiro defensor da verdade cristã. Seu coração não tem dúvidas quanto à eficácia da obra da cruz e ao mesmo tempo, quanto à ineficácia dos ritos judaicos em relação à purificação. Estes são os dois assuntos principais aqui neste capítulo. Com toda a convicção, ele diz que os antigos ritos são insuficientes e ineficazes. No verso 1, ele diz que a antiga lei quanto à purificação dos pecados: “nunca jamais pode tornar perfeito os ofertantes”. Olha a convicção de suas palavras: “nunca jamais”. No verso 4 ele diz que é “impossível” que o sangue de touros e bodes remova pecados. “É impossível”! São palavras conclusivas, carregadas de absoluta verdade e convicção. Certamente ele provou a ineficácia dos ritos judaicos e também, a eficácia do sangue de Jesus.

Ao escrever este estudo, tenho o mesmo sentimento do escritor de Hebreus quanto à purificação dos pecados. Outrora, na religião dos homens, sem o conhecimento do sangue da cruz, eu vivia confessando os pecados; porém, jamais havia experimentado uma lavagem poderosa da minha consciência. Fingia ser uma pessoa santa; porém, era apenas mais um hipócrita. Eu sabia o quão pecador era, pois minha própria consciência me acusava e eu não tinha paz.

Hebreus 10:1 traz outra expressão: “ano após ano, perpetuamente, eles oferecem os mesmos sacrifícios”. Assim era minha vida religiosa antes da cruz. Como vivia em pecados, constantemente e quase que perpetuamente, vivia confessando os mesmos pecados. Muitas vezes deixava de confessar porque já sabia que iria pecar outra vez. Era um crente desanimado e fracassado. Por mais que me esforçava, não conseguia ter consciência pura diante de Deus. Para mim, a vida cristã era algo impossível de se viver. Quando ouvia uma pregação sobre a santidade de Deus, caía um temor sobre mim; porém, não sabia como viver uma vida de santidade. A revelação da cruz trouxe alívio, paz e consciência pura. Sou imensamente grato a Deus pela revelação da minha inclusão na morte e ressurreição do Senhor Jesus Cristo.

No ano passado, eu fiquei sofrendo por seis meses de sinusite. Muita infecção, desânimo, tosse, expectoração constante e muito cansaço. Como o pulmão vivia carregado, fui ao instituto do pulmão para um exame. Tirei radiografia, tomei antibióticos e xaropes. Mesmo com os medicamentos, a tosse, o catarro e o cansaço continuavam. Eu estava desanimado. Um dia, pela graça de Deus, resolvi ir a um otorrino, amigo meu. Ele me ouviu, examinou e receitou alguns remédios. Dentro de poucos dias estava curado da sinusite; a tosse e o catarro sumiram. Foi de uma eficácia chocante. Eu não sabia que era sinusite. Os remédios do pulmão foram ineficazes e os da sinusite foram eficazes para mim. Melhorei e me animei sobremaneira. Quanta diferença. Enquanto persistia no tratamento do pulmão, nada mudava. Assim que me receitaram o remédio certo, a cura veio de imediato.

Se todos aqui tivessem os mesmos sintomas que eu tive, ao ver o sofrimento, mais do que depressa e com toda a convicção e ânimo, eu indicaria o médico e o remédio certo para a cura total. Por longos anos vivi um evangelho falso, sem a cruz de Cristo. Um evangelho onde eu fazia as coisas acontecerem. Meu esforço, minha justiça, minha fé, minha dedicação, meu jejum, minha oração. Eu baseava minha vida cristã em mim mesmo e não naquilo que Cristo fez na cruz. Por este tempo todo vivi um falso cristianismo, sem a nova vida em Cristo; sempre carregando um fardo enorme pelos meus pecados. Não tinha autoridade espiritual porque a culpa do pecado pesava sobre mim. Não pregava com alegria e convicção porque o remédio do evangelho não havia funcionado em mim. Eu precisava usar os recursos humanos para entreter e manter a igreja cheia; porém, eu mesmo me sentia sem paz e esperança.

Aqui no capítulo dez de Hebreus, o escritor está chamando os cristãos a um exame de consciência. Por acaso o judaísmo trouxe paz ao coração de vocês? Vocês tem toda a certeza que foram purificados dos pecados que cometeram? Vocês não entenderam que tudo aquilo era apenas sombra dos bens vindouros? Isto é, o que é real e bom veio com Cristo. Aquilo tudo apontava para o sacrifício da cruz.

Pensem comigo, diz no verso 2. Se os ritos antigos tivessem purificado os pecados e a consciência, então esses ritos teriam que continuar; porém, vocês sabem da ineficácia deles. Por isso precisamos atentar ao que é real e eficaz. Quer saber de uma coisa? Esse ritos só fazem a gente lembrar dos pecados e nada mais. Que vantagem tem nisso? Só vai me deixar com a consciência mais pesada ainda. Só vai me entristecer mais.

Olha, graças a Deus, temos um sacrifício que funciona mesmo. Nossos pecados só poderão ser perdoados e lavados completamente e eficazmente pelo sangue de Jesus. A cruz é o bem vindouro, a cruz é o sacrifício eficaz, a cruz funciona.

Hebreus 10:10 – “Nessa vontade é que temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas”. O escritor de Hebreus é claro quanto à obra da cruz. Ele sempre aponta para a cruz de Cristo. Em se tratando de pecado, só tem um caminho: a cruz de Cristo. O Livro de Hebreus é fantástico porque, além de nos abrir os olhos quanto àquilo que não funciona, mostra de modo claro aquilo que funciona = a cruz.

De fato, se o nosso cristianismo não tem a co-crucificação com Cristo, não vai funcionar jamais. A ignorância dos hebreus do primeiro século é como a ignorância de muitos hoje que não conhecem a eficácia da cruz de Cristo.

Hebreus 10:5-7 é a citação do Salmo 40:6-8. É a expressão daquilo que Jesus disse quando estava para vir a este mundo. Olha o coração do Salvador. Sua pronta vontade de agradar o Pai servindo de sacrifico pelos nossos pecados. Quão amoroso e bondoso é o Senhor Jesus.

No verso 8 de Hebreus 10, o Senhor reconhece que Deus não se agrada dos sacrifícios que eram oferecidos no Velho Testamento. Aqueles ritos todos, aquelas tentativas de agradar a Deus fora de Cristo não são agradáveis diante de Deus. Precisamos entender que a única maneira de agradarmos a Deus é através do Filho crucificado. Somente em Cristo podemos ser agradáveis a Deus. Efésios 1:6 – “para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado”. Hebreus 13:21 – “vos aperfeiçoe em todo o bem, para cumprirdes a sua vontade, operando em vós o que é agradável diante dele, por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém!”. I Pedro 2:5 – “também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacríficos espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo”.

Não há outro caminho para nos achegarmos à Deus senão por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Isto todos sabem; porém, poucos são os que conscientemente elevam a Deus uma adoração e louvor agradável a Deus por intermédio do Senhor Jesus Cristo. Muitos dirigentes de louvor, instrumentistas, vocalistas e pregadores querem agradar a Deus com seus talentos e esforço. Será que você serve a Deus e o adora por meio do sangue da cruz? Sua adoração é em Cristo? Você ousa aproximar-se de Deus fora de Cristo? Quando você presta culto a Deus, você vai pelo Sumo Sacerdote que se assenta à destra da Majestade? Hebreus 4:14-16 mostra que só podemos nos aproximar com confiança porque temos a Jesus, o Filho de Deus, como nosso grande Sumo Sacerdote.

Precisamos entender que conhecemos Deus na face de Cristo. Tudo é por meio Dele. Sem Cristo não tem Deus. II Coríntios 4:6 – “Porque Deus, que disse: Das trevas resplandecerá a luz, ele mesmo resplandeceu em nosso coração, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Cristo”.

Os judeus não estavam entendendo esta verdade. Abraão, Moisés, Arão, os profetas e os anjos ficaram para trás. Hoje é por meio do Filho. Hebreus 1:1-2 – “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo”. Esta verdade é tão básica; porém, muitos religiosos estão tropeçando nela. Temos que nos firmar em Cristo para tudo, o tempo todo. Este é mais um dos apelos relevantes de Hebreus. Não fique no antigo, não fique em você; isto não funciona. Você não é deus para que tudo funcione por meio de você. Somente Jesus é e pode fazer funcionar. Já foi determinado pelo Todo Poderoso que tudo será por meio do Filho. O Filho tem a primazia (Colossenses 1:18). Deus colocou tudo em Cristo. Colossenses 1:19 – “porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude”. Os ensinos de Hebreus são os mesmos das epístolas. Tudo nas Escrituras apontam para Jesus, desembocam em Jesus, centralizam o Senhor Jesus. Era isso que o escritor de Hebreus tanto queria para os seus conterrâneos e contemporâneos. Jesus Cristo funciona! Ele é eficaz!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 13 de Janeiro de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s