HEBREUS 10 – ESTUDO XI

old-book-wallpaper-for-desktopNo estudo passado ficou uma indagação: “se não haverá uma segunda cruz, se Cristo não mais vai voltar para resolver o problema do pecado, então como ficam aqueles que, após conhecerem o sacrifício da cruz, voltam a pecar?

O que o irmão que caiu no pecado deve fazer? Na primeira vez ele recorreu ao sangue de Cristo, e agora? Se este sacrifício foi só uma vez, então ele não precisará recorrer novamente, certo? A cruz de Cristo já fez a obra. Veja, por exemplo, Hebreus 9:28 – “assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação”.

A resposta para o irmão é: O sacrifício da cruz foi suficiente para sempre, por esta razão, não precisará de um outro sacrifício. Sendo assim, não é de outro sacrifício que o irmão vai precisar. Ele vai precisar se arrepender e confessar seus pecados. Quanto ao sacrifício da cruz, se foi eficaz uma vez, será sempre eficaz para nos perdoar e salvar. Apegue-se firmemente à verdade das Escrituras; do contrário, o inimigo poderá oprimir e enganar. Creia sempre na obra da cruz; o precioso sangue de Jesus jamais vai deixar de ter validade sobre nós.

Se um dia você cair no pecado, lembre-se do precioso sacrifício da cruz. Sua validade é eterna. Jesus fez uma obra completa e trouxe a eterna redenção para nós. Pelo sangue da cruz nossos pecados foram purificados e, se viermos a pecar outra vez, não precisamos ficar com medo de perder a salvação eterna. Ele veio para nos dar vida e vida em abundância (João 10:10). Se temos o Filho, temos a vida, diz o apóstolo João. I João 5:11-12 – “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida”.

Quando pecamos, devemos voltar imediatamente ao Filho, pois Ele é o nosso Advogado. Ele é o nosso Defensor. Um filho que caiu no pecado deve buscar a face do Senhor em contrição, arrependimento sincero e confissão de seu pecado. O cristão jamais deve viver na prática deliberada do pecado, pois isto é pisar no sacrifício da cruz. Para estes, não resta salvação. Hebreus 10:26 – “Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados;”. O problema está quando o irmão escolhe viver no pecado. Permanecer no pecado é insistir em ir ao inferno. Continuar na prática do pecado é desprezar o sacrifício da cruz. Hebreus 10:29 – “De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça?”.

A Escritura nos ensina que a obra da cruz nos salvou do poder escravizador do pecado. Fomos libertos do pecado ao sermos incluídos na morte e ressurreição de Cristo. Após o novo nascimento, não precisamos mais andar na prática do pecado; o pecado já não tem mais domínio sobre nós. Isto porém, não nos deixa blindados contra o pecado. Precisamos andar em temor e na luz do Senhor todos os dias e nos desviarmos do mal como Jó fazia.

Qualquer homem pode cair no pecado; até mesmo o regenerado. A diferença, na prática, é que o pecador continua na prática e na escravidão do pecado. Enquanto que, o regenerado, logo se arrepende, confessa e abandona o pecado. O regenerado não brinca com o pecado; ele tem temor do Senhor e deseja profundamente andar de modo santo e irrepreensível diante do seu Deus. Ele confia no sangue da cruz e, por isso, vai ao Trono da Graça para receber misericórdia. Hebreus 4:16 – “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”.

Quem experimenta a cruz, nela confia! O cristão que caiu no pecado tem confiança no sangue de Cristo e vai até Deus porque sabe que o seu Sumo Sacerdote está à direita do Todo Poderoso para interceder por ele. Hebreus 4:14-16 – “Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”. Como Jesus é maravilhoso! Como Ele nos ama! Que segurança temos Nele ainda hoje! Ao irmos ao Trono, Ele ali está para interceder por nós. Ele é o nosso grande Intercessor. Romanos 8:34 – “Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós”.

Fico imaginando um irmão regenerado que pecou. Ele se arrepende e vai ao Trono da graça e diante do Pai, em sincera contrição, confessa o seu pecado. Então, o grande Sumo Sacerdote se levanta e olha para o Pai e ambos perdoam o cristão arrependido. Não foi preciso o Senhor deixar o Trono e vir outra vez a este mundo para morrer outra vez na cruz. Aleluia!

O cristão precisa saber que tem o maravilhoso Senhor Jesus como seu Advogado. O Senhor é o nosso Defensor. Dependemos Dele sempre. Vamos ler I João 2:1 – Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo”. Olha o verdadeiro coração paterno cheio de amor. Ele nos chama de “filhinhos”, não de “moleque levado”. Palavra de um pai que ama seu filho profundamente. Primeiramente ele exorta a não pecar, pois sabe que o pecado é a maior desgraça que um filho pode cometer:“para que não pequeis”, diz o pai. Como filhos, devemos estar bem conscientes que o Pai não deseja que pequemos. Viver de modo santo e irrepreensível é o desejo do Pai (Efésios 1:4).

Este verso continua: “Se, todavia, alguém pecar”. O Pai sabe que existe a possibilidade de virmos a pecar. Não é o que Ele quer, porém, pode acontecer. Não é o que deve acontecer ao cristão; porém, pode acontecer. Se acontecer e acontece mesmo até mesmo com o cristão, então, não esqueçamos que temos “o Advogado”, com letra maiúscula. JESUS CRISTO, O JUSTO, ELE É O NOSSO ADVOGADO. Aleluia!

O Pai constituiu o próprio Filho para nos defender das acusações de satanás. Nenhum filho de Deus precisa viver debaixo de opressão e acusação satânica. Um cristão pode viver em paz e com a consciência limpa todos os dias de sua vida. Pode reclinar sua cabeça sobre o travesseiro e ter o sono dos santos. Quem tem Jesus como seu Advogado está seguro.

A palavra Advogado no grego é: “paracletos”. O prefixo “para” significa = “estar ao lado”, “estar junto”. Não importa onde esteja, Ele aí também estará. Não importa as circunstâncias, Ele estará presente. Não importa as nossas condições, Ele estará do nosso lado. Suponhamos que alguém tenha pecado gravemente. Ao ir ao trono da graça, esse irmão que pecou, certamente terá Jesus Cristo, o Advogado a seu favor. Estar ao lado, como o prefixo “para” significa, é o mesmo que um trilho de trem. Sempre estará lado a lado, junto, perto, suportando o peso, permitindo o fluir, o continuar, o prosseguir. O Advogado Jesus Cristo está para fazer o pecador arrependido continuar junto Dele. Ele jamais o abandonará. Hebreus 13:5b – “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”. Estas são palavras do Advogado Jesus Cristo. nunca jamais te abandonarei”. Temos o Advogado junto de nós sempre.

A palavra = “cletos” no grego, significa:“Auxiliador”. Um paracletos, portanto, é alguém que está ao lado para auxiliar, ajudar, socorrer, livrar. Não importa quão longe e quão difícil sejam as circunstâncias; o Paracleto estará ao lado para ajudar.

Na Grécia antiga, a palavra“paracletos” era usada para os advogados de defesa. Eles estavam ali para que outros não tirassem vantagem da pessoa acusada que nada entendia da lei. Havia pessoas que, dolosamente, tiravam vantagens dos mais pobres e incultos. Ainda hoje existem advogados desta estirpe. Advogados de “porta de cadeia”. Mas, os“paracletos” estavam ali para defender os fracos e oprimidos. Certamente ninguém poderá enganar o nosso Advogado. Ele está conosco para nos ajudar. Quando o diabo vier para nos acusar pelo pecado cometido, precisamos correr para o nosso querido Advogado. O inimigo não vai tirar vantagem de nós; Cristo nos defenderá.

Alguns poderão nos acusar de pecados; porém, nosso Advogado nos defenderá. Não se defenda a si mesmo, deixe que Jesus te defenda. Neste texto de I João 2:1, a ideia é que temos “Alguém que falará por nós diante do Grande Juiz”.

Quando nos arrependemos e confessamos, como o contexto de I João 1:9 fala – “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”; então, podemos ter a certeza que estaremos perdoados, justificados e reconciliados com Deus. Gozaremos de paz. O nosso Advogado falará por nós, intercederá por nós; mas o arrependimento e a confissão são de nossa responsabilidade.

Portanto, se um cristão cair no pecado, depois de conhecer a cruz, deverá se arrepender e confessar os pecados.

Nesta hora, nosso Advogado entrará com uma espécie de “Habeas Corpus” e nenhum acusador poderá nos deter na prisão do medo e da consciência pesada. Digo Habeas Corpus; porém, este temporário e fraco remédio processual é fichinha perto da intercessão do Senhor Jesus. Habeas Corpus é paliativo enquanto que a intercessão do nosso Advogado traz o veredicto da expiação e libertação imediata. Ele próprio é a Autoridade Máxima, o Grande Juiz de Toda a Terra. Sua intercessão é poderosa, totalmente eficaz e sem detença alguma. Não existe morosidade como nos processos forenses. Ele nos chama para a liberdade, para vivermos em paz e segurança todos os nossos dias. Arrependimento e confissão sincera traz libertação imediata.

Jesus Cristo, nosso Grande Sumo Sacerdote penetrou os céus e tornou-se nosso Advogado. Você e eu estamos seguros com Ele. Não há condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus: Romanos 8:1 – “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”.

Romanos 8:33-34 – “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós”.

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 13 de Março de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s