NEGUE-SE – ESTUDO I

negue-seCom esta ordem, o Senhor Jesus atinge o alvo, o âmago dos nossos problemas. O “ego” é o causador dos problemas do ser humano, em todas as épocas e em todos os lugares. Após a queda, o homem tornou-se amante de si mesmo. Ele sempre quer estar em primeiro lugar, ele se acha o mais importante. Desde os seus primeiros dias, procura sempre salvar a si mesmo em todas as circunstâncias. Chora, grita e esperneia para ter o que quer. Tem até um ditado popular: “quem não chora, não mama”. Vive para satisfazer a si mesmo. Ama estar no centro de tudo e de todos; não abre mão de estar no controle, jamais se esvazia de si mesmo. Mas veja como o próprio Filho de Deus se portou. Filipenses 2:7 – “antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana”. Aquele que diz: negue-se, Ele próprio o fez.

Nenhum ser humano, por si só, jamais desconfia, que é de suma importância, esvaziar-se de si mesmo pela cruz de nosso Senhor. A grande maioria das pessoas que já viveram neste mundo, sequer pensou em esvaziar de si mesmo. As pessoas vivas hoje não tem ouvido mensagens com esse tema: NEGUE-SE! É muito difícil encontrar pais, professores e até pastores que ensinam esta preciosa lição.

Estamos tão familiarizados em satisfazer-nos que ficamos chocados quando ouvimos tais palavras. De duas uma: simplesmente fazemos vista grossa e desprezamos este mandamento do Senhor ou deixamos que esta palavra nos confronte e nos transforme. Uma coisa é certa: ela não nos agrada; pelo contrário, nos aborrece profundamente. É como o pisar no calo, é atingir o calcanhar de Aquiles, é mexer no cacho de marimbondo, é um tapa na cara.

O Senhor sabe que é imprescindível aprendermos a negar a nós mesmos. Neste mundo perverso e tenebroso, a pessoa que não aprende esta importante e redentora lição do Senhor, sofrerá muitos dissabores e por fim, perderá a vida eterna. Não aprender esta essencial lição é permanecer sob o jugo de satanás e seguir o curso deste mundo em direção ao inferno.

O sistema do mundo, imposto por satanás, visa colocar o homem no centro de tudo. A maioria das mensagens pregadas nas igrejas, seja evangélica ou não, aborda temas com cunho antropocêntrico. Agrada muito o homem egoísta e presunçoso; porém, leva ao inferno.

Os amantes de si vivem se digladiando com outros amantes de si. Encontramos pessoas feridas e destruídas por todas as partes; pessoas infelizes, frustradas e amarguradas só porque perderam o centro das atenções para um outro egocêntrico. Se despertarem para a realidade de Deus, certamente ficarão felizes porque perderam o centro de si mesmo. Resta ganhar o centro de Cristo e então, tudo mudará em sua infeliz vida egocêntrica.

O sistema deste mundo é opressor, injusto e maldoso. Visa somente o aprisionamento e a destruição das almas. Usam de dolo, mentiras e artimanhas para derrubar os outros. Apontam, incentivam e conduzem as pessoas a alcançar o topo da sociedade. Nesse frenesi, a grande maioria é ferida e destruída.

As Palavras do Senhor são espírito e vida (João 6:63). Elas são a verdade que nos liberta (João 8:32). Por mais absurdo que pareça, devemos ouvi-Lo e obedece-Lo. Ainda que Ele diga: NEGUE-SE. Somente pela cruz seremos livres da opressão e destruição imposta pelo inimigo das nossas almas através deste sistema tão competitivo.

As Escrituras nos afirmam que nos últimos tempos os homens serão “amantes de si mesmo” (II Timóteo 3:2). A palavra “egoísta” denota fortemente a ideia de “amar a si mesmo”. Todo egoísta é amante de si, vive para si, luta por si. São estes que satanás ceifa dia após dia. Todo amante de si nada mais é do que um cativo de satanás.

A sensação de bem estar deles os leva à perdição (Provérbios 1:32). O esquema de satanás é tão bem montado que o amante de si nem sequer desconfia que está sendo levado para o matadouro. Ele pensa que está vivendo intensamente, aproveitando a vida, satisfazendo a sua alma e não sabe que é um louco aos olhos de Deus.

Em Lucas 12, o Senhor profere uma parábola sobre um homem rico cujo campo produziu em abundância. Então, diz o Senhor, que este homem construiu outro celeiro maior e, após recolher o produto, diz para si mesmo: “eu tenho muita grana para torrar, por muitos anos. Então, eu vou gandaiar, festar, comer, beber e aproveitar a vida”. O objetivo da vida deste homem era viver para si, amar a si mesmo, servir a si mesmo. O Senhor o chama de louco e diz que naquela mesma noite lhe pediriam a alma. A pessoa amante de si mesma é chamada de louca e certamente perecerá.

Vamos ver um pequeno retrato desta pessoa em II Timóteo 3:3-5 – “pois os homens serão egoístas (amantes de si), avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes”.

Isto é o que vemos todos os dias, seja nas ruas, seja dentro de casa, seja entre pessoas desconhecidas ou conhecidas, amigas ou parentes. Todos querem salvar a própria pele. Ainda que tenha dinheiro, dá uma de “Migué” e diz que não tem para emprestar. Todos querem segurança para si. Primeiro eu, depois eu mesmo e por último sou eu. Os outros nem entram na minha lista. É assim que o amante de si mesmo pensa, age e vive.

Qualquer coisa ruim que acontece, somos rápido no gatilho para dizermos: foi ele, foi ela! Somos extremamente ágeis e rápidos para tirar o corpo fora, para salvar a própria pele. Quando estamos cansados, somos estúpidos com os outros e dizemos: não me enche! Cai fora! Me deixa em paz! Sempre queremos o nosso bem estar, o nosso conforto. Ninguém pode invadir a nossa zona de conforto. Percebe o quanto amamos a nós mesmos?

O amante de si mesmo é um narcisista. O narcisista gasta horas diante do espelho, quer sempre estar cada lindo e atraente. Antes de sair, prova um monte de roupas; a cama fica forrada de roupas provadas. Não são só mulheres; pelo contrário, os homens são por excelência narcisistas. Buscam fazer implantes, cirurgias plástica para rejuvenescimento, branqueamento dos dentes, implante de cabelos. Os mais jovens malham na academia, ficam horas e horas diante do espelho levantando pesos e mais pesos. Diariamente checam se o braço ganhou massa, se o tórax está um tanquinho e se o cabelo está na moda.

A indústria da beleza nunca ganhou tanto dinheiro como nestes últimos anos. O mundo, usando seus meios de comunicação, lança constantemente “modelos de beleza”. Até jogadores de futebol são usados para levar a moda ao mundo. O mundo é capaz de transformar uma pessoa normal em um ícone de beleza. E lá vão os narcisistas seguir a moda.

Esse comportamento de amar a si mesmo é chamado de narcisismo. Esta denominação surgiu quando estudiosos da mitologia grega descobriram Narciso, filho do deus rio, Cefiso, e da Ninfa Liríope. Diz a lenda que Narciso era tão fascinado pela sua própria beleza que morreu de fome, de inanição, ao ficar contemplando sua própria imagem refletida nas águas do rio. Morreu cultuando a si mesmo. Narcisismo nada mais é do que um culto a si mesmo. Os amantes de si mesmo adoram a si mesmo. Eles ficam tão centrados em si mesmos que se esquecem dos outros, especialmente do Senhor Jesus.

Há muitos narcisistas nas igrejas. Amam tanto a si mesmo que não são capazes de ouvir a mensagem da cruz. Quando não são correspondidos pelo pastor ou por qualquer outro membro da igreja, sentem-se ofendidos e saem da igreja com nariz empinado e veneno na língua.

Nesta igreja amamos sinceramente os irmãos, sem contudo, coloca-los no centro, pois isto os prejudica de modo fatal. Procuramos centralizar em Cristo e não nas pessoas. Quando Deus te leva a uma frustração em relação à alguém, isto é livramento. É para que você se concentre em Cristo e não nas pessoas ou em si mesmo. As pessoas buscam a aprovação dos demais porque são amantes de si mesmos. São pessoas que se alimentam no ego e são adoradores de si mesmo. Verifique se não há um altar no seu coração escrito: EU. Derrube-o de imediato; do contrário, você será derrubado por esse mesmo EU. EU E NEGUE-SE SÃO OPOSTOS.

Infelizmente há muitos narcisos pregando e cantando nas igrejas evangélicas. Eles se sentem o dono do pedaço. Se aparecer alguém melhor, eles ficam desesperados. É só despontar um mais novo que está começando, logo fica enciumado. Vai demonstrar seu descontentamento, ameaça sair. Para ele, ele é o titular absoluto, o melhor, ninguém está à sua altura. Ninguém pode falar contra ele, ele não se submete, não acata à liderança, é facilmente ofendido. Vai logo procurar um cantinho para ficar emburrado.

Este é o narciso da igreja. Eles são tão fortes em si mesmos; porém, extremamente vulneráveis. Temos visto tantos cantores golpes, tantos instrumentistas evangélicos e tantos pregadores; porém, poucos servos e adoradores.

Uma pergunta para diagnóstico: temos sido anônimos? Temos procurado apenas a glória do Senhor? Temos reparado o erro dos outros e dado muita importância para nós mesmos?

Quando o profeta Samuel foi à casa de Jessé para ungir um de seus filhos, o profeta atentou para a aparência deles. Mas Deus o corrigiu e disse que os homens veem o exterior, Ele, porém, o interior. Em um congresso, um cantor gospel deu o seguinte testemunho: “Deus me deu uma linda voz e tenho visto o meu álbum ser vendido cada vez mais. Grande sucesso tem vindo para mim; porém, nada disso impressiona Àquele que me deu esta voz. O que vai alegra-lo será tão somente um coração humilde que O adora em espírito e verdade”.

Temos vivido de modo narcisista ou temos sido um adorador? Temos nos irritado por que não temos tido oportunidade na igreja? Ficamos com inveja porque outros tem e eu não? Ficar no anonimato me faz indiferente e alheio? Os santos viveram o anonimato. Watchman Nee, por exemplo, no auge de seu ministério, ficou vinte anos preso, isolado, no anonimato, tal como o apóstolo Paulo.

Afinal, quem é o centro da sua vida? Você ou Cristo? Você está aprendendo a NEGAR A SI MESMO? Em meio à esta calamidade toda, o Senhor nos chama para a liberdade de nós mesmos. Ele diz: NEGUE-SE! Eis a porta para a liberdade de nós mesmos. Temos sido escravos de nós mesmos desde o nascimento. Agora, o maravilhoso Senhor nos chama para negarmos a nós mesmos, tomarmos a nossa cruz e segui-Lo. Eis o único caminho para a liberdade. Mais do que um problema comportamental, o narcisismo é uma doença espiritual. Há apenas um remédio que pode curar eficazmente essa terrível enfermidade: A CRUZ DE CRISTO!

A vida de resignação do Senhor Jesus, Sua entrega à vontade do Pai. Sua simplicidade, humildade, mansidão, amor e dedicação ao próximo comprovam que, de fato, Ele se esvaziou de si mesmo. Ele negou a Si mesmo, por isso, foi à cruz. Ele viveu vida de cruz.

Primeiro é preciso aprender a negar a si mesmo para depois poder tomar a cruz. Sendo assim, a preciosa lição de negar a si mesmo é urgentíssima. Lucas 9:23 – “Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me”.

Aqui está a cura para os amantes de si mesmos, para os narcisistas. Sem cruz o homem está fadado a morrer como um pobre e infeliz narcisista. A preciosa cruz de Cristo mata o nosso narciso e nos agracia com o humilde e Teocêntrico Jesus Cristo.

NEGUE-SE É O REMÉDIO

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –  Cristo vive em nós

Maringá, 03 Abril de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s