NEGUE-SE – ESTUDO VI

a maldição da cruzEsta palavra procede da boca do Senhor Jesus. Suas ordens são fundamentais para o desenvolvimento da nossa salvação. Ao agir pela fé em Sua Palavra, certamente encontraremos o caminho da vida. Ainda que esta palavra nos desagrade, no início, devemos crer Naquele que viveu alegremente esta mensagem.

A obediência à esta ordem proporcionará novos e preciosos passos para nós. Sem a obediência à esta ordem, nossa vida cristã vai ficar emperrada e estagnada. Não haverá crescimento para a salvação e jamais conheceremos o maravilhoso Senhor e Salvador.

Esta ordem é como um “start”, uma partida para a nossa caminhada ao discipulado cristão. Sem o cumprimento desta ordem não haverá uma vida de cruz e sem a vida de cruz não teremos como seguir o Mestre e Senhor.

Muitos tem falhado nesta fase porque não sabem o que significa negar a si mesmo. Alguns pensam que é controlar seus impulsos, controlar a si mesmo, ficar quieto, esquivar-se, sacrificar-se. Quando agimos desta forma, somos os senhores da situação. Tomamos o controle e assumimos o comando de nossa vida. Agimos por impulso, por má vontade, forçado e triste. Não é isto que o Senhor quer de nós. Negar a si mesmo não é nos anular e nos massacrar.

Negar a si mesmo significa negligenciar a si mesmo. Não dar importância à si, não se submeter a si mesmo. Significa não fazer a vontade própria, não satisfazer a si mesmo. É encarar a si mesmo como se fosse um estranho a quem não devemos prestar contas. É encarar a si mesmo como um desconhecido que não precisamos agradar.

O apóstolo Pedro nos explica de forma negativa. Ele traiu o Senhor, ele O negou dizendo: “Não conheço tal homem” (Mateus 26:72). Ele nega a Jesus três vezes e na última, repete que não conhece o Senhor. Mateus 26:74 – “Então, começou ele a praguejar e a jurar. Não conheço esse homem! E imediatamente cantou o galo”.

Pedro negou o Senhor e não a si mesmo. Pedro disse que não conhecia o Senhor quando deveria ter dito que não conhecia a si mesmo. Ele devia ter dito que conhecia o Senhor e desconhecia a si mesmo. Negar a si significa dizer que desconhece a si mesmo. Por esse desconhecimento, toma-se a atitude de ignorar a si mesmo. Negar, neste sentido, é ignorar a si mesmo. Diferentemente de querer tomar o controle de si.

Quando estamos nervosos a ponto de gritar e brigar; ao invés de atacar a pessoa à nossa frente, devemos voltar a nós mesmos e dizer: “eu não me conheço e nem vou satisfazer a minha vontade. Devo ignorar minha pessoa e a vontade de gritar e brigar. Não o que eu quero! Eu? Não me importo comigo! Eu me desconsidero! Eu me desconheço!” Isto é negar a si mesmo.

Quando aprendemos a desconhecer a nós mesmos, a ignorar a nós mesmos, isto proporcionará ao Espírito Santo nos mostrar a nossa cruz para que a tomemos. Assim que tomamos nossa cruz, morremos para nós mesmos e, logo, perceberemos que estamos diante do Senhor. Em silêncio, porém, cheio de júbilo, O seguimos. Isto é caminhada cristã; isto é crescimento para a salvação. Isto nos levará a um verdadeiro testemunho cristão. As pessoas verão Cristo em nós.

Somente quando aprendemos a negar a nós mesmos, a tomar a cruz e a seguir à Jesus é que as pessoas verão que somos cristãos. Assim somos luz do mundo e sal da terra. Assim daremos frutos para a glória do Pai. É assim que somos vistos como cristãos, uma pequena figura de Cristo neste mundo.

Quão necessário é aprender a negar a si mesmo. Tudo que o Senhor espera é que aprendamos a negar a nós mesmos, a não ficar mais satisfazendo o nosso ego. Negar a si mesmo é uma decisão de ignorar a si sempre. É dizer e viver a frase: NÃO EU, MAS CRISTO.

A cruz é crucial para o nosso dia-a-dia. É através dela que vamos estar em Cristo e viver para Cristo. A vida cristã não tem sentido sem a cruz. A igreja evangélica ou qualquer outra religião é inoperante sem a cruz.

Só em Cristo tudo subsiste. A razão de estar sem Jesus, está no fato de não terem a cruz diária. E, a razão de não terem a cruz é porque jamais aprenderam a negar a si mesmos. Não lhes foi ensinado esta fundamental lição proveniente da boca do Senhor Jesus: NEGUE A SI MESMO!

Atente para esta palavra: NEGUE-SE! Ela poderá te conduzir a um novo horizonte, uma nova perspectiva, uma nova visão de Cristo.

O negar a si mesmo e o tomar a cruz envolve sofrimento, renúncia, humilhação, perseguição e muito mais. Esse é o caminho que o nosso querido Salvador trilhou. A direção de negar a si mesmo aponta e conduz para a direção onde Jesus andou, a senda do Calvário. Precisamos entender que o Senhor Jesus não foi triste, sofrido, desamparado, derrotado para a cruz. A religião ensina a “via crucis”, mostra somente o lado do sofrimento do Salvador. Isto é religião; não o evangelho.

Creio que, apesar de todo o sofrimento devido ao nosso pecado, o Senhor tomou a cruz com alegria. Deus O ungiu com alegria como a nenhum dos seus companheiros. Ninguém teve mais alegria que o Senhor Jesus neste mundo. Hebreus 1:9 – “Amaste a justiça e odiaste a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria como a nenhum de teus companheiros”.

O Senhor Jesus foi o homem mais alegre da Terra. O homem mais alegre trilhou a via crucis. A cruz não foi tristeza, não foi algo que Ele fez como uma vítima indefesa. Péssima e errônea a ideia religiosa desta tristeza sem fundamento.

O profeta Isaías diz que ao Pai agradou moê-lo. Isaías 53:10-11 – “Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do Senhor prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre ti”.

A cruz foi projetada por Deus desde a fundação do mundo para que Deus pudesse manifestar a Sua justiça. Ele foi o Justo e o Justificador naquela cruz. Deus revelou o seu caráter santo e justo no monte do Calvário. Sua preciosa obra justificou os antepassados e justificará até mesmo aqueles que virão.

A obra da cruz satisfez a justiça de Deus, trouxe os seus amados para Ele. O próprio profeta Isaías disse que ele ficaria satisfeito com a obra da cruz. Então, porque achar que a cruz é só tristeza? Se ela foi alegria para o Salvador e para o Pai, porque deve ser tristeza para nós? O homem mais feliz tomou a cruz com alegria, pois sabia que ela glorificaria o Pai. A agonia do Getsêmani não foi a cruz; foi a dolorosa e angustiosa separação do Pai que o pecado provoca.

Negar a si mesmo envolve sofrimento; porém, este sofrimento não tira a nossa alegria. Negar a si mesmo nos coloca no caminho de Cristo, nos traz sofrimento ao nosso ego; o qual, devemos ignorar.

Que ótimo esse sofrimento do ego! O ego precisa morrer e não ser alimentado. Negar a si mesmo é não dar alimento ao ego, é considerar o ego como o inimigo número 1. É desprezar e negligenciar o ego. Isto é negar a si mesmo.

Aquele que aprendeu a negar a si mesmo sempre procura negar o ego e fazer a vontade do Senhor Jesus. Este é o verdadeiro cristão. Quando você vê um crente contando vantagens, falando de si, de suas façanhas; quando você o vê à mesa comendo sem controle, bebendo sem limites, você verá que este não é um cristão. O cristão já crucificou a carne com suas paixões e concupiscências (Gálatas 5:24).

O cristão é aquele que está sempre negando a si mesmo, não com tristeza, não como obrigação; mas, com alegria e louvor porque está tendo a alegria de poder tomar a cruz e seguir o seu Mestre e Senhor. A alegria do negar a si mesmo e do tomar a cruz está no próprio Senhor Jesus. O Senhor é nossa alegria, nele devemos nos alegrar sempre. Apenas aqueles que aprenderam a negar a si mesmo e tomaram a cruz, regozija-se sempre no Senhor.

A cruz nos faz sempre desembocar no maravilhoso Senhor Jesus. Ao negar a si mesmo e tomar a sua cruz, alegre-se por Jesus. Ele foi o homem mais alegre que já passou pela face da Terra. Podemos também ser cristãos alegres quando aprendemos a negar a nós mesmos e a tomar a cruz para seguir as pisadas do Alegre Senhor Jesus.

É maravilhoso aprender a preciosa lição de negar a si mesmo e a tomar a cruz. Aí está a verdadeira alegria do cristão. Aprenda a negar a si mesmo e verá que se tornou mais alegre do que nunca. Vamos pelo caminho da alegria cristã, vamos pelo caminho do negar a si e tomar a cruz. Este foi o alegre caminho do Homem mais alegre que já existiu: JESUS CRISTO.

A ALEGRIA DA CRUZ VEM APÓS O NEGUE-SE.

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 23 de Julho de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s