HEBREUS 11 – ESTUDO X

conhecimentoAbraão – 2

Quando olhamos para a vida de Abraão, ficamos impressionados com a sua fé na Palavra de Deus. Em uma época tão precária, ele creu e resolveu seguir a Palavra do Senhor. Deus o chamara e ele O obedeceu. Ele respondeu ao chamado de Deus quando não tinha nenhuma prova evidente, nenhuma segurança aparente, nenhuma razão convincente. Abraão não se baseou em fatos, em nada que já havia acontecido, ele não tinha documentos que comprovavam a existência deste local; não havia nem sequer um mapa destas terras. Ele não sabia quantos quilômetros teria que percorrer, quantos hectares de terra iria receber por herança. Abraão não conhecia ninguém que de lá viera, nenhum parente ou amigo havia falado dessa tal de Canaã. Humanamente falando, este desconhecido era distante, estava além dos rios e montanhas; enfim, tudo parecia uma utopia. Tudo que poderíamos esperar deste enredo seria um belo filme com o tema: “a lenda dos que foram pela fé”.

Abraão, a esta altura, ainda não tinha tanta amizade com Deus, ainda não O conhecia o suficiente para confiar cegamente. Hebreus 11:8 diz que ele obedeceu e partiu sem saber aonde ia. A obediência pela fé o fez agir, ir, ainda que nada via ou sabia.

Abraão não tinha nada concreto, nada palpável, nenhuma garantia, nenhuma prova, nenhuma segurança. Tudo que possuía era a Palavra de Deus. Esta lhe serviu de bússola, mapa, sustento, consolo, esperança e tudo o mais. Abraão se pautava na Palavra de Deus e nada mais. Deus não enviara um anjo, um exército, uma caravana; apenas lhe dera a Palavra.

A Palavra era tudo que Abraão necessitava para sair para esta aventura maluca. Dizemos: apenas a Palavra; quando deveríamos dizer: a Palavra nos basta!

O rei Davi experimentou o poder da Palavra que guia: “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos” (Salmo 119:105). Abraão foi um peregrino; Davi também: “Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos” (Salmo 119:19). A Palavra de Deus é fundamental para o peregrino. Davi entendeu, como Abraão, que os decretos de Deus são o nosso caminho: “Ensina-me, Senhor, o caminho dos teus decretos, e os seguirei até o fim” (Salmo 119:33). Aquele que conhece o caminho dos decretos de Deus não quer andar em outro caminho: “Guia-me pela vereda dos teus mandamentos, pois nela me comprazo” (Salmo 119:35).

Creio que durante os longos anos de peregrinação de Abraão, a Palavra de Deus o consolava e o vivificava: “O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica” (Salmo 119:50). Creio que ele louvava a Deus pela Palavra que havia recebido: “Os teus decretos são motivo dos meus cânticos, na casa da minha peregrinação” (Salmo 119:54).

A Palavra de Deus ou a Promessa de Deus certamente amparou Abraão durante a sua peregrinação: “Ampara-me, segundo a tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe” (Salmo 119:116).

Durante os muitos anos de peregrinação de Abraão, certamente o Senhor estava com ele; pois ele havia acolhido Sua Palavra. Quem acolhe a Palavra, acolhe o próprio Senhor. Hebreus 11:17 – “Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas”. Que coração Abraão possuía, um coração receptível, hospitaleiro para com a Palavra de Deus. A Palavra encontrou guarida no coração de Abraão. Abraão teve a Palavra como algo ou Alguém especial. Abraão acolheu o próprio Deus em seu coração. Acolher a Palavra é acolher o próprio Senhor. Tiago 1:21 – “Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma”.

Não seria este o segredo deste pai da fé? Tomou a Palavra de Deus como o próprio Deus. Confiou, esperou, perseverou consoante a Palavra de Deus.

Sara, sua esposa, também nos ensina algo relacionado à Palavra de Deus. Para Sara, a promessa era o próprio Senhor. Sua fé na promessa era a mesma no próprio Senhor. Ela cria na promessa porque cria no Senhor. Hebreus 11:11 – “Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa”.

Estes santos do passado criam tanto no Senhor quanto na Palavra. A Palavra lhes bastava, pois o próprio Senhor lhes bastava. Isto é fé! Confiar na Palavra é confiar no Senhor. Ter fé na Palavra é ter fé no Senhor. Quem tem a Palavra tem o Senhor e isto basta.

Nos dias de hoje o inimigo tem colocado muitos subsídios para a caminhada cristã. Curso para ser um vencedor, dez passos para o sucesso, congresso para isto e para aquilo. Com tantas coisas, a Palavra fica sufocada e ela fica sendo apenas uma coadjuvante. Enquanto que, para os antigos, ela era tudo, ela bastava. Precisamos descomplicar a caminhada cristã. Precisamos nos apegar com mais firmeza à verdade das Escrituras.

Gênesis 12:1 – “Ora, disse o Senhor a Abraão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de seu pai e vai para a terra que te mostrarei”. O Senhor disse, falou e nada mais. O Senhor não deu algo para servir de prova, de segurança; apenas deixou Sua palavra à Abraão. Mas neste verso vemos também algo maravilhoso: “eu te mostrarei”. Nesse chamado de Abraão, Deus se deu à ele. Deus andaria com ele; Abraão andaria com Deus. Haveria comunhão, companheirismo nesta caminhada toda. A Palavra de Deus não nos desampara. A promessa de Deus vem acompanhada pelo próprio Deus.

A vida de fé é isto. Andar com Deus. Não precisamos de provas concretas. Precisamos simplesmente andar com Deus; o tempo que for necessário. Basta peregrinar com Deus; ir conhecendo a Deus, ir crescendo na graça e no conhecimento Dele. Abraão nos ensina a descansar em Deus, a deixar o futuro incerto e absurdo nas mãos do Deus que tudo pode. Para o apóstolo Paulo, o Deus de Abraão é o Deus que vivifica mortos e chama à existência as coisas que não existem (Romanos 4:17).

Abraão nos ensina que Deus e Sua Palavra não se separam. A Palavra e Deus são todo suficientes para a nossa peregrinação à Terra da Promessa Celestial.

Hebreus 11:9 diz que, pela fé, Abraão peregrinou. Ele não parou enquanto não encontrou o destino, a promessa. Igualmente, devemos simplesmente peregrinar. Em breve chegaremos em nossa Canaã Celestial. Até lá, não esqueçamos que é pela fé na Palavra, pela fé no Deus da Promessa. Então, adiante, como Abraão. Assim como Deus esteve com Abraão durante sua longa peregrinação, o nosso Amado também estará conosco. Mateus 28:20 fine – “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”. Ele vai conosco, isto basta! Então, bora lá!

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 31 de Agosto de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s