HEBREUS 11 – ESTUDO XIV

biblia-Abraão – 6

Hebreus 11:9-10 – “Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador”.

Deus havia prometido um lugar para Abraão; este foi em busca deste lugar. Porém, era como uma “terra alheia” na qual ele era um simples peregrino. Ao que parece, a Terra de Canaã, na Palestina, não era o lugar final para Abraão. Era apenas um antítipo da verdadeira pátria celestial. Isto estava certo para Abraão; pois aguardava a cidade que tem fundamento, da qual Deus é o arquiteto e edificador.

Neste mesmo texto, no verso 16, Deus confirma que eles aspiravam a uma pátria superior, isto é, celestial: “Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade”.

Há uma promessa para nós também. Leia João 14:1-3. Lembre-se, Deus pode até dar uma casa para você; mas, seu coração deve desejar acima de tudo a Pátria superior, o Lar celestial, como fez Abraão.

Nada neste mundo deve ser tomado como em definitivo. Tudo aqui deve nos remeter ao Homem Celestial. Todas as coisas nesta vida tem como objetivo levar-nos à Cristo. Tudo deve convergir para Ele. É preciso focar Cristo o tempo todo, ir em direção à Cristo sempre, fazer tudo em nome de Cristo para a glória do Pai.

Quando começamos a ver Abraão, vemos que Cristo era o seu centro. O Senhor o visitava, falava com ele, tornaram-se amigos de verdade. Em Isaías 41:8, Deus chama Abraão de amigo.

Abraão, o peregrino, nos deixa este legado. Seu coração não era deste mundo. Ele aguardava e aspirava estar com Cristo, seu Senhor. Abraão e os santos do passado não só tinham o coração voltado para a pátria celestial, como também, viviam confessando que não era deste mundo. Eles tinham uma real convicção que eram peregrinos e estrangeiros. Hebreus 11:13 – “Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra”. É preciso confessar que somos estrangeiros e peregrinos.

No começo do século XX, muitos japoneses imigraram para o Brasil com o firme propósito de arrecadar dinheiro e logo voltar à pátria materna. Ao passar dos anos, muitos acabaram fixando residência no Brasil, tomaram a cidadania brasileira e seus descendentes se fixaram por aqui. Apenas aqueles que viviam confessando e, jamais havia se esquecido da pátria amada, conseguiram voltar. É preciso estar bem firmado no propósito de ir à Pátria Celestial. Confessemos, pois, que nossa Pátria está no céu.

Sabemos que seu sobrinho Ló não tinha a mesma visão. Ele foi se aproximando de Sodoma e viveu como um morador desta terra. Ló tomou a cidadania terrena e teve um triste fim. Ló é um exemplo de que não devemos nos conformar com este século (Romanos 12:1-2). Sua esposa provou que já havia se tornado deste mundo; ela tinha raízes em Sodoma; não queria sair da cidade. Ela olhou para trás e não para cima. Muitos crentes estão fazendo o mesmo. Cuidado!

Abraão peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas. Ele não edificava casas e cidades de pedra representando a perpetuidade. Ele é exemplo de cristão que não cria raízes neste mundo perverso. Abraão estava desarraigado deste mundo. Gálatas 1:4 – “o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai”. Só a cruz pode fazer isso. Lembre-se, não somos deste mundo. Leia João 17:16.

Abraão não se contentou com a Canaã deste mundo; ele queria uma pátria superior, a pátria celestial; pois lá, seu Amado Salvador o aguardava. Continuemos peregrinando para a Pátria celestial.

O Senhor Jesus deve ser o nosso anseio maior. Por Ele devemos peregrinar por este mundo, sempre rumando para Ele, que nos aguarda na Glória Celestial. Nosso andar diário deve sempre ter como meta a Pessoa de Cristo. Nosso GPS deve estar sempre ligado na direção de Cristo.

Precisamos consultar sempre nosso GPS, nosso mapa, nossa bússola, isto é, a Bíblia, com o fim de sempre prosseguir na direção de Cristo. Todos os dias da nossa vida de peregrinação neste mundo precisa estar na direção de Cristo. Cada dia que passa, à medida que vamos envelhecendo, precisamos ter mais e mais certeza de que estamos mais perto Dele.

Abraão entendeu que o plano de Deus consiste na pátria celestial e não neste mundo. O apóstolo Paulo também sabia disso. Filipenses 3:20 – “Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.

O apóstolo não perdeu a visão do Homem Celestial. Por toda a vida de cristão ele almejou e focou o Senhor Jesus. Ele dizia: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21). Ele seguiu firme em direção à Cristo. Nada o desviou de Cristo. No final de sua carreira, ele falou triunfalmente que estava para chegar. II Timóteo 4:6-8 – “Quanto a mim, estou sendo já oferecido por libação, e o tempo da minha partida é chegado. Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, o reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda”. Que convicção!

Abraão é exemplo de fé. Biblicamente é considerado o pai da fé. Romanos 4:16-18 – “Essa é a razão porque provém da fé, para que seja segundo a graça, a fim de que seja firme a promessa para toda a descendência, não somente ao que está no regime da lei, mas também ao que é da fé que teve Abraão (porque Abraão é pai de todos nós, como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí), perante aquele no qual creu, o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem. Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações, segundo lhe fora dito”.

Todo cidadão celestial só o é porque creu no Senhor Jesus. Certamente encontraremos Abraão no céu, pois este, de fato, foi um homem de fé. Veja como ele foi relevante no projeto de Deus para salvar o homem. Observe como ele é citado nas Escrituras pelo próprio Senhor Jesus. Em João 8:58 o Senhor disse: “Antes que Abraão existisse, EU SOU”. O Senhor pegou a figura mais proeminente para os judeus e se colocou acima dela. Abraão era considerado como o “pai Abraão” pelos judeus: João 8:53 – “És maior do que Abraão, o nosso pai, que morreu?”.

Interessante que o Senhor Jesus não disse: “antes que Adão existisse, EU SOU”. Ele não citou Adão, o pai da raça humana; citou Abraão, o pai da fé. O Senhor Jesus não disse aos judeus: vosso pai Adão; mas disse, vosso pai Abraão: João 8:56 – “Abraão, vosso pai, alegrou-se por ver o meu dia, viu-o e regozijou-se”.

A obra da redenção começa com Abraão, não com Adão. Biblicamente falando, Adão é o começo do pecado: Romanos 5:12 – “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”.

Esta semana fui procurado uma irmã de uma outra igreja porque sua família está destruída. Ela me contou a partir de seu avô, um pedófilo que chegou a ser preso. Como Adão, este homem deixou um péssimo legado para a família. Muitos ao pecar, sequer imaginam o tamanho do sofrimento que podem estar trazendo para as futuras gerações.

Abraão, por sua vez, porque creu em Deus, foi uma bênção para as suas gerações. Pela fé no Senhor Jesus, sejamos feitos vasos de bênçãos, vasos de salvação para a família e futuras gerações.

Hebreus 11 fala da fé dos três pré-diluvianos: Abel, Enoque e Noé. Embora Abel tenha oferecido um excelente sacrifício; Enoque tenha andado com Deus e Noé tenha sido um homem justo, nenhum deles é relevante como Abraão no plano da redenção.

Abraão foi escolhido, foi chamado, foi especial para Deus. Por que Abraão foi especial? Porque Deus usou Abraão para mudar a linha do pecado que vinha desde Adão. Os três primeiros foram homens bons, de fé; porém, nenhum deles contribuiu para o plano de salvação do homem quanto ao pecado.

Tudo começou com Abraão. Dele veio o Salvador; ele é o começo da genealogia em Mateus 1:2. Deus projetou enviar o Salvador através da linhagem de Abraão. Até então, o curso do pecado havia continuado, mesmo os três primeiros tendo sido apenas boas pessoas na corrente do pecado. Deus usou Abraão para mudar o curso do pecado. A redenção foi cumprida pelo Senhor Jesus; porém, Deus começou em Abraão.

Abraão é especial porque ele foi chamado para ser uma bênção para todas as famílias da terra. Gênesis 12:1-3 – “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra”.

Deus, ao chamar Abraão, o chamou para que ele se tornasse uma bênção para todas as famílias da terra. Diferentemente dos outros três já mencionados. Abraão foi diferente dos demais. Deus o chamara para usá-lo, para que ele se tornasse um vaso de bênção; para que a situação do pecado fosse mudada. Abraão não foi chamado só para receber bênção como se vê no evangelho de hoje. Ele foi chamado para ser um canal de bênção. Ele não foi apenas um receptor da graça de Deus; foi também um transmissor desta graça maravilhosa.

Abraão é um tipo de Cristo. Ele veio para servir e dar a sua vida em resgate por muitos. Abraão e Cristo foram servos úteis, fizeram diferença. Eles viveram para servir, para ser bênção para muitos.

Eles nos ensinam que cristianismo não é apenas para que recebam bênção; mas, sobretudo, para ser um canal de bênção.

Você e eu, no Cristo crucificado, podemos ser como Abraão, uma bênção para futuras gerações. Podemos ser os primeiros de uma geração regenerada, justificada, santificada e abençoada em Cristo Jesus. A cruz já foi erguida! Creiamos nesta estupenda obra da cruz. Certamente isto será bênção para as nossas futuras gerações. Assim, abençoados em Cristo, seremos bênçãos para os nossos filhos e netos.

SÊ TU UMA BÊNÇÃO!

 

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 12 de Outubro de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s