HEBREUS 11 – ESTUDO XVIII

um-dia-desses-031Abraão – 10

Abraão é um exemplo de cristão cheio de fé no Senhor. Um homem obediente, temente a Deus e perseverante. Um crente que não perdia a fé e a esperança em Deus.

Abraão é um exemplo de adorador. Só quem conhece Jesus Cristo como o Deus Eterno vive em adoração constante. Abraão nos ensina que a vida de adoração é de fundamental importância a um peregrino.

É evidente como o seu coração desejava adorar a Deus sempre. Como peregrino, ele não permanecia no mesmo lugar. Encontramos pelo menos três locais onde ele deixou um altar de adoração à Deus.

Quando chegou à Canaã em obediência e fé, a primeira coisa que Abraão fez foi levantar um altar de adoração à Deus. Ele não ficou como uma criança toda feliz correndo pela terra prometida assim que chegou. Seu coração não estava na Terra de Canaã, mas no próprio Deus. Nada toma o lugar de Deus no coração do adorador. Não a bênção, mas o Abençoador.

Gênesis 12:5 fine diz que eles chegaram à terra de Canaã. Eles atravessaram a terra de Siquém, até o carvalho de Moré. Ali Deus havia marcado um encontro com Abraão; ali Abraão levantou seu primeiro altar para adorar a Deus.

Gênesis 12:7 – “Apareceu o Senhor a Abrão e lhe disse: Darei à tua descendência esta terra. Ali edificou Abrão um altar ao Senhor, que lhe aparecera”. Interessante que o texto diz que seria para a sua descendência e, à esta altura, ele nem mesmo tinha filho. Ele poderia ter questionado dizendo: “Senhor, o Senhor me faz peregrinar tanto e vai dar a Terra de Canaã para os meus descendentes? E eu? Além do mais, cadê o meu filho que prometeste?”.

Ao invés de questionar Deus, ele simplesmente aceita, se alegra, crê e adora a Deus. Muitas vezes queremos questionar e até orientar o próprio Deus. Alguns jovens exigem de Deus um “ungido”, tudo com detalhes minuciosos. Altura, cabelos, olhos, riqueza, cavalheiro, atencioso, carinhoso, cheiroso, fofoso, etc.

Abraão não fez isso, ele simplesmente aceitou e creu em Deus. Ele reconhecia a soberania de Deus e descansava.

Siquém foi o primeiro lugar onde ele levantou um altar à Deus. Siquém significa = “ombro”. O ombro simboliza força. A mão só levanta um peso devido ao ombro. Se o ombro estiver machucado ou fraco, não se consegue levantar peso. Siquém pode significar também “força”. A força de Deus, o poder de Deus.

Siquém se torna realidade para aquele que conhece e confia no Senhor. Siquém é o lugar onde Deus demonstra seu poder àqueles que Nele creem. Muitos se encontram ainda na Siquém de Deus, onde Deus os leva à espera, à uma vida de paciência, à uma vida de falência em si mesmo a fim de que conheçam a força de Deus em suas vidas.

Siquém foi primordial na vida de Abraão, pois este ainda tinha forças e confiava em sua própria força para fazer com que o plano de Deus desse certo. O tratamento de Deus é longo em Siquém. Dura até ao ponto do adorador se render completamente à Deus. Quando jovem precisamos passar pela Siquém de Deus. O duro é ver um quase velho tentando fazer tudo pela sua própria força e sabedoria e dando cabeçadas o tempo todo. Corre o risco de morrer frustrado e derrotado.

Muitos tropeçam nesta vida porque não passaram pela Siquém, não tiveram a revelação de que força a força e o poder pertencem à Deus. Salmo 96:6 – “Glória e majestade estão diante dele, força e formosura, no seu santuário”. Abraão precisou passar por Siquém; nós também precisamos. Aquele que passou por Siquém deixou de confiar em si mesmo; agora só confia no Senhor. Vive na força do Senhor.

Interessante que em Siquém estava o “Carvalho de Moré” (v.6). “Moré” significa = “Professor”. Em Siquém, Deus quer nos ensinar que a verdadeira força vem Dele. Que a nossa força está Nele. Se um peregrino quiser continuar em sua peregrinação, precisa conhecer Aquele que é a sua força = JESUS CRISTO.

Assim que Israel entrou na terra de Canaã com Josué, a segunda cidade que atacaram se chamava “Ai” (Josué 7). Ali, Josué, confiando em sua própria força e na força de seu exército, deixou Deus de lado. Não confiou no poderoso Deus que havia acabado de derrubar as muralhas de Jericó. Não consultou o Senhor e se achou forte, pois desprezou o pequeno inimigo. Resultado: derrota. Mas a principal causa da derrota foi o pecado de Acã.

Quando não passamos por Siquém e não aprendemos que o Senhor é a nosso Força e Vitória, podemos facilmente fazer as coisas do nosso jeito. Isto poderá nos levar à derrota. É preciso aprender a confiar só no Senhor e, para isso, a Siquém e o Moré são imprescindíveis em nossa vida.

O verdadeiro poder vem do conhecimento que nada somos e que Cristo é tudo. O poder espiritual que vence as trevas vem da fé e confiança total em Cristo Jesus, Aquele que venceu a morte e o inferno.

Muitos líderes cristãos acham que o poder está no conhecimento. Então eles leem muitos livros, citam muitos autores e assim acham que são pastores fortes e vitoriosos. Mas o poder não está nesse tipo de conhecimento. Há uma tremenda diferença entre a doutrina e a vida: a doutrina é resultado de se ouvir algo exterior; a vida é o resultado de se ver algo interior. Doutrina resulta em esquecer o que se ouviu, e vida resulta em receber algo inesquecível. Se alguém disser: “ultimamente não me lembro muito da mensagem da cruz, pois faz tempo que o pastor não prega a cruz de Cristo”. Esta pessoa tem um conhecimento da cruz apenas no intelecto. É doutrina e não vida.

O genuíno poder está no conhecimento da verdadeira Vida. Cristo é a Vida e o poder que habita em nós. Não tem como uma pessoa que conhece verdadeiramente Cristo se esquecer que Ele é o Poder de Deus para nos salvar. Um verdadeiro crucificado não se esquecer do Cristo crucificado e ressurreto dentre os mortos. Pode passar anos, ele jamais deixará de confiar em Cristo, seu amado Salvador.

Quando Cristo vive em nós, pode passar muitos anos, jamais esqueceremos que Ele é o poder de Deus para nos salvar. Ele está em nós, em nosso interior; não apenas no nosso intelecto que pode vir a esquecer. Ele está gravado em nosso coração; jamais sairá ou será apagado! Cristo não é mais uma sombra ou uma simples figura. Ele é a REALIDADE, é real para nós.

Você e eu precisamos passar por Siquém onde o Senhor é o nosso Mestre que nos ensina que só Ele é o poder de Deus para nos salvar. Siquém foi muito importante para Abraão e continua sendo para os verdadeiros peregrinos.

Siquém é o lugar onde Deus nos descontrói e nos ensina a confiar só Nele. Siquém é a transferência da nossa força falida para a força real e eterna do Senhor.

SIQUÉM NOS ENSINA SOBRE A FORÇA DO SENHOR.

Quando vemos a fé de Abraão em Romanos 4, não temos dúvidas que ele aprendeu a viver na força do Senhor ao passar por Siquém.

Abraão, esperando contra a esperança, creu.

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 23 de Novembro de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s