AS MARAVILHAS DE CRUZ – Estudo I

Esse tema pode parecer contraditório para um religioso não crucificado; porém, ao que já morreu com Cristo, certamente um “amém” fluirá de seus lábios. Àquele que ainda não conhece os feitos da cruz, tudo que se refere à cruz será “loucura”; mas, ao que é um crucificado, tudo o levará a louvar ao Cristo crucificado.

No início da caminhada pela senda do Calvário, nossa alma fica apreensiva, como a dos discípulos, quando o Senhor ia adiante deles para Jerusalém. Quando Deus aplica a obra da cruz em nossa vida, tudo que se refere à cruz de Cristo, torna-se maravilhoso. É por isso que um crucificado caipira diz: “quanto pió, mió”.

Antes de tratarmos sobre as maravilhas da cruz, devemos saber que não basta saber apenas no intelecto. A pregação da cruz não abre exceção aos intelectuais ou religiosos que contemplam a cruz de longe. Ela só tem validade ao que realmente crê em sua inclusão na morte e ressurreição com Cristo. Não basta admirar ou simplesmente aceitar a Palavra da Cruz. Necessário se faz “lançar-se” ou crer inteiramente na revelação de Deus a esse respeito.

A cruz é mais do que uma doutrina ou filosofia de vida. Ela é vida em ação, é prática, é renúncia de si, é morte real do ego. A palavra “morte” define a ação da cruz. De duas uma: ou morremos de fato ou estamos tentando morrer. A diferença é brutal.

Quando um ente querido está à beira da morte, a família sofre, intercede, faz de tudo para salvá-lo. Porém, quando morre, tudo muda. Toda a agitação, preocupação, apreensão se vão. Todo o ambiente familiar muda por completo. A morte muda o “status quo” de tudo e de todos. A morte não é relativa ou inconstante ou até mesmo indefinida. Ela é real, concreta e definitiva. Por isso, não tem como se “fingir de morto” por muito tempo.

Assim sente, percebe e vive o que, de fato, recebeu a revelação de sua morte e ressurreição com Cristo. As palavras do Senhor Jesus são claras e definidas: “Em verdade, em verdade, vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto” – João 12:24. A mesma convicção tinha o apóstolo: “Insensato! O que semeias não nasce, se primeiro não morrer” – I Coríntios 15:36.

O Cristo crucificado e a obra da cruz são verdade em tudo. A cruz elimina por completo todo espírito de trambique, engano e hipocrisia. O crucificado tem a Pessoa da Verdade dentro de si.

Uma pessoa crucificada é autêntica, sincera e fiel. Aquele que está tentando ser um crucificado, tenta ser autentica; porém, seus frutos o delatam.

Em um mundo religioso cheio de mentiras, hipocrisias e enganos, a cruz vem para afirmar que o Evangelho de Cristo é a verdade. Os crentes precisam conhecer esta verdade. Aqueles que se firmaram e andam na senda do Calvário, que dia após dia nega a si mesmo e toma a sua cruz, gozam de paz e descansam na verdade da cruz.

São estes que começam a desfrutar das maravilhas da cruz. Uma das maravilhas acima citada é a autenticidade e veracidade da cruz. Não precisamos ficar aborrecidos com os enganos e mentiras que o mundo apresenta a todo instante.

Outra maravilha é a invencibilidade. O crucificado não precisa ceder às pressões dos inimigos. Agora dá para entender porque os apóstolos e mártires da história cristã não cederam às ameaças dos soldados e autoridades romanas. Foram queimados, mortos ao fio da espada, cerrados ao meio, jogados na arena para serem devorados pelos leões. Mesmo diante de tamanha ameaça, permaneceram firmes em Cristo. Até mesmo a morte não mais os assustavam. A impressão que se dá ao ler Hebreus 11:33-40 é que o autor deste Livro não estava triste e nem revoltado com tamanha brutalidade e maldade para com aqueles que criam no Senhor. Há um ar de vitória, de invencibilidade neste trecho. Não há pesar, há gozo! Não há fracasso, há vitória! Não há fraqueza, há poder!

Apocalipse 12:11 diz que eles venceram. “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida”.

Não há força que possa derrotar aquele que está banhado pelo sangue do Cordeiro. Não há ameaça que consiga pôr em fuga um crucificado. Não há argumentos que possa constranger e persuadir um crucificado. Não há recompensa financeira ou segurança física que possa demover um crucificado.

O crucificado não mudará jamais de opinião a respeito do Cristo crucificado. Nada neste mundo poderá leva-lo a mudar de opinião sobre a obra da cruz de Cristo. Ninguém será capaz de persuadi-lo a desistir ou a negar o Cristo crucificado e ressurreto.

Pela cruz, ele encontrou algo poderoso que o fez invencível diante das forças das trevas. Essa força chama-se “morte com Cristo”. O crucificado morreu para si; já não tem mais medo da morte. O morto não tem medo de morrer; nenhuma ameaça o põe a correr. Nada o perturba; ninguém lhe rouba a paz.

Na época do império romano, um nobre cristão de Roma foi trazido à presença do imperador. Este cristão estava sendo pressionado a abandonar a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. O imperador queria persuadi-lo a negar a fé em Jesus Cristo.

O imperador disse: se você não negar a Jesus, eu mando confiscar todos os seus bens. Você cairá em pobreza total e viverá o resto da vida como um mendigo. A resposta desse homem rico de Roma foi: eu não possuo nada neste mundo. Sou apenas um simples mordomo; tudo é do meu Senhor. Eu não tenho nada a perder; nada me pertence. Como perder se eu não possuo nada?

O imperador irado olhou para aquele cristão e disse: então eu lhe mando para o exílio! Você viverá o resto de sua vida em solidão total. O cristão calmamente sorriu para o imperador e respondeu. Onde quer que me enviem, o meu Senhor estará comigo; jamais estarei só. Não existe solidão para aquele que está em Cristo Jesus. Ele vive em nós. O imperador ficou mais irado ainda, fora de si, quase à loucura, com gestos e gritaria, olhou para o cristão e disse: eu vou te jogar para ser comido pelo leões. O cristão, cheio de paz e confiança diz ao imperador: ser comido pelos leões? Morrer? Eu já morri com Cristo. Não se pode matar aquele que já está morto.

Este é o segredo da invencibilidade. Enquanto o homem não conhecer sua morte com Cristo na cruz, ele estará sujeito às pressões. Os policiais e bandidos sabem que isto funciona; por isso, eles tem métodos de tortura. Mas eles não teriam poder algum sobre o crucificado.

Afinal, quem pode roubar aquele que não é dono de nada? Quem pode ameaçar de prisão e solidão aquele que tem a viva e alegre comunhão com Jesus Cristo? Quem pode matar aquele que já está crucificado com Cristo?

O crucificado é aquele que morreu para o seu conforto, suas ambições e seus projetos de vida. Ele vive sem temores. Quando cremos na nossa morte e ressurreição com Cristo, passamos a viver de modo invencível neste mundo tenebroso. Por isso, o apóstolo disse: “Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” – Romanos 8:37.

Pr. Mario Tsuyoshi Yamakami

Comunidade Bíblica Regenerada   –   Cristo vive em nós

Maringá, 08 de Janeiro de 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s